Qual é o melhor momento para medir a pressão arterial?

Manter o controle da pressão arterial é um método preventivo eficaz que pode ser feito em casa. Embora qualquer pessoa possa comprar um monitor de pressão arterial, muitas vezes há dúvidas sobre qual o melhor momento para fazer a aferição. Hoje responderemos a essa dúvida e daremos alguns conselhos adicionais.
Qual é o melhor momento para medir a pressão arterial?

Escrito por Josberth Johan Benitez Colmenares, 21 Junho, 2021

Última atualização: 22 Junho, 2021

Medir a pressão arterial de forma recorrente é um excelente hábito de prevenção em prol da saúde. Não é um método recomendado apenas para hipertensos, pois todos os adultos devem saber seus valores para estar atentos a qualquer desequilíbrio.

Embora a aquisição e acesso a monitores de pressão arterial hoje seja uma realidade para milhões de pessoas, permanecem dúvidas sobre como eles são usados e, mais importante, quando é o momento ideal para fazer a aferição. Hoje explicamos quais critérios levar em consideração ao aferir a pressão arterial e por que você deve manter uma relativa frequência na aferição dos valores.

Medindo a pressão arterial: entendendo as leituras

Medir a pressão arterial em casa é fácil.
Saber os valores anormais da pressão arterial é importante para saber quando consultar um médico.

A primeira coisa que você deve saber é que a pressão arterial varia ao longo do dia. Os valores variam de acordo com sua dieta, as bebidas que você toma, a atividade que está fazendo e o grau de nervosismo que sente. Devido a este último, pacientes frequentemente apresentam uma condição chamada hipertensão do jaleco branco.

Seguindo as indicações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da American Heart Association ( AHA ), estima-se que a pressão arterial esteja normal quando estiver em 120/80 mmHg.

Pequenas diminuições ou aumentos também são consideradas normais. O primeiro número corresponde à pressão sistólica (quando o coração se contrai) e o segundo à pressão diastólica (quando ele relaxa).

Com base neste valor primário, outras leituras podem ser determinadas. Se você planeja aferir sua pressão arterial por conta própria, com um amigo, ou aprender sobre a doença, preste atenção aos seguintes dados:

  • Elevada: A pressão arterial é considerada elevada quando os valores da pressão sistólica variam entre 120 e 129 mmHg, com pressão diastólica igual ou inferior a 80 mmHg. Isso não significa que as pessoas com essas características sejam hipertensas, mas significa que é mais provável que o sejam no futuro. Frequentemente, é chamada de pré-hipertensão.
  • Hipertensão estágio 1: ocorre quando os resultados variam entre 130-139 mmHg e 80-89 mmHg para a sistólica e diastólica, respectivamente. Pessoas com esses espectros correm o risco de doenças cardíacas e cerebrovasculares. Geralmente esse valor é neutralizado por uma mudança no estilo de vida e uso de medicamentos.
  • Hipertensão estágio 2: neste caso os valores são iguais ou superiores a 140/90 mmHg. Muitas vezes é escolhida uma combinação de vários anti-hipertensivos. Mudanças na dieta e na atividade física também podem ser eficazes.
  • Crise hipertensiva: uma crise hipertensiva é a elevação igual ou superior a 180/120 mmHg. Pode se apresentar sem lesão orgânica (urgência hipertensiva ) e com lesão orgânica ( emergência hipertensiva ). Esta última pode ser fatal.

Como e quando medir sua pressão arterial em casa

Agora que você conhece os valores, pode prosseguir para aferir sua pressão arterial. Você fará isso com a ajuda de um monitor de pressão arterial, de preferência um que cubra seu braço. Muitos são os fatores que podem condicionar os resultados. Para fazer a medição, o Harvard Healt Publishing recomenda o seguinte:

  • Não beba ou fume 30 minutos antes do teste.
  • Afira a pressão apenas após 5 minutos em silêncio e sentado sem se mover.
  • No momento de medir a pressão arterial, seus pés devem estar no chão e o cotovelo próximo ao coração.
  • Evite falar durante a medição.
  • Faça duas medições com um minuto de intervalo. Se a diferença for maior que 5 pontos, faça uma terceira medição.
  • O manguito deve ser colocado diretamente sobre a pele e cobrir pelo menos 80% do braço.

Uma medição equivocada pode causar uma diferença de 10% nos valores obtidos. Devido a isso, valores altos ou baixos podem ser obtidos ao invés do verdadeiro. Levar esses fatores em consideração contribui para o acesso a resultados mais objetivos.

