Dieta para a hipertensão arterial

A dieta faz parte do tratamento para a hipertensão. Aprenda o que incluir, o que evitar e algumas dicas sobre esse assunto.
Dieta para a hipertensão arterial

Escrito por Josberth Johan Benitez Colmenares, 15 Agosto, 2021

Última atualização: 17 Agosto, 2021

A dieta para hipertensão faz parte do tratamento para controlar a pressão arterial. Juntamente com os medicamentos para hipertensão, exercícios e abandono de maus hábitos (como tabagismo e estresse), as mudanças nutricionais são essenciais para evitar que os níveis de pressão aumentem perigosamente.

No entanto, os pacientes geralmente não sabem por onde começar. Hoje apresentaremos um guia inicial que você pode levar em consideração para orientar seus hábitos alimentares. Você também pode aplicá-lo se tiver sido diagnosticado com pré-hipertensão ou quiser ter seus níveis de pressão controlados como método preventivo.

Dieta DASH para hipertensão

A hiperglicemia típica do diabetes pode ser melhorada com o consumo de alguns alimentos.
Embora a dieta DASH não seja a única forma de prevenir a hipertensão, ela é muito útil, sendo caracterizada por um alto consumo de antioxidantes e pela baixa presença de sal.

A primeira coisa que você deve saber é que existem muitas dietas para a hipertensão. No entanto, os especialistas recomendam seguir a dieta DASH há alguns anos. A Dietary Approaches to Stopping Hypertension (‘abordagens dietéticas para parar a hipertensão’, conhecidas simplesmente como dieta DASH) é uma dieta que permite adaptar a ingestão diária à doença.

De acordo com a Harvard T.H. Chan School of Public Health, a dieta foi apresentada pela primeira vez em 1996 em uma conferência da American Heart Association. Um ano depois, foi publicada no New England Journal of Medicine. Em suma, a dieta aposta na inclusão de diferentes grupos de alimentos para superar as limitações das dietas rígidas para a hipertensão.

Desde então, essa dieta se tornou a preferida para controlar a pressão arterial. Com base no National Heart, Lung, and Blood Institute, podemos resumir suas características nas seguintes:

  • Não se baseia em alimentos especiais.
  • Atende às necessidades de 2.000 calorias por dia.
  • Evita a ingestão de bebidas adoçadas com açúcar refinado e doces.
  • Incentiva o consumo de produtos lácteos com baixo teor de gordura.
  • Se concentra em frutas, vegetais, legumes, cereais integrais, óleo vegetal não tropical, feijão e carnes brancas.
  • Evita a ingestão de sódio e gordura.

O regime não elimina completamente alguns grupos, mas os evita ou reduz durante a semana. Existem muitas variantes da dieta: dependendo da idade, nível de atividades diárias, necessidades calóricas e sexo. Para mais obter informações mais precisas você pode verificar o link anterior. A seguir descrevemos a dieta básica de 2.000 calorias para um homem de meia-idade:

  • Grãos: entre 6 e 8 porções.
  • Legumes: entre 4 e 5 porções.
  • Frutas: entre 4 e 5 porções.
  • Laticínios com baixo teor de gordura: 2 a 3 porções.
  • Carnes magras: 6 ou menos porções durante a semana.
  • Frutos secos e legumes: 4 ou 5 porções por semana.
  • Gordura e óleo: entre 2 e 3 porções.
  • Doces e açúcares: menos de 5 porções por semana.
  • Ingestão de sódio : máximo de 2.300 miligramas por dia.

Exceto nos grupos destacados, os valores correspondem a uma ingestão diária. As informações sobre como escolher as porções, quais alimentos preferir para cada grupo, como distribuí-los nas refeições, como montar cada prato, dicas para variar a cada semana e outras referências podem ser encontradas no link a que já nos referimos, do National Heart, Lung, and Blood Institute.

A dieta consiste na escolha feita por cada paciente das suas próprias combinações alimentares, desde que sejam respeitadas, de modo geral, as limitações dos grupos a serem evitados durante a semana. Para reduzir a margem de erro, te incentivamos a procurar um nutricionista para receber orientações sobre como iniciar a dieta.

Sódio e dieta para hipertensão

Você provavelmente já ouviu que o sódio e uma dieta para hipertensão não se dão bem. No entanto, é provável que você não entenda bem o motivo ou não saiba a quantidade exata do mineral que deve incluir na dieta. A ingestão elevada de sódio é contraindicada para pacientes hipertensos porque contribui para a retenção de líquidos no corpo.

Ao aumentar a quantidade de sódio o volume sanguíneo também se eleva, o que resulta no aumento da pressão arterial. O sódio é um mineral essencial para a manutenção da função celular, promovendo a transmissão dos impulsos nervosos, regulando o volume plasmático e realizando outras funções. Ele não deve ser completamente removido, pois pode ser desenvolvida uma hiponatremia.

