Microplásticos, uma ameaça à saúde

Certamente você já ouviu falar sobre os microplásticos. Ensinaremos o que são e por que são considerados uma ameaça à saúde.
Microplásticos, uma ameaça à saúde

Última atualização: 19 janeiro, 2023

Em 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) instou as autoridades competentes a aprofundar a investigação e o compromisso sobre a relação entre os microplásticos e a saúde. Os microplásticos são pequenos pedaços de plástico que poluem o meio ambiente. Atualmente são considerados um problema de saúde pública, em princípio devido aos danos aos ecossistemas e seu impacto na saúde humana.

Os microplásticos estão por toda parte: no fundo do mar, em peixes e mariscos, na água potável, na cerveja, na chuva e em recipientes de plástico (especialmente quando expostos a água morna ou quente). Microplásticos foram encontrados até no Ártico, então não parece possível fugir deles. Com isso em mente, eles são realmente uma ameaça à saúde?

Como os microplásticos afetam a saúde?

Foi Richard Thompson quem, em 2004, cunhou o termo microplásticos. No início pensava-se que só eram encontrados no litoral, mas depois começaram a ser encontrados em quase todos os locais onde colocavam a lupa.

Pesquisas sobre eles e saúde sugeriram que quase todos os produtos de cuidados pessoais os liberavam; embora hoje saibamos que todos os dias a maioria das pessoas os ingere ou inala.

De fato, e como apontam os especialistas, existem três canais principais pelos quais são assimilados: ingestão, inalação e contato com a pele.

Um estudo publicado em 2021 na Environmental Science & Technology sugeriu que a pessoa média pode consumir, inalar ou assimilar o equivalente a um cartão de crédito por ano. A exposição é evidente e, até certo ponto, não se pode fazer muito para evitá-la.

Os microplásticos não passam despercebidos no ambiente animal. Até agora, sabe-se que causa toxicidade reprodutiva em ostras, causa toxicidade hepática em peixes-zebra e promove bioacumulação de tecidos e toxicidade de órgãos em camundongos.

Com tudo isso como preâmbulo, pode-se elucidar que os microplásticos são uma ameaça à saúde humana, mas de que forma e com que malefícios?

Ainda não há uma resposta completa para essa pergunta, em parte porque a investigação dessa relação está em pleno andamento. Os estudos até agora indicam que o impacto pode não passar despercebido. Deixamos-lhe algumas formas e canais através dos quais os microplásticos afetam a saúde, segundo os especialistas.

Microplásticos e nanoplásticos na dieta

A relação entre microplásticos e saúde devido ao consumo de água
Praticamente qualquer fonte de água comum provavelmente contém microplásticos em seu interior.

Os seres humanos ingerem microplásticos e nanoplásticos através de sua dieta regular. Estes são encontrados em proporções significativas em peixes, camarões, ostras, amêijoas, mariscos, mexilhões e outros.

A contaminação também pode ocorrer durante o processo de produção e embalagem, por isso também estão no mel, na cerveja, no açúcar e no sal (entre outros).

Eles também estão em todas as fontes de água (sem exceção). Um estudo publicado em 2018 na PLOS ONE descobriu que 81% das 159 fontes globais de água da torneira têm microplásticos menores que 5 milímetros.

Nesse mesmo ano, uma pesquisa publicada na Frontiers in Chemistry analisou 259 marcas de água processada. Eles encontraram microplásticos em aproximadamente 93% deles.

Em suma, de uma forma ou de outra, os microplásticos entram na dieta de uma pessoa. Isso sem considerar quem entra pela interação dos alimentos com vasilhames plásticos, copos, pratos e outros.

Pensa-se que estes possam penetrar no tecido linfático, e é provável que entrem por fagocitose ou endocitose e se infiltrem nas células micropregueadas (M) nas placas de Peyer. Apesar disso, não existem estudos atuais que determinem o grau de absorção ou seu impacto.

Microplásticos e nanoplásticos na exposição pulmonar

A exposição a microplásticos e nanoplásticos ocorre tanto em ambientes internos quanto externos. Dentro de casa, é provável que sejam principalmente tecidos sintéticos transportados pelo ar, enquanto ao ar livre são detritos de aerossóis contaminados ou partículas de fertilizantes transportados pelo ar de tratamentos de águas residuais. Seja como for, seu impacto é mais conhecido do que no caso anterior.

Por exemplo, os pesquisadores descobriram que sua interação pode levar à toxicidade química e à introdução de vetores de patógenos e parasitas no corpo através do pulmão.

Em animais, a inalação tem sido associada a um risco aumentado de desenvolver câncer de pulmão e inflamação. A exposição é maior nas áreas urbanas do que nas suburbanas, devido aos níveis de poluição a elas associados.

Microplásticos e nanoplásticos na exposição dérmica

A relação entre os microplásticos e a saúde da pele
Embora a pele represente uma barreira à entrada de microplásticos no corpo, o uso de produtos cosméticos pode favorecer isso.

