Sintomas da doença de Parkinson

Dificuldade de movimento e tremores são alguns dos sintomas mais associados à doença de Parkinson. No entanto, de acordo com a The Parkinson's Foundation, existem outros sinais aos quais também devemos prestar atenção.
Sintomas da doença de Parkinson

Escrito por Maite Córdova Vena, 05 Agosto, 2021

Última atualização: 10 Agosto, 2021

Alguns dos sintomas mais característicos da doença de Parkinson são rigidez, tremores nas mãos (ou melhor, nas extremidades), dificuldades de movimentação e instabilidade postural. No entanto, esses são os únicos sintomas que podem ocorrer durante a doença? A verdade é que não.

Os pacientes com Parkinson podem apresentar uma variedade de sintomas à medida em que a doença avança. O tratamento ajuda a retardar a progressão mas, mesmo assim, podem ocorrer altos e baixos.

Também é preciso ter em mente que cada caso é diferente. Nesse sentido, o Manual MSD e a The Michael J. Fox Foundation for Parkinson’s Research afirmam que há pessoas que nunca manifestam tremor, e que em outras isso se torna menos evidente à medida que o Parkinson progride.

Sintomas frequentes

Rigidez, tremor (mesmo quando os músculos estão relaxados e em repouso), movimentos lentos e perda de coordenação e equilíbrio são alguns dos sintomas mais comuns da doença de Parkinson.

Tremores

Os sintomas da doença de Parkinson incluem tremores.
Os tremores podem ser especialmente incapacitantes para algumas pessoas, devido à óbvia limitação que isso acarreta para a realização das atividades diárias.

O tremor ocorre mesmo quando os músculos estão relaxados e em repouso. De acordo com o Manual MSD, este é um dos sintomas mais característicos do Parkinson. Embora existam pacientes que nunca o experimentam, mais da metade costuma apresentar esse sintoma. E entre aqueles que o experimentam, há casos em que, com o passar do tempo, o tremor se torna mais brando.

O sintoma se manifesta de forma abrupta e ritmada. Geralmente começa com uma mão que está em repouso. Há casos em que ele afeta todo o braço, ou ambos braços e pernas.

Os tremores geralmente diminuem com movimentos voluntários e desaparecem completamente durante o sono. Por outro lado, podem ser agravados por estresse emocional e fadiga.

Rigidez

A rigidez muscular é outro dos sintomas mais comuns da doença de Parkinson. Ela não apenas atrapalha os movimentos do paciente, mas também produz resistência quando o médico tenta mover ou flexionar um membro (o braço, por exemplo) do paciente para examiná-lo. Isso é conhecido como hipertonia muscular.

Quando a resistência é superada, o movimento não é fluido, começa e para repetidamente. Isso é conhecido como rigidez da roda dentada.

Arrastar os pés ao caminhar

Considerando que a doença de Parkinson dificulta a movimentação em todas as direções, não é de se estranhar que ela também influencie na maneira como a pessoa caminha. Geralmente, os pacientes acham tão difícil endireitar as pernas ao caminhar quanto levantá-las. Consequentemente, eles arrastam os pés e se movem lentamente. Isso é conhecido como marcha lenta.

Além disso, segundo a Asociación Parkinson Madrid, “às vezes são dados passos rápidos e curtos (festinação), com dificuldade em ficar em pé. Episódios de congelamento (os pés parecem colados ao solo)”.

Movimentos lentos

Movimento lento (bradicinesia) é outro dos sintomas mais comuns da doença de Parkinson. Ele ocorre tanto em movimentos voluntários quanto nos automáticos.

Um paciente com Parkinson pode não apenas andar devagar, mas também manter os braços quase imóveis ao fazê-lo, quando seria normal balançá-los levemente.

A lentidão afeta não apenas os membros, mas também pode ser evidenciada na escrita, no piscar dos olhos e na expressão facial. Assim, o paciente pode piscar mais lentamente e apresentar progressivamente menos expressividade facial. A lentidão muitas vezes anda de mãos dadas com a falta de jeito no manuseio de objetos.

Dificuldade de fala

O tremor pode afetar a área da mandíbula e da língua, o que por sua vez pode causar problemas de fala. O mais comum é que os pacientes falem devagar, com voz monótona e, às vezes, gaguejam devido à dificuldade em articular as palavras.