Basta evitar o consumo em excesso. Dito isso, quanto sódio você deve comer durante o dia? A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Food and Drug Administration (FDA) recomendam um máximo de 2.300 miligramas por dia, conforme estipulado pela dieta DASH para hipertensão. Apesar disso, a American Heart Association sugere reduzir gradualmente a quantidade para 1.500 miligramas.

Em geral, essa quantidade corresponde a uma colher de chá de sal de cozinha distribuída nas refeições. O problema é equilibrá-lo com outros alimentos. Alimentos processados, embutidos e algumas bebidas, por exemplo, apresentam quantidades excessivas de sódio. É por isso que a dieta DASH os dispensa e opta por opções naturais e mais saudáveis.

Perguntas e respostas sobre a dieta para a hipertensão

Para terminar de te informar a respeito da dieta para hipertensão, responderemos brevemente às perguntas que você pode ter a respeito.

A dieta DASH é segura?

Sim, vários estudos e pesquisas têm apoiado o uso dessa dieta, tanto para pacientes hipertensos quanto para pessoas que desejam prevenir a doença.

Mesmo assim, alguns setores criticam a dieta por ela ser muito livre (no sentido de que a combinação das porções é feita pelo próprio interessado). Por isso te incentivamos a buscar o apoio de um profissional para evitar alguns erros durante o processo.

O que devo fazer se não gostar de alimentos sem sal?

A dieta é eficaz para o controle da hipertensão.
Embora possa ser difícil se acostumar com as mudanças na dieta no início, especialmente com a baixa ingestão de sal, existem maneiras de ajustar progressivamente.

Você pode tentar temperar a sua comida com especiarias ou ervas. Lembre-se de que não se trata de eliminar completamente a ingestão de sódio, mas sim de reduzi-la. Também é importante lembrar que em algumas semanas a sua sensibilidade a esse mineral aumentará. Você logo se acostumará com esse novo limiar de sabor e não vai querer voltar ao que tinha antes da dieta.

Existe apenas uma dieta para a hipertensão?

Não, existem muitas opções que você pode escolher. Embora a dieta DASH seja mais famosa, alguns estudos e pesquisas sugerem que bons resultados podem ser alcançados com a dieta paleolítica e a mediterrânea, respectivamente. No entanto, consulte um especialista antes de iniciar qualquer protocolo.

É melhor comer fora ou preparar comida em casa?

O ideal é optar por preparar a comida em casa, de forma que você possa controlar o percentual de sódio e calorias em cada prato. No entanto, atualmente existem centenas de restaurantes em todas as cidades que oferecem opções saudáveis. Se você souber escolher não deverá ter grandes problemas.

Que bebidas posso tomar como acompanhamento?

Tente optar por bebidas naturais ou, melhor ainda, água. A The Association UK Dietitians  incentiva os pacientes a limitarem o consumo de álcool, pois ele pode aumentar a pressão arterial. Mais uma vez: trata-se de reduzir o consumo, não eliminá-lo completamente.

Existem alimentos que reduzem a pressão arterial?

Não existem alimentos que reduzem milagrosamente a hipertensão, pelo menos não como anunciado por alguns meios de comunicação. Mas o consumo de alguns nutrientes e grupos tem sido associado como benéfico para a saúde em geral, incluindo a pressão dos vasos sanguíneos. Potássio, cálcio, magnésio e fibras são alguns deles.

Pode interessar a você...
Causas e fatores de risco da hipertensão
Muy SaludLeia em Muy Salud
Causas e fatores de risco da hipertensão

Para alguns tipos de hipertensão, não há causa conhecida. Em outros, pode ser devido ao desenvolvimento de outras doenças.



  • Appel LJ, Moore TJ, Obarzanek E, Vollmer WM, Svetkey LP, Sacks FM, Bray GA, Vogt TM, Cutler JA, Windhauser MM, Lin PH, Karanja N. A clinical trial of the effects of dietary patterns on blood pressure. DASH Collaborative Research Group. N Engl J Med. 1997 Apr 17;336(16):1117-24.
  • Bazzano LA, Green T, Harrison TN, Reynolds K. Dietary approaches to prevent hypertension. Curr Hypertens Rep. 2013 Dec;15(6):694-702.
  • Nissensohn M, Román-Viñas B, Sánchez-Villegas A, Piscopo S, Serra-Majem L. The Effect of the Mediterranean Diet on Hypertension: A Systematic Review and Meta-Analysis. J Nutr Educ Behav. 2016 Jan;48(1):42-53.e1.
  • Siervo M, Lara J, Chowdhury S, Ashor A, Oggioni C, Mathers JC. Effects of the Dietary Approach to Stop Hypertension (DASH) diet on cardiovascular risk factors: a systematic review and meta-analysis. Br J Nutr. 2015 Jan 14;113(1):1-15.
  • Tóth, C., & Clemens, Z. Successful treatment of a patient with obesity, type 2 diabetes and hypertension with the paleolithic ketogenic diet. Int J Case Rep Images. 2015; 6(3): 161-167.