Diabetes e boca seca: como estão relacionados?

A boca seca é um dos primeiros sintomas de diabetes detectados pelos pacientes. Infelizmente, a sensação é muito desconfortável e predispõe ao aparecimento de doenças bucais.
Diabetes e boca seca: como estão relacionados?

Escrito por Luis Rodolfo Rojas Gonzalez, 01 Julho, 2021

Última atualização: 01 Julho, 2021

O diabetes é uma doença metabólica associada a complicações graves no coração, rins, cérebro e olhos. No entanto, essa patologia pode causar problemas na boca e nas gengivas. Você está interessado em saber como o diabetes e a boca seca estão relacionados? Vamos te contar a seguir.

A sensação de boca seca, em que a pessoa percebe uma falta parcial ou total de saliva é conhecida como xerostomia. Estudos estimam uma incidência de mais de 20% em pessoas com mais de 60 anos, associadas a doenças crônicas. Da mesma forma, a boca seca geralmente é um sintoma típico de diabetes que pode promover complicações como gengivite ou periodontite.

Sintomas da boca seca

O diabetes e a boca seca geralmente são resolvidos temporariamente com água potável.
Pessoas diabéticas com algum tipo de distúrbio metabólico geralmente precisam de grandes quantidades de água para matar a sede.

A saliva é essencial para a manutenção e proteção da saúde bucal. Ela favorece a preservação dos dentes, a eliminação de agentes nocivos, regulação do pH da boca e a deglutição.

Quando há deficiência de saliva no diabetes, é gerada uma sensação incômoda de boca seca que atinge o paciente à noite ou ao acordar. Além disso, a boca seca pode se manifestar acompanhada pelos seguintes sintomas:

  • Lábios secos, pálidos e rachados.
  • Sensação de queimação na boca e gengivas.
  • Dor na cavidade oral.
  • Dificuldade em mastigar, engolir e falar.
  • Língua áspera, seca e pálida.
  • Aftas ou úlceras.

Pacientes com diabetes que apresentam boca seca costumam apresentar infecções orais recorrentes como gengivite, além de cáries e perda de esmalte dentário. Tudo isso em decorrência da alteração da microbiota oral, bem como do desgaste estrutural das gengivas e dos dentes.

O que pode causar a sensação de boca seca no diabetes?

O diabetes mellitus é uma condição caracterizada por altos níveis de açúcar ou glicose no sangue. Esse fato favorece o aparecimento dos sintomas típicos da doença e favorece o desenvolvimento de complicações a curto e longo prazo.

Geralmente, a sensação de boca seca presente em pacientes com diabetes tipo 1 e tipo 2 é o resultado de um aumento na frequência e no volume da micção. Nesse sentido, o excesso de açúcar no sangue promove a filtração renal da urina, aumentando a perda de fluidos e elevando a osmolalidade plasmática.

Essa situação gera um estado de desidratação relativa que altera a produção de saliva, tanto em quantidade quanto em composição. Quando há deficiência de saliva, as mucosas da cavidade oral perdem a umidade e o paciente com diabetes manifesta a sensação de boca seca.

Da mesma forma, é comum a pessoa ter uma necessidade urgente de beber líquidos ou polidipsia, sintoma que é parte fundamental dos três “Ps” do diabetes.

Algumas pesquisas afirmam que a deficiência de saliva faz parte da patogênese das doenças periodontais e piora o controle glicêmico. Da mesma forma, existem outras condições que podem ocorrer em diabéticos que promovem e aumentam sensação de boca seca, entre as quais estão as seguintes:

Sialose diabética

A sialose é uma doença das glândulas produtoras de saliva que se apresenta como um aumento bilateral indolor das glândulas principais. A glândula parótida é a mais acometida e seu principal sintoma é a sensação de boca seca.

A longo prazo, o diabetes é capaz de alterar a estrutura e o funcionamento dessas glândulas, comprometendo a excreção de saliva. Estudos sugerem que a sialose é comum em pacientes com alcoolismo crônico e diabéticos. No entanto, em pacientes com diabetes a protuberância glandular é maior, devido à infiltração de gordura.

Problemas renais

A lesão renal é uma das complicações mais temidas do diabetes mellitus. Em estágios avançados da doença, a hiperglicemia danifica as membranas e tecidos renais, promovendo a desregulação da filtração renal. Por esse motivo, ocorre um aumento progressivo da perda hídrica e na intensidade da desidratação dos pacientes.

Nesse sentido, a pessoa com diabetes apresentará mais sede, sensação de boca seca, pele e mucosas pálidas, além de alterações na consciência. Por esse motivo, o controle periódico da doença e da glicemia é essencial para evitar a insuficiência renal em estágio terminal.

Por outro lado, o diabetes insípido nefrogênico ou central pode alterar a capacidade renal de excretar urina. Esta é uma forma menos comum de diabetes, causada por uma desregulação do hormônio antidiurético. Esse hormônio é responsável por concentrar a urina e prevenir a perda de líquidos, por isso seu desequilíbrio promove a excreção de grandes quantidades de urina diluída, gerando uma maior sensação de sede.

Medicamentos

O diabetes e boca seca estão relacionados ao uso de medicamentos.
Pessoas com diabetes geralmente apresentam outras patologias associadas. Alguns dos medicamentos tomados podem causar xerostomia.

