Sintomas do diabetes tipo 2 em homens

Os sintomas da diabetes tipo 2 são muito conhecidos e fáceis de identificar. Infelizmente, a doença pode afetar o funcionamento do aparelho reprodutor masculino, interferindo na vida sexual das pessoas.
Sintomas do diabetes tipo 2 em homens

Escrito por Luis Rodolfo Rojas Gonzalez, 03 Julho, 2021

Última atualização: 03 Julho, 2021

O diabetes mellitus constitui um grupo de doenças metabólicas crônicas caracterizadas por altos níveis de açúcar (glicose) no sangue. Sexo, idade e histórico familiar são fatores que aumentam o risco desta doença. Você está interessado em saber quais são os sintomas do diabetes tipo 2 em homens? Vamos te contar mais a seguir.

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), estima-se que mais de 62 milhões de pessoas sofram de diabetes tipo 2 nas Américas. Essa é uma condição comumente associada a homens com obesidade, estilo de vida e alimentação pouco saudáveis.

Os sintomas clínicos podem levar anos para aparecer ou se apresentar de maneira leve, o que muitas vezes torna difícil a identificação precoce.

Sintomas comuns do diabetes tipo 2 em homens

O diabetes tipo 2 está intimamente relacionado à resistência à insulina e obesidade. Estudos estimam que os homens têm até 2 vezes mais risco de sofrer desse tipo de diabetes devido à tendência que possuem de ter mais gordura abdominal.

Os sintomas clínicos são resultantes dos níveis elevados de glicose no sangue e da falta de resposta das células à insulina. Os três “Ps” do diabetes são um exemplo clássico que inclui polidipsia, poliúria e polifagia.

Os sintomas da diabetes tipo 2 em homens são muito semelhantes aos das mulheres. Distúrbios vasculares de longo prazo e danos nervosos fazem parte da evolução da doença. Essa situação causa anomalias em órgãos vitais, como coração, rins, cérebro, olhos e outras partes do corpo.

Micção frequente ou poliúria

Os sintomas do diabetes tipo 2 em homens incluem a poliúria.
A poliúria pode fazer com que pessoas sem diagnóstico busquem uma consulta médica, pois este pode ser um sintoma incômodo.

O aumento na frequência de idas ao banheiro e na quantidade de urina eliminada é uma manifestação comum do diabetes. É resultado da elevação da glicose no sangue, aumentando a quantidade de urina que é filtrada nos rins. Esse fato favorece um enchimento vesical mais rápido e a mais urgência para a eliminação da urina.

Aumento na sede ou polidipsia

A necessidade exagerada de ingerir líquidos é um sintoma comum em homens com diabetes tipo 2. Geralmente esse sintoma é acompanhado por uma sensação de boca seca à noite ou ao acordar. Este fato é produzido por um aumento da osmolalidade plasmática reconhecida no nível do hipotálamo e pela eliminação contínua de urina.

Aumento do apetite ou polifagia

Pacientes com diabetes tipo 2 frequentemente apresentam um aumento exagerado no apetite. A resistência à insulina desses pacientes impede a entrada natural da glicose do sangue para as células, portanto, há uma menor produção de energia.

Por isso, o corpo aumenta a demanda de alimentos para tentar compensar a deficiência de nutrientes.

Esse sintoma costuma ser acompanhado de tremores e ansiedade ou nervosismo entre as refeições, mas também pode aparecer após muitas horas sem comer. Além disso, a polifagia faz parte da tríade clínica clássica do diabetes mellitus, por isso é imprescindível buscar atendimento médico caso ela esteja presente.

Fadiga e cansaço

A falta de energia em homens com diabetes tipo 2 sem uma causa óbvia costuma ser um sintoma inicial da doença. A baixa entrada de glicose nas células cerebrais e musculares promove depressão central e fraqueza corporal. Os pacientes geralmente apresentam dificuldade de concentração, problemas para levantar objetos ou um desejo exagerado de dormir.

Por outro lado, a obesidade e o excesso de peso em pacientes com diabetes tipo 2 são fatores que promovem o cansaço e a fadiga excessiva. Por isso, é aconselhável fazer mudanças no estilo de vida que incluam uma alimentação saudável e exercícios físicos regulares.

Escurecimento da pele nas dobras

É comum encontrar dermatopatias e infecções de pele associadas a níveis elevados de glicose no sangue de pacientes com diabetes. No entanto, a acantose nigricans é o sintoma cutâneo mais comum em homens com diabetes tipo 2. De fato, os estudos estimam uma incidência de até 76% nesses pacientes.

