Principais tipos de dor de cabeça

A dor de cabeça é um sintoma muito comum que pode ou não estar associado a outras condições. Neste artigo, resumiremos os principais tipos de dores de cabeça e suas características.
Principais tipos de dor de cabeça

Escrito por Sara Santos Lorente, 23 Julho, 2021

Última atualização: 23 Julho, 2021

A dor de cabeça ocorre por diferentes causas e é muito comum na sociedade. Ela é um sintoma inespecífico associado a muitas outras doenças primárias; mas também é um problema por si só, como é o caso da enxaqueca, por exemplo. Existem muitos tipos de dores de cabeça.

Em geral, as mulheres sofrem dores de cabeça com mais frequência do que os homens. Cerca de 10% da população sofre de enxaquecas, mas até 40% sofre de cefaleias tensionais. Outro tipo de dor de cabeça é a cefaleia em salvas, que afeta 1 em cada 1.000 pessoas.

Existem diferentes tipos de cefaleias que são classificadas como primárias e secundárias.

Dores de cabeça primárias

Enxaqueca

A enxaqueca é um tipo de cefaleia primária que afeta a aproximadamente 10% da população. Estima-se que ela seja o terceiro transtorno mais prevalente no mundo. Ela afeta especialmente a mulheres entre 25 e 55 anos.

A enxaqueca típica costuma ser de intensidade moderada a grave. Além disso, costuma aparecer em apenas um lado da cabeça (unilateral) e de maneira pulsátil.

A enxaqueca é classificada em dois tipos principais:

  • Enxaqueca episódica: as dores de cabeça aparecem na forma de um “ataque de enxaqueca” que dura entre 4 e 72 horas. As crises geralmente são acompanhadas por náuseas ou vontade de vomitar e hipersensibilidade à luz e ao ruído.
  • Enxaqueca crônica: neste caso, a dor de cabeça aparece por 15 ou mais dias por mês, por mais de três meses por ano.
A dor de cabeça ocorre por diferentes causas e é muito comum na sociedade

Cefaleia tensional

As cefaleias tensionais são um tipo muito comum de dor de cabeça; acredita-se que ela afete a aproximadamente 40% da população. O problema costuma aparecer entre as idades de 25 e 30 anos, afetando mais às mulheres. Neste caso, a dor de cabeça é caracterizada por ser bilateral e com uma sensação de aperto ou peso.

A cefaleia tensional é dividida em crônica ou episódica:

  • Cefaleia tensional episódica: pode ser mais ou menos frequente, ocorrendo até menos de uma vez por mês, mas quando é muito frequente pode causar incapacidade para quem sofre com ela. Nesse caso, geralmente é necessário um tratamento medicamentoso.
  • Cefaleia tensional crônica: neste caso a cefaleia é persistente e afeta significativamente a qualidade de vida dos pacientes.

Os mecanismos pelos quais ocorrem as cefaleias tensionais não são claros. Acredita-se que são os mecanismos mais periféricos produzam cefaleia do tipo episódica. Em contraste, acredita-se que a cefaleia tensional crônica esteja mais relacionada a processos a nível central.

Uma característica bastante comum em pessoas que sofrem desse tipo de dor de cabeça é uma maior sensibilidade dos músculos que circundam a cabeça, principalmente quando a dor é maior. Além disso, nem sempre é fácil distinguir entre uma cefaleia tensional e uma enxaqueca, quando ela é leve.

Cefaleia em salvas

A cefaleia em salvas aparece entre os 20 e os 40 anos de idade e é cerca de três vezes mais comum nos homens do que nas mulheres.

Nesse caso, a dor de cabeça é intensa e geralmente aparece em apenas um lado da cabeça, especialmente na área ao redor do olho. As crises costumam durar entre 15 e 180 minutos e a frequência de aparecimento pode variar desde uma vez em dias alternados a várias vezes no mesmo dia.

Além disso, os ataques costumam ocorrer em série ou “salvas”, que podem durar semanas ou meses, separados por meses ou mesmo anos. Alguns sintomas associados são olhos lacrimejantes, congestão nasal e/ou suor facial.

Em função disso, a cefaleia em salvas também é dividida em episódica ou crônica:

  • Cefaleia em salvas episódica: as dores de cabeça aparecem por períodos que duram de 7 dias a um ano, separadas por períodos de pelo menos três meses.
  • Cefaleia em salvas crônica: a cefaleia aparece por um ano ou mais, sem período de remissão ou com remissões que duram menos de 3 meses.
Enxaqueca, dor de cabeça.

Outras dores de cabeça primárias

Existem dores de cabeça com uma ampla variedade de causas que são consideradas primárias porque são provocadas por estímulos fisiológicos que, a princípio, não são prejudiciais ao organismo. Os mecanismos pelos quais esses tipos de dor de cabeça ocorrem não são conhecidos com certeza. Por exemplo, podemos incluir neste grupo:

  • Dores de cabeça associadas a esforços físicos (como tosse, exercícios ou atividade sexual).
  • Dores de cabeça devido ao frio ou pressão externa.
  • Dor no couro cabeludo.

Dores de cabeça secundárias

Nesse caso, a dor de cabeça surge por causa de outro problema de saúde anterior, por exemplo:

  • Dor de cabeça associada a um dano na cabeça ou pescoço.
  • Cefaleia devido a um distúrbio venoso cranial ou cervical.
  • Dor de cabeça devido à ingestão ou retirada de qualquer medicamento.
  • Dor de cabeça relacionada a uma infecção (por exemplo, quando estamos gripados).
  • Quando temos alguma problema no pescoço, olhos, nariz, boca ou dentes.
  • Cefaleias associadas a transtornos psiquiátricos.

Conclusão sobre a dor de cabeça

Existem muitos tipos de dor de cabeça. Elas são divididas em primárias ou secundárias, dependendo se são ou não causadas por outra patologia ou problema de saúde anterior. Em geral, elas afetam mais as mulheres do que os homens. O aparecimento desse sintoma é mais comum entre 20 e 55 anos.

As cefaleias primárias mais comuns são a enxaqueca, cefaleia tensional e cefaleia em salvas. A dor de cabeça, em suas diferentes formas, atinge grande parte da população, reduzindo a qualidade de vida das pessoas.

Pode interessar a você...
O cérebro pode sentir dor?
Muy SaludLeia em Muy Salud
O cérebro pode sentir dor?

O cérebro pode sentir dor? Como sentimos a dor? Por meio de quais estruturas? Vamos esclarecer todas essas questões através do artigo a seguir.



  • International Headache Society. ICHD-3 International Classification of Headache Disorders 3rd edition [Internet]. [cited 2019 Feb 5]. Available from: https://www.ichd-3.org/classification-outline/
  • Lozano J. Fisiopatología, diagnóstico y tratamiento de las cefaleas. Offarm. 2001;
  • Tobergte DR, Curtis S. Principios de neurología. J Chem Inf Model. 2013;
  • Volcy M. Cefalea tipo tensional: diagnóstico, fisiopatología y tratamiento. Acta Neurol Colomb. 2008;24(3):14–27.