Em geral, alguns medicamentos usados no tratamento do diabetes e suas comorbidades podem causar a sensação de boca seca como efeito colateral. É o caso da metformina, um agente hipoglicemiante oral comumente usado no tratamento do diabetes tipo 2. Este medicamento está associado a efeitos adversos como cansaço, pele seca, boca seca e sonolência.

Por outro lado, a hipertensão que geralmente acompanha o diabetes é tratada com medicamentos que podem causar ressecamento da cavidade oral.

Entre esses medicamentos se destacam os diuréticos e inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ECA). Por este motivo, é necessário consultar um médico e conhecer as opções de tratamento e os efeitos associados.

Cetose dietética

A cetose dietética é um déficit de carboidratos com aumento do metabolismo de ácidos graxos induzido pela manutenção de uma dieta cetogênica. Estudos estimam que essa dieta é uma opção popular para pacientes com diabetes tipo 2.

Na dieta cetogênica, ocorre aumento na liberação de glicogênio e perda de líquidos. Portanto, geralmente causa sensação de boca seca e desidratação em pacientes com diabetes.

Nesse sentido, é importante consultar um médico especialista sobre qualquer plano alimentar a ser escolhido e avisar se ocorrer de algum desconforto que o obrigue a suspensão.

Cetoacidose diabética

A cetoacidose diabética é uma complicação comum em diabéticos tipo 1. É tipicamente caracterizada por hiperglicemia, hipercetonemia e acidose metabólica. Ocorre devido à deficiência de insulina que induz a metabolização de ácidos graxos e a produção de cetonas para energia.

Os níveis elevados de açúcar no sangue e de ácido promovem diurese osmótica e perda de líquidos. Nesse sentido, a pessoa pode apresentar vômitos, náuseas, boca seca, pele seca, dificuldade respiratória, distúrbio sensorial e coma. Essa alteração também pode se manifestar em alguns pacientes com diabetes tipo 2.

Tratamentos para a sensação de boca seca em diabéticos

Na maioria dos pacientes com diabetes, o controle adequado dos níveis de açúcar no sangue é a principal forma de aliviar os sintomas de boca seca. Da mesma forma, é fundamental identificar e tratar outras patologias que podem estar contribuindo para o desenvolvimento desse sintoma.

O Instituto Nacional de Investigación Dental y Craneofacial (NIDCR) recomenda as seguintes diretrizes para evitar ressecamento e manter a saúde bucal:

  • Assegurar a ingestão adequada de água ao longo do dia.
  • Evitar consumir alimentos e bebidas açucaradas ou salgadas.
  • Reduzir ou eliminar o consumo de cafeína.
  • Evitar o consumo excessivo de cigarros e álcool.
  • Usar equipamento de umidificação à noite ou no trabalho.
  • Consumir os medicamentos recomendados pelo dentista ou médico.
  • Praticar a higiene dental adequada, escovando os dentes duas vezes ao dia e usando o fio dental regularmente.

Uma condição que não deve ser subestimada

A sensação de boca seca é uma condição comum em pacientes com diabetes, que frequentemente causa mal estar e desconforto durante o dia. Em geral, as pessoas tendem a ignorar esse sintoma e não prestam atenção a ele. No entanto, deve-se levar em consideração que a secura oral está diretamente associada à desidratação e hiperglicemia.

Por esse motivo, essa manifestação é um sinal precoce de que algo está errado. Caso você tenha a sensação constante de boca seca ou outros sintomas estranhos, não hesite em consultar um médico. Os profissionais de saúde são treinados para cuidar do seu problema e oferecer a ajuda de que você precisa.

Pode interessar a você...
O diabetes pode causar diarreia?
Muy Salud
Leia em Muy Salud
O diabetes pode causar diarreia?

Os efeitos gastrointestinais do diabetes são os mais negligenciados. Você quer saber se o diabetes pode causar diarreia? Continue lendo!



  • González Jiménez E, Aguilar Cordero M, Guisado Barrilao R, Tristán Fernández J et al. Xerostomía: Diagnóstico y Manejo Clínico. Rev Clin Med Fam. 2009; 2( 6 ): 300-304.
  • García Mateos M, Ortiz Urdiain F. Manifestaciones orales como primer signo de diabetes mellitus. SEMERGEN – Medicina de Familia. 2004; 30(4): 169-174.
  • Carda C, Carranza M, Arriaga A, Díaz A et al. Diferencias estructurales entre las sialosis parotidea de etiología diabética y alcohólica. Med. oral patol. oral cir. bucal. 2005;  10( 4 ): 309-314.
  • Ludwig D. The Ketogenic Diet: Evidence for Optimism but High-Quality Research Needed. The Journal of Nutrition. 2020; 150(6): 1354–1359.
  • López-Pintor RM, Casañas E, González-Serrano J, Serrano J et al. Xerostomia, Hyposalivation, and Salivary Flow in Diabetes Patients. J Diabetes Res. 2016;2016:4372852.
  • Mauri-Obradors E, Estrugo-Devesa A, Jané-Salas E, Viñas M, López-López J. Oral manifestations of Diabetes Mellitus. A systematic review. Med Oral Patol Oral Cir Bucal. 2017;22(5):e586-e594.