Doenças infecciosas

As doenças infecciosas são caracterizadas pelo aparecimento de diversos sintomas, entre os quais podemos citar febre, mal-estar geral e fraqueza. No entanto, cada doença desenvolverá sintomas característicos.
Doenças infecciosas
María Vijande

Escrito e verificado por la farmacéutica María Vijande em 11 Agosto, 2021.

Última atualização: 11 Agosto, 2021

As doenças infecciosas são desenvolvidas por microrganismos patogênicos como vírus, bactérias, fungos ou parasitas. Essas patologias são transmitidas direta ou indiretamente de uma pessoa para outra. Nesse sentido, quando uma doença pode ser transmitida de um animal para a espécie humana, ela é denominada como zoonose.

As doenças infecciosas são caracterizadas pelo aparecimento de diversos sintomas, entre os quais podemos citar febre, mal-estar geral e fraqueza. No entanto, cada doença desenvolverá sintomas característicos. Ainda assim, todas as doenças infecciosas passam por três etapas:

  1. Período de incubação: é o tempo decorrido entre a entrada do agente no organismo e o aparecimento dos primeiros sintomas. Nessa etapa o patógeno pode se multiplicar e se espalhar pelas áreas de ataque. A duração desse período depende do microrganismo responsável pela doença.
  2. Período de desenvolvimento: é nesta etapa que aparecem os sintomas da doença.
  3. Convalescença: é a última etapa, quando a doença desaparece e o paciente se recupera da infecção.

A seguir, explicaremos quais são as doenças infecciosas mais comuns:

  • Pneumonia.
  • Hepatite A.
  • Dengue.
  • Chikungunya.
  • Tuberculose.
  • HIV.
  • Vírus do papiloma humano (HPV).
  • Malária.
  • Zika Vírus.
  • Febre amarela.

1. Pneumonia

A pneumonia afeta o parênquima pulmonar. Ela se desenvolve causando uma reação inflamatória em resposta à presença microorganismos. Nos casos mais graves, essa doença pode se espalhar do pulmão para outros órgãos.

Para tratá-la costumam ser utilizados antibióticos adaptados à idade do paciente, comorbidades, gravidade do quadro e local de contaminação pela infecção. Durante o período em que o vírus da gripe circula e em casos graves, também são usados antivirais.

Medicação.

2. Hepatite A

Esta doença infecciosa é causada pelo vírus da hepatite A, ou HAV, que é transmitido por meio de alimentos ou água contaminados. Em relação à prevalência, é mais frequente em países subdesenvolvidos, onde as medidas de higiene são deficientes.

A hepatite A é caracterizada por uma inflamação aguda, que geralmente se autoalimenta no fígado. O quadro clínico varia de acordo com o paciente. No entanto, o risco de desenvolver sintomas e a gravidade dos mesmos aumenta à medida em que o paciente envelhece.

Os sintomas típicos da hepatite A são:

  • Icterícia: tonalidade amarelada na pele e nos olhos.
  • Colúria: cor escura da urina.
  • Dor abdominal.

Não existe um tratamento antiviral específico, pois essa é uma doença autolimitada. Por esse motivo é feita uma terapia de suporte de forma sistemática.

3. Dengue

A dengue é uma doença infecciosa transmitida pela picada de mosquitos fêmeas do gênero Aedes sp que estejam infectadas. Ela é semelhante à gripe, mas muito mais intensa. Afeta principalmente a lactantes, crianças pequenas e adultos.

Essa doença ocorre essencialmente em habitantes de zonas tropicais e subtropicais. Quanto aos sintomas, estes aparecem de 3 a 14 dias após a picada da fêmea do mosquito. Entre os mais frequentes estão:

  • Febre.
  • Intensas dores de cabeça.
  • Dor muscular e nas articulações.
  • Exantema.

Não existe um tratamento específico para tratar essa doença. A dengue é uma complicação com risco de vida, mas o diagnóstico precoce e um atendimento clínico por profissionais de saúde experientes costuma salvar a vida do paciente.

Leia também: O que é enxaqueca?

4. Chikungunya

Da mesma forma que outras doenças infecciosas como a dengue, a Chikungunya também é transmitida pela picada de uma fêmea de mosquito que está infectada. No entanto, neste caso as espécies infecciosas são Aedes aegypti e Aedes albopictus, infectadas por um vírus de RNA do gênero alfavírus.

Elas costumam picar durante o dia, principalmente no início da manhã e no final da tarde. A Chikungunya aparece de 4 a 8 dias após a picada. Este período sintomático pode aumentar. A infecção pelos mosquitos Aedes é caracterizada por febre repentina, dores musculares e nas articulações, dores de cabeça, náuseas, cansaço e erupções cutâneas.

Quanto ao desfecho, a maioria dos pacientes se recupera completamente. Além disso, eles costumam apresentar apenas os sintomas mais leves, e a infecção pode passar despercebida. Não existe um tratamento específico para esta doença infecciosa. A cura se concentra no alívio dos sintomas.

5. Tuberculose

Esta doença infecciosa é causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, conhecida como bacilo de Koch. Esse nome homenageia o cientista que descobriu a doença, Robert Koch.

A tuberculose é transmitida por via aérea e a pessoa infectada pode ou não desenvolver sintomas. 10% dos pacientes desenvolvem a doença ao longo da vida. Os sintomas típicos incluem:

  • Tosse.
  • Expectoração.
  • Mal-estar geral.
  • Febre.
  • Sudorese.