Esfoliantes corporais e cremes faciais são outros meios pelos quais os microplásticos entram no corpo. Eles também podem fazê-lo por meio da interação com água contaminada com microplásticos, especialmente por meio de glândulas sudoríparas, feridas na pele e folículos pilosos.

Seu impacto real não é conhecido, mas alguns especialistas indicam que as nanopartículas são absorvidas pelas células de Langerhans.

As diferentes camadas da pele oferecem proteção contra elas, mas a verdade é que os produtos de beleza têm propriedades que facilitam a penetração de seus compostos.

Cremes, esfoliantes e outros produtos que não passaram por rígidos padrões de segurança e higiene durante sua fabricação contêm maior quantidade de microplásticos e nanoplásticos.

Considerações finais sobre Microplásticos e Saúde

Apresentamos as últimas novidades a esse respeito que os cientistas encontraram em suas pesquisas. Reiteramos que o impacto real dos microplásticos na saúde humana é pouco conhecido. Não há dúvida de que estamos expostos a quantidades consideráveis, mas sim há dúvidas da forma como eles podem afetar a saúde.

De qualquer forma, organizações internacionais estão implementando agendas e programas para reduzir a quantidade que é produzida e lançada no meio ambiente. Durante as próximas décadas, nosso conhecimento sobre o impacto que eles têm na saúde será maior, assim como as estratégias para minimizar esse impacto. O primeiro passo já foi dado, então o relacionamento não passa mais despercebido.

Pode interessar a você...
O que é eco-ansiedade?
Muy Salud
Leia em Muy Salud
O que é eco-ansiedade?

A eco-ansiedade não é um transtorno por si só, mas pode afetar de forma severa às pessoas a longo prazo.



  • Deng Y, Zhang Y, Lemos B, Ren H. Tissue accumulation of microplastics in mice and biomarker responses suggest widespread health risks of exposure. Sci Rep. 2017 Apr 24;7:46687.
  • Jiang B, Kauffman AE, Li L, et al. Impactos en la salud de la contaminación ambiental de micro y nanoplásticos: una revisión. Medio Ambiente Salud Prev Med. 2020;25(1):29. Publicado el 14 de julio de 2020.
  • Kosuth M, Mason SA, Wattenberg EV. Anthropogenic contamination of tap water, beer, and sea salt. PLoS One. 2018 Apr 11;13(4):e0194970.
  • Lu Y, Zhang Y, Deng Y, Jiang W, Zhao Y, Geng J, Ding L, Ren H. Uptake and Accumulation of Polystyrene Microplastics in Zebrafish (Danio rerio) and Toxic Effects in Liver. Environ Sci Technol. 2016 Apr 5;50(7):4054-60.
  • Mason SA, Welch VG, Neratko J. Synthetic Polymer Contamination in Bottled Water. Front Chem. 2018 Sep 11;6:407.
  • Mohamed Nor NH, Kooi M, Diepens NJ, Koelmans AA. Lifetime Accumulation of Microplastic in Children and Adults. Environ Sci Technol. 2021 Apr 20;55(8):5084-5096.
  • Ohlwein S, Kappeler R, Kutlar Joss M, Künzli N, Hoffmann B. Health effects of ultrafine particles: a systematic literature review update of epidemiological evidence. Int J Public Health. 2019 May;64(4):547-559.
  • Prata JC. Airborne microplastics: Consequences to human health? Environ Pollut. 2018 Mar;234:115-126.
  • Thompson, R. C., Olsen, Y., Mitchell, R. P., Davis, A., Rowland, S. J., John, A. W., … & Russell, A. E. Lost at sea: where is all the plastic?. Science. 2004; 304(5672): 838-838.
  • Rahman, A., Sarkar, A., Yadav, O. P., Achari, G., & Slobodnik, J. Potential human health risks due to environmental exposure to nano-and microplastics and knowledge gaps: A scoping review. Science of the Total Environment. 2021; 757: 143872.
  • Sussarellu R, Suquet M, Thomas Y, Lambert C, Fabioux C, Pernet ME, Le Goïc N, Quillien V, Mingant C, Epelboin Y, Corporeau C, Guyomarch J, Robbens J, Paul-Pont I, Soudant P, Huvet A. Oyster reproduction is affected by exposure to polystyrene microplastics. Proc Natl Acad Sci U S A. 2016 Mar 1;113(9):2430-5.
  • Vogt A, Combadiere B, Hadam S, Stieler KM, Lademann J, Schaefer H, Autran B, Sterry W, Blume-Peytavi U. 40 nm, but not 750 or 1,500 nm, nanoparticles enter epidermal CD1a+ cells after transcutaneous application on human skin. J Invest Dermatol. 2006 Jun;126(6):1316-22.

Los contenidos de esta publicación se redactan solo con fines informativos. En ningún momento pueden servir para facilitar o sustituir diagnósticos, tratamientos o recomentaciones provenientes de un profesional. Consulta con tu especialista de confianza ante cualquier duda y busca su aprobación antes de iniciar o someterse a cualquier procedimiento.