Depois de considerar as informações mencionadas acima, você está pronto para prosseguir com o teste. Como já indicamos, com base em evidências, os valores da pressão arterial podem oscilar em até 30% ao longo do dia.

Se um especialista sugeriu um monitoramento residencial da pressão arterial (MRPA), o melhor horário para fazê-lo é pela manhã, logo ao acordar, e à noite.

A hora exata dependerá dos seus hábitos e possibilidades. Por exemplo, se você tende a chegar em casa muito tarde ou a acordar cedo. É muito raro que a hipertensão seja diagnosticada apenas pela obtenção de um valor.

São necessárias pelo menos três confirmações, separadas por uma semana, para que o médico considere que há desequilíbrios e prossiga com a aplicação de um tratamento.

Desta forma, você monitora seus níveis por vários dias seguidos durante três semanas. Sempre tente fazer isso no mesmo horário e com a maior precisão possível. Não é recomendado aferir a pressão após a prática de atividade física, após comer, ingerir cafeína, álcool ou bebidas energéticas.

Vantagens do monitoramento da pressão arterial em casa

Aferir a pressão arterial em casa pode ser útil no diagnóstico da hipertensão.
Fazer aferições em casa permite obter valores confiáveis, desde que você tenha o equipamento adequado e utilize a técnica corretamente.

Você pode estar monitorando seus níveis de pressão arterial porque suspeita que tem hipertensão ou faz parte de um grupo de risco.

A monitorização ambulatorial da pressão arterial, também conhecida como MAPA, é utilizada como procedimento geral. No entanto, a evidência sugere que sua variante caseira, MRPA, pode ser igualmente eficaz no diagnóstico.

Os resultados devem ser mantidos em um registro, que você compartilhará com o médico para análise posterior. Entre as vantagens de optar por este método estão as seguintes:

  • Evita perturbações devido à ansiedade decorrente da visita ao consultório.
  • Pode ser feita no conforto de casa com a ajuda de um monitor de pressão arterial.
  • Não é necessária muita experiência para fazê-lo (basta seguir as instruções acima e as do médico).
  • Pode ser feito por conta própria ou com a ajuda de terceiros.
  • Permite adaptar os testes à disposição e hábitos de cada paciente.
  • É uma ferramenta para a detecção e posterior controle da hipertensão.

A hipertensão é atualmente considerada uma doença com características pandêmicas. Segundo estudos, causa mais de 10 milhões de mortes por ano. Pesquisas sugerem que mais de 1,3 bilhão de pessoas a têm; ou seja, 1 a cada 5 pessoas.

O risco de desenvolver doenças cardiovasculares, renais e cerebrovasculares como consequência direta da hipertensão é amplamente documentado. Se você tem histórico de hipertensão na família, é obeso, faz pouca atividade física e não tem uma alimentação balanceada, as chances de sofrer ou desenvolver complicações são maiores.

Por tudo isso, é útil fazer aferições periódicas da pressão. A frequência dependerá de vários fatores, mas  deve ser feita no mínimo uma vez por ano. Caso seja detectado algum desequilíbrio, nunca se deve optar pela automedicação.

Apenas um profissional qualificado pode interpretar os dados de acordo com o contexto e determinar as possíveis causas subjacentes, além de indicar o tratamento mais adequado.

Pode interessar a você...
Como medir a pressão arterial em casa
Muy Salud
Leia em Muy Salud
Como medir a pressão arterial em casa

Medir a pressão arterial em casa é possível atualmente graças aos aparelhos eletrônicos disponíveis no mercado.



  • Breaux-Shropshire, T. L., Judd, E., Vucovich, L. A., Shropshire, T. S., & Singh, S. Does home blood pressure monitoring improve patient outcomes? A systematic review comparing home and ambulatory blood pressure monitoring on blood pressure control and patient outcomes. Integrated Blood Pressure Control. 2015; 8: 43.
  • Bloch, M. J. Worldwide prevalence of hypertension exceeds 1.3 billion. 2016: 753-754.
  • Cerra, G. Hipertensión de bata blanca. Salud Uninorte. 2007; 23(2): 243-250.
  • George, J., & MacDonald, T. Home blood pressure monitoring. European Cardiology Review. 2015; 10(2): 95.
  • Rahimi, K., Emdin, C. A., & MacMahon, S. The epidemiology of blood pressure and its worldwide management. Circulation research. 2015; 116(6): 925-936.
  • Unger, T., Borghi, C., Charchar, F., Khan, N. A., Poulter, N. R., Prabhakaran, D., … & Schutte, A. E. 2020 International Society of Hypertension global hypertension practice guidelines. Hypertension. 2020; 75(6): 1334-1357.