A acantose nigricans é um conjunto de lesões espessas castanho-escuras com aspecto central aveludado que geralmente aparece nas dobras cutâneas. Por essa razão, elas são frequentes nas axilas, pescoço, virilha e cotovelos. A obesidade e a hiperinsulinemia são os principais desencadeadores desse sintoma.

Testosterona baixa

A testosterona é um dos principais hormônios envolvidos no crescimento e funcionamento do organismo dos homens. Ela favorece o desenvolvimento e manutenção da massa muscular, fortalecimento ósseo e a produção de esperma.

Algumas pesquisas sugerem que os níveis de testosterona são muito mais baixos em homens com diabetes tipo 2 do que nos demais.

A perda da testosterona está diretamente relacionada ao desenvolvimento do diabetes. Além disso, é normal que esses níveis diminuam nos idosos, o que piora a evolução e a gravidade da doença.

Disfunção erétil

Os sintomas do diabetes tipo 2 em homens incluem a disfunção erétil.
A disfunção erétil não é apenas um problema físico; ela causa um desconforto emocional que pode ser ainda mais difícil de superar.

A disfunção erétil é uma condição caracterizada pela incapacidade de estabelecer e manter uma ereção adequada para conseguir uma relação sexual satisfatória. Esse sintoma ocorre na maioria dos homens com diabetes tipo 2, sendo maior naqueles que não controlam a doença.

Sua causa principal são alterações nos vasos sanguíneos e danos nos nervos periféricos. Este fato promove a redução nos reflexos necessários à ereção e redução do suprimento vascular para o pênis. A longo prazo, a disfunção erétil promove complicações psicológicas e sociais, razão pela qual é necessária a atenção médica oportuna.

Diminuição da libido

Em geral, o diabetes pode afetar a autoestima e o psicológico dos pacientes afetados. Neste sentido, sentimentos de insegurança, tristeza, medo de rejeição e perda da atratividade podem se desenvolver, o que afeta as relações sexuais, gerando medo e ansiedade em relação a contatos íntimos.

Da mesma forma, a perda da libido está relacionada a uma redução nos níveis de testosterona. Este é o hormônio responsável por regular e estimular o desejo sexual nos homens. Por isso, é imprescindível procurar um profissional de saúde treinado para solucionar o desconforto e oferecer a melhor abordagem terapêutica.

Sintomas raros de diabetes tipo 2 em homens

Existem vários sintomas raros, que são o resultado de alterações na circulação, vias nervosas, hormônios e imunidade em pacientes com diabetes tipo 2. A maioria dessas manifestações leva anos para aparecer e são mais comuns em pacientes com diabetes tipo 2 em estágios avançados da doença.

Ejaculação retrógrada

Em alguns pacientes diabéticos, é possível encontrar distúrbios na expulsão do sêmen. A ejaculação retrógrada é gerada por uma falha na musculatura e nos esfíncteres genitais que regulam esse processo. Por esse motivo, parte do sêmen pode retornar à bexiga em vez de ser expelido pelo pênis.

Normalmente, o sêmen preso na bexiga sai durante a micção junto com a urina. Além disso, há homens que não chegam a atingir a ejaculação. A evidência de esperma em uma amostra de urina faz parte da abordagem diagnóstica e terapêutica.

Perda de massa muscular

A atrofia muscular em homens diabéticos está associada a uma redução nos níveis de testosterona e uma deficiência na entrada de glicose promovida pela resistência à insulina. Essa manifestação é favorecida pelo excesso de peso e pela falta de atividade física.

Infecções genitais

O enfraquecimento do sistema imunológico é uma complicação comum em pacientes com diabetes. Assim, a capacidade do organismo de combater microrganismos nocivos, como bactérias e fungos, é dificultada.

Por outro lado, a hiperglicemia e o desequilíbrio da microbiota estimulam o crescimento excessivo e a invasão de microorganismos que habitam o corpo.

A infecção pelo fungo Candida albicans pode ocorrer em homens com diabetes tipo 2. Ele se fixa à mucosa genital, causando inflamação, irritação e coceira na área. Felizmente, o tratamento medicamentoso oferece resultados satisfatórios.

Bexiga hiperativa

A bexiga hiperativa é uma condição caracterizada por movimentos involuntários dos músculos e esfíncteres da bexiga. Portanto, o paciente pode perder o controle sobre este órgão.