Para tratar esta doença infecciosa, medicamentos antituberculose são administrados. Os mais usados clinicamente são rifampicina, isoniazida, etambutol e pirazinamida. O médico estabelecerá o padrão de administração desses medicamentos.

6. HIV

HIV é o vírus da imunodeficiência humana ou AIDS. Essa doença, como o próprio nome sugere, causa um enfraquecimento do sistema imunológico do paciente, principalmente dos linfócitos T CD4.

Do ponto de vista clínico, o paciente pode ser totalmente assintomático, denominado portador do vírus, ou apresentar infecções, que podem ser de dois tipos:

  • Caráter leve: são pacientes sintomáticos.
  • Caráter moderado: também conhecido com oportunista. Este último estágio é conhecido como síndrome da imunodeficiência adquirida.

Normalmente, a infecção aguda por HIV não é acompanhada de sintomas, ou eles passam despercebidos. No entanto, alguns pacientes podem apresentar alguns deles, sendo os mais comuns os seguintes:

Além dos sintomas mencionados, podem ocorrer outros mais marcantes e específicos dessa doença infecciosa, como manchas na pele, meningite viral ou aumento do tamanho dos linfonodos.

Também pode te interessar: 4 medicamentos para baixar a febre

Em termos de tratamento, ao contrário de outras doenças infecciosas, os medicamentos antiretrovirais são usados para tratar o HIV. Atualmente, o tratamento baseado na administração de 3 tipos desses medicamentos é altamente eficaz, sendo bem tolerado e de administração simples, pois requer apenas uma dose diária.

7. Vírus do papiloma humano

O vírus do papiloma humano ou HPV engloba mais de 100 cepas diferentes de um mesmo vírus. Alguns deles causam infecção na pele e outros nas membranas mucosas. Trata-se de uma doença infecciosa sexualmente transmissível. Portanto, a melhor medida de prevenção é a proteção durante as práticas sexuais.

Por outro lado, em termos de sintomas, a doença se caracteriza pelo desenvolvimento de verrugas virais. Além disso, o vírus do papiloma humano está associado ao aparecimento de certos tipos de câncer genital.

Por fim, deve-se levar em consideração que, por se tratar de uma doença de origem viral, não existe um tratamento que erradique completamente a infecção. A maioria dos quadros clínicos desaparece por conta própria. Normalmente os tratamentos buscam erradicar verrugas.

Sexualidade, hipersexualidade, sexo, casal.

8. Malária

Esta doença também é conhecida pelo nome de paludismo. É causada pela picada de uma fêmea do mosquito do gênero Anopheles infectada por um parasita, Plasmodium sp.

A malária produz uma série de sintomas como febre, dor de cabeça, calafrios, vômitos e sintomas semelhantes aos da gripe. Trata-se de uma doença grave que, se não tratada, pode levar à morte do paciente.

Por isso o tratamento da malária deve ser rápido e baseado na combinação de medicamentos. No entanto, em muitas áreas do mundo, os parasitas se tornaram resistentes a vários medicamentos antimaláricos.

9. Zika vírus

A infecção pelo Zika vírus ocorre da mesma forma que a dengue, a Chikungunya e a febre amarela, ou seja, por um mosquito Aedes aegypti infectado pelo vírus.

Porém, neste caso há evidências de transmissão sexual da infecção, uma vez que o vírus foi isolado do sêmen.

Em relação aos sintomas de infecção pelo Zika vírus, podemos citar:

  • Febre leve.
  • Exantema.
  • Conjuntivite .
  • Dor muscular.
  • Mal-estar geral.

Da mesma forma que para outras doenças infecciosas, o tratamento se baseia na redução da febre e quaisquer outros sintomas presentes. Portanto, é sintomático, pois não existe vacina nem tratamento específico que cure a infecção.

10. Febre amarela

A febre amarela é uma doença viral e hemorrágica. É outra doença infecciosa transmitida, como já mencionamos, por um mosquito infectado, o Aedes aegypti. O que é chamado de febre “amarela” se refere à icterícia que alguns pacientes apresentam.

Depois que uma pessoa é infectada, a febre amarela pode se desenvolver em uma ou duas fases. A primeira, que é a fase aguda, geralmente se apresenta com febre, mialgias, dores de cabeça e calafrios, entre outros. Se o paciente não superar essa primeira fase surge a segunda, mais tóxica. A maioria dos pacientes que a desenvolvem morre depois de 10 a 14 dias.

Não existe um tratamento específico para a febre amarela. A vacinação é a medida preventiva mais importante.

Pode interessar a você...
Germes: o que são, características e tipos
Muy SaludLeia em Muy Salud
Germes: o que são, características e tipos

Apresentamos aqui os 6 tipos de germes que existem na Terra, além de todas as suas características e exemplos de doenças que eles podem causar.



  • DREYER, M. S. (1956). Enfermedades infecciosas. Prensa Médica Argentina.
  • Alcaide, F., & Cayl, J. A. (2011). Enfermedades Infecciosas y Microbiologia Clinica: Introduction. Enfermedades Infecciosas y Microbiologia Clinica. https://doi.org/10.1016/j.eimc.2010.09.003
  • Cercenado, E. (2011). Enfermedades Infecciosas y Microbiología Clínica. Enfermedades infecciosas y microbiología clínica. https://doi.org/10.1016/S0213-005X(11)70045-3