Doença de Graves: sintomas, causas e tratamento

Uma das causas mais comuns de hipertireoidismo é a doença de Graves. Por sua vez, embora pareça ter uma origem predominantemente autoimune, também pode ser causada por outros fatores.
Doença de Graves: sintomas, causas e tratamento

Escrito por Maite Córdova Vena, 15 Julho, 2021

Última atualização: 15 Julho, 2021

Como em outras doenças autoimunes, na doença de Graves, o sistema imunológico ataca erroneamente as células da glândula tireoide, fazendo com que ela se torne hiperativa e produza quantidades excessivas de hormônios. Essa é uma das causas mais comuns de hipertireoidismo.

Embora possa haver exceções, a maioria dos pacientes tende a ter níveis elevados de tiroxina livre (T4) e triiodotironina (T3) e baixos níveis de TSH.

Sintomas

A doença de Graves causa hipertireoidismo
As pessoas com hipertireoidismo costumam apresentar episódios frequentes de ansiedade que podem orientar o diagnóstico.

É importante observar que a doença de Graves pode produzir uma ampla variedade de sintomas que são muito semelhantes a outras formas de hipertireoidismo. Se destacam:

  • Tontura
  • Diarréia.
  • Insônia.
  • Hipertensão arterial.
  • Palpitações.
  • Irritabilidade.
  • Intolerância ao calor.
  • Agitação e inquietação.
  • Aumento da transpiração.
  • Perda de peso sem motivo aparente.
  • Sensação de cansaço persistente.
  • Fraqueza muscular generalizada.
  • Enfraquecimento e queda de cabelo.
  • Alterações no ciclo menstrual.
  • Mudanças no apetite (aumento ou diminuição).

Em menor grau, também pode causar o seguinte:

  • Olhos esbugalhados (oftalmopatia de Graves). Geralmente começa 6 meses antes ou depois do diagnóstico da doença de Graves.
  • Deformidades dos dedos das mãos e dos pés (baqueteamento digital).
  • Espessamento avermelhado e irregular da pele das pernas (mixedema pré-tibial).

    De acordo com um artigo publicado na  Anales de Medicina Interna “a doença de Graves é clinicamente diferenciada de outras formas de hipertireoidismo pela presença de bócio difuso, oftalmopatia e, ocasionalmente, mixedema pré-tibial.”

    Isso significa que a dilatação da tireoide (mais conhecida como bócio) é considerada um dos sintomas mais comuns, embora não esteja necessariamente presente em todos os casos.

    Complicações

    Se a doença de Graves não for tratada, a pessoa pode correr um risco maior e apresentar várias complicações, como:

    • Osteoporose.
    • Crise da tireóide.
    • Doenças cardíacas (como insuficiência cardíaca ).
    • Problemas na gravidez.

    Causas

    Como explicam os especialistas da American Thyroid Association, parece que essa doença tem origem autoimune. “Os anticorpos se ligam à superfície das células da tireoide, estimulando-as a produzir o excesso de hormônios da tireoide.” Isso é o que produz a hiperatividade da glândula.

    Eles também explicam que um alto nível de estresse costuma ser considerado um importante fator de risco. Porém, há pacientes que não relatam ter passado por nenhum período particularmente estressante recentemente nem estão estressados no momento.

    A este respeito, segundo artigo publicado no European Journal of Endocrinology, “o papel do stress na fisiopatologia da doença de Graves é sugerido por várias observações clínicas e pelos avanços recentes da imunologia e da melhor compreensão das doenças autoimunes”..

    No entanto, ainda são necessárias evidências que confirmem a influência do estresse e seu respectivo mecanismo. Outros fatores de risco a serem considerados seriam os seguintes:

    • Idade: a doença de Graves é mais comum em pessoas com menos de 40 anos.
    • Sexo: observou-se que a doença costuma ser mais comum em mulheres.
    • Histórico familiar: de doença de Graves e de outras doenças autoimunes.
    • Gravidez e histórico familiar: também são fatores de risco.
    • Fumar : Fumar pode causar mau funcionamento da tireoide.

    Diagnóstico

    A doença de Graves possui vários métodos de diagnósticos
    Os exames laboratoriais são essenciais para o diagnóstico da doença de Graves.

    Para chegar ao diagnóstico da doença de Graves, o médico fará uma entrevista e um exame físico à pessoa. Este último incluirá uma avaliação do pescoço (para detectar bócio, nódulos, etc.). Eles também solicitarão testes de tireoide, que podem incluir o seguinte:

    • Teste de TSH, T3, T4 e exame de sangue para anticorpos da tireoide.
    • Teste de absorção de iodo radioativo.
    • Tomografia computadorizada.
    • Ultrassom da tireoide.
    • Ressonância magnética.
    • Biópsia.

    Tratamento

    Determinar a causa é essencial para o tratamento da doença de Graves. Feito isso, uma estratégia ou outra pode ser estabelecida, dependendo do paciente,  da idade, sexo, etc. Deve-se notar que não é um tratamento curativo, mas um tratamento para regular a quantidade de hormônios tireoidianos e reduzir a gravidade dos sintomas.

    Medicamentos antitireoidianos (metimazol [encontrado em farmácias como Tapazol®]) ou propiltiouracil [encontrado em farmácias como PTU®] são frequentemente incluídos. Como o Manual do MSD explica, “Esses medicamentos bloqueiam a peroxidase da tireoide, reduzem a organificação do iodo e alteram a reação de acoplamento”:

    Embora não seja usual, em alguns casos, o iodo radioativo ou mesmo a cirurgia podem ser usados. No entanto, a cirurgia geralmente é usada para tratar o paciente caso seu corpo tenha rejeitado alguma das opções anteriores e quando o bócio atingiu um tamanho grande. É um procedimento que restaura a função normal e tem bastante sucesso.

    A pessoa pode precisar de outros medicamentos para tratar os sintomas persistentes e manter a doença sob controle. Mas, isso também exigirá monitoramento médico regular.

    Pode interessar a você...
    Tratamento de hipotireoidismo
    Muy SaludLeia em Muy Salud
    Tratamento de hipotireoidismo

    O tratamento do hipotireoidismo combina alguns medicamentos e várias medidas relacionadas ao estilo de vida. A seguir, mais detalhes.