Nesse sentido, geralmente ocorre a micção involuntária ou necessidade de urinar várias vezes ao dia. A lesão nervosa em homens com diabetes tipo 2 promove o aparecimento desse sintoma.

Curvatura do pênis

Pessoas com diabetes têm maior probabilidade de desenvolver uma curvatura anormal do pênis ou doença de Peyronie, de acordo com o Instituto Nacional de la Diabetes y las Enfermedades Digestivas y Renales (NIDDK)

Esse fato é caracterizado pelo crescimento de tecido cicatricial não canceroso no pênis, que gera uma curvatura ao sustentar uma ereção e que pode causar relações sexuais dolorosas.

Infertilidade

Problemas de fertilidade em pacientes com diabetes tipo 2 são geralmente resultado da disfunção erétil e ejaculação retrógrada. Além disso, alterações também podem ser geradas nos espermatozoides que reduzem ou limitam a sua mobilidade para fertilizar um óvulo. É importante identificar e abordar a causa direta do problema com um profissional de saúde.

Possíveis complicações

As comorbidades do diabetes tipo 2 são atribuídas a danos nos tecidos causados por hiperglicemia e resistência à insulina. A curto prazo, existem condições que podem surgir abruptamente e ser fatais.

O coma hipoglicêmico, a cetoacidose diabética e os estados hiperosmolares hiperglicêmicos são as principais complicações agudas do diabetes tipo 2.

Por outro lado, existem patologias que ocorrem depois de anos ou décadas e que podem ser aceleradas dependendo do estilo de vida e controle da glicemia. Entre as principais complicações crônicas do diabetes tipo 2 estão as seguintes:

  • Doenças coronárias e cerebrovasculares.
  • Retinopatia diabética.
  • Insuficiência renal.
  • Neuropatia periférica.
  • Pé diabético e amputação.
  • Gastroparesia.
  • Doenças bucais e periodontais.
  • Infecções recorrentes.
  • Demência e Alzheimer.

Quando procurar assistência médica?

O diabetes mellitus tende a progredir lentamente, então a maioria dos sintomas tende a passar despercebidos. Sede excessiva, aumento do apetite e micção frequente são sintomas clássicos do diabetes tipo 2. Caso perceba esses sintomas ou de qualquer outro indício, não hesite em procurar atendimento médico o mais rápido possível.

Assim que a doença for diagnosticada, o médico poderá fazer o encaminhamento a um endocrinologista, que monitorará a condição e iniciará a abordagem necessária para controlar o diabetes.

Uma doença ligada ao estilo de vida

O diabetes tipo 2 é atualmente reconhecido como uma doença relacionada ao estilo de vida. Nesse sentido, é aconselhável abordar os fatores de risco e hábitos que condicionam o desenvolvimento desta patologia.

A obesidade abdominal em homens promove o aparecimento de sintomas de diabetes tipo 2. Por isso, a redução de peso, uma alimentação saudável e a prática de exercícios físicos são fundamentais na prevenção de complicações e sequelas.

It might interest you...
As 8 doenças mais comuns em homens e seu tratamento
Muy SaludLeia em Muy Salud
As 8 doenças mais comuns em homens e seu tratamento

As doenças mais comuns em homens podem ser de origem genética, metabólica, anatômica ou social.



  • Yao Q, Wang B, An X, Zhang J, Ding L. Testosterone level and risk of type 2 diabetes in men: a systematic review and meta-analysis. Endocrine Connections. 2018;7(1):220-231.
  • Bardellini Ortiz MA, Canales RE, Robles Heredia KG, Cabello Morales EA, Salmavides F. Asociación entre la resistencia a la insulina y acantosis nigricans en niños con obesidad en un hospital de tercer nivel en Lima, 2018 – 2019. Acta Med Peru. 2020;37(3):318-23.
  • Nordström A, Hadrévi J, Olsson T, Franks P, Nordström P. Higher Prevalence of Type 2 Diabetes in Men Than in Women Is Associated With Differences in Visceral Fat Mass. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. 2016;101(10):3740-3746.
  • López C, Heredia M, González R, Rosales E. Disfunción eréctil en portadores de diabetes mellitus tipo 2 en edad productiva. Rev Med Chile 2013; 141: 1555-1559.
  • Chatterjee S, Khunti K, Davies MJ. Type 2 diabetes. Lancet. 2017 Jun 3;389(10085):2239-2251.
  • Vijan S. In the clinic. Type 2 diabetes. Ann Intern Med. 2015 Mar 3;162(5):ITC1-16.