Causas do câncer de pulmão

O câncer de pulmão não está associado apenas ao tabagismo. Vamos ver quais outros fatores podem provocar o seu desenvolvimento.
Causas do câncer de pulmão

Escrito por Josberth Johan Benitez Colmenares, 09 Agosto, 2021

Última atualização: 10 Agosto, 2021

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 2,2 milhões de casos de câncer de pulmão foram diagnosticados em todo o mundo em 2020. Nesse mesmo ano, foram registradas 1,8 milhão de mortes, fazendo desse o câncer mais perigoso em termos de número de falecimentos. Apesar dessas estatísticas e da conscientização a respeito, boa parte da população ignora as causas do câncer de pulmão.

A maioria das pessoas associa esse tipo de câncer ao tabagismo. Embora seja verdade que uma grande porcentagem dos casos corresponda ao tabaco, existem outras causas e fatores de risco relatadas em milhares de diagnósticos anuais. Hoje descobriremos todos os fatores que aumentam a probabilidade de desenvolvimento de câncer de pulmão.

Principais causas do câncer de pulmão

O câncer de pulmão ocorre quando as células do pulmão sofrem mutação ou alteração. Esse processo geralmente é provocado pela interação com substâncias tóxicas, embora também possa se desenvolver sem um motivo aparente. Seguindo a American Lung Association, as principais causas de câncer de pulmão são as seguintes:

Fumo

As causas do câncer de pulmão incluem o tabagismo.
A influência da exposição à fumaça do cigarro no desenvolvimento do câncer de pulmão é tão grande que a maioria dos programas de prevenção tenta eliminar esse vício.

O tabagismo é a causa mais comum de câncer de pulmão. Segundo alguns pesquisadores, 90% dos casos podem ser atribuídos a esse hábito. O risco de desenvolver a doença é maior em homens do que em mulheres e, apesar de terem sido feitas tentativas nesse sentido, não existe consenso sobre qual seria a média de maços fumados por ano que incentiva a manifestação do câncer.

Embora os riscos sejam maiores para fumantes ativos, a inalação da fumaça de forma passiva também aumenta as chances de desenvolver a doença (conforme sugerem as evidências). O risco permanece latente entre os ex-fumantes, mesmo décadas depois deles terem parado de fumar. Porém, nesses casos o percentual é menor. Daí a importância de parar de fumar.

Exposição ao radônio

A exposição ao radônio, um gás naturalmente radioativo, é a segunda causa mais comum de câncer de pulmão. Estudos indicam que ele causa 21.000 mortes a cada ano através dessa doença. Paradoxalmente, os pesquisadores descobriram que até 50% da população não tem conhecimento sobre a sua incidência ou tem conceitos errôneos em relação a ela.

O radônio é um gás natural que podemos encontrar em solos rochosos. Ele é produzido pela decomposição do urânio, por isso está presente em quase todas as partes do mundo.

Na maioria dos lugares as concentrações desse gás não prejudicam a saúde, mas em certas áreas a exposição é maior. Existem testes de radônio vendidos em lojas de ferramentas para que você possa verificar os níveis da sua casa.

Exposição a certas substâncias químicas

Como apontamos no início, a exposição a produtos químicos é uma das principais causas do câncer de pulmão. Existem dezenas de produtos químicos associados a esse tipo de câncer. Destacaremos os mais importantes:

  • Amianto – o amianto é um grupo de minerais que foi utilizado durante décadas na indústria da construção. Atualmente existe um consenso entre os pesquisadores de que ele representa um risco para o desenvolvimento de câncer de pulmão.
  • Urânio: também existem evidências de que a exposição ao urânio aumenta o risco desse tipo de câncer. Pessoas que vivem ou viveram em áreas de mineração têm maior probabilidade de desenvolvê-lo.
  • Cádmio: em 1993, o cádmio foi descrito como cancerígeno para humanos pela IARC (Agência Internacional de Pesquisa em Câncer). Estudos também indicam que ele pode causar câncer de próstata.
  • Cromo: a exposição ao cromo tem sido associada a esta doença pulmonar. As evidências sugerem que ele também pode causar inflamação crônica e outros tipos de lesões.