Letra pequena

Os sintomas da doença de Parkinson incluem dificuldade para escrever.
Além da tendência de escrever em letras pequenas, as pessoas afetadas podem ter dificuldades para usar o lápis e até mesmo para começar ou terminar de escrever.

Devido a tudo isso, os pacientes com Parkinson também têm dificuldade para escrever e realizar tarefas relacionadas. Eles geralmente escrevem devagar porque têm dificuldade em realizar os traços, e a caligrafia é confusa e de tamanho pequeno (conhecido como micrografia).

Falta de expressão facial

À medida em que a doença progride, a expressividade facial da pessoa com doença de Parkinson diminui. Isso ocorre porque a mobilidade dos músculos faciais é diminuída. Isso é conhecido como hiponímia.

Além de apresentar o rosto inexpressivo, o paciente pode ficar com a boca entreaberta, babar e ter dificuldade para falar e engolir, conforme informado pela Asociación Parkinson Burgos.

Apatia e transtornos de humor

Como indicam as evidências científicas, transtornos do humor não são incomuns na doença de Parkinson. Depressão e ansiedade são alguns dos sintomas mais observados, e também podem ser acompanhados por estados de apatia e outros.

Mudanças na pele

Embora seja verdade que a pele tende a ficar mais seca à medida em que envelhece, no caso dos pacientes com Parkinson esse ressecamento pode ser mais pronunciado. No entanto isso ainda está sendo estudado, pois em alguns pacientes a pele apresenta uma tendência de oleosidade ao invés de ressecamento.

Por outro lado, de acordo com algumas pesquisas, os pacientes podem apresentar outras alterações cutâneas, como erupões acneiformes, dermatite seborreica, aumento da sudorese e seborreia.

Problemas para dormir

Embora o tremor geralmente desapareça durante o repouso noturno, os pacientes com Parkinson podem ter problemas para dormir por outros motivos. Por exemplo, eles podem ter o desejo de se levantar para urinar com frequência ou experimentar um agravamento de outros sintomas.

A insônia é um distúrbio comum, bem como um transtorno do sono REM. Eles podem contribuir para problemas cognitivos, sonolência diurna e depressão.

Sintomas raros

Além dos sintomas já mencionados, os pacientes podem apresentar outros sintomas, como os que discutiremos a seguir.

Choro inexplicável

“A síndrome pseudobulbar (PBA) é a expressão de riso ou choro involuntário e incontrolável”, explica um estudo que incluiu na amostra um grupo de pacientes com doença de Parkinson.

Pressão arterial baixa ou flutuações na pressão arterial

Quando o paciente se levanta ou faz outras alterações posturais semelhantes, pode ocorrer uma queda repentina da pressão arterial, conhecida como hipotensão ortostática.

Esquecimento

Como explica a Parkinson’s Foundation:

“Uma ampla gama de mudanças no pensamento e na memória pode ocorrer em pessoas com doença de Parkinson, incluindo processos de pensamento lentos, esquecimento, confusão sobre tarefas rotineiras, julgamento pobre, comportamentos compulsivos, paranoia, ansiedade e mudanças de personalidade”.

Em estágios mais avançados, o paciente com Parkinson pode ter não apenas problemas de memória, mas também desenvolver demência.

Sintomas e complicações em estágio avançado

Em estágios avançados a doença de Parkinson pode se apresentar com outros sintomas além dos já mencionados. Alguns deles seriam discinesia, postura encurvada, problemas de deglutição, prisão de ventre, retenção urinária, problemas de equilíbrio, fadiga crônica, congelamento ou freezing, entre outros.

Quando ir ao médico?

Caso sejam notados vários dos sintomas da doença de Parkinson mencionados acima, é importante consultar um médico para fazer um check-up. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, mais cedo será possível saber qual é a origem do problema e qual é o tratamento mais adequado.

Pode interessar a você...
O que é reabilitação cognitiva?
Muy SaludLeia em Muy Salud
O que é reabilitação cognitiva?

O que é reabilitação cognitiva? Quais são os benefícios para as pessoas com lesão cerebral? Vamos te contar tudo no artigo a seguir.