Outros produtos químicos como arsênio, níquel, derivados de petróleo e fuligem, apenas para citar alguns, também foram associados à doença.

Contaminação por partículas

Esta categoria inclui todas as partículas sólidas ou líquidas encontradas no ar que respiramos. De acordo com a sua toxicidade, o risco de câncer de pulmão aumenta.

Os pesquisadores concordam há décadas que a fumaça produzida por veículos motorizados, resíduos industriais, usinas de energia e outros geradores estão ligados à doença.

Quanto maior o grau de contaminação da área geográfica onde você mora, maior a exposição dos seus pulmões a certas toxinas.

Genética

Finalmente, a última das causas mais comuns de câncer de pulmão é a predisposição genética. Se você tem histórico de câncer de pulmão ou outros tipos de câncer na sua rede familiar, mesmo que os critérios acima não sejam atendidos é provável que a doença seja desenvolvida no futuro.

Provável não significa com certeza, pois muitos casos não apresentam histórico familiar. Os pesquisadores tentaram encontrar os genes responsáveis. Até agora, os loci 5p15, 6p21 e 15q25 estão entre os principais suspeitos.

Ainda há um longo caminho a percorrer a esse respeito, embora o protagonismo genético explique muitos dos processos geradores da doença.

Fatores de risco para o câncer de pulmão

Além das causas anteriores também podemos citar alguns fatores de risco que influenciam no curso da doença. Entre os principais destacamos os seguintes.

Ingestão de suplementos vitamínicos

Como aponta a Johns Hopkins Medicine, os suplementos vitamínicos podem favorecer o desenvolvimento da doença. Especificamente, os suplementos de betacaroteno têm sido associados a essa variedade de câncer. Os riscos são maiores se a pessoa que mantém a ingestão for fumante ou consumir álcool de forma recorrente. A incidência diminui em pessoas sem esses hábitos.

Exposição à radioterapia

Este é um fator de risco destacado pelos Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Se você é um sobrevivente de câncer e durante o tratamento foi exposto à radioterapia, existe um risco maior de manifestar essa doença em comparação com uma pessoa saudável.

Idade

As causas do câncer de pulmão incluem idade avançada.
A idade é um fator de risco muito importante para o desenvolvimento deste e de outros tipos de tumores malignos.

Assim como acontece na maioria dos tipos de câncer, o risco aumenta com a idade. Estudos indicam que a maioria dos casos é diagnosticada em pacientes com mais de 60 anos.

Embora seja menos frequente que ele ocorra em pessoas com menos de 45 anos, a probabilidade ainda está latente. Como já mencionamos, esse tipo de câncer é mais comum em homens do que em mulheres.

Quando consultar um médico?

Tanto as causas quanto os fatores de risco devem alertar para a hora certa de procurar assistência médica. Se você é fumante, mesmo ocasional, deve saber dos riscos a que está se expondo a médio e longo prazo. Em Muy Salud, encorajamos o abandono desse hábito, especialmente se você o incluiu de forma permanente há pouco tempo.

Para isso você pode seguir o nosso guia para parar de fumar. Se quiser manter o hábito, recomendamos agendar visitas anuais com um especialista para descartar lesões pulmonares que possam levar ao câncer.

Se você esteve exposto por anos a algum dos agentes químicos mencionados, tem mais de 60 anos ou predisposição familiar, também deve procurar ajuda médica para descartar essa possibilidade.

Pode interessar a você...
Câncer de mama em homens
Muy SaludLeia em Muy Salud
Câncer de mama em homens

O câncer de mama em homens é uma condição muito rara que pode causar a morte de quem sofre dela, se não for diagnosticada a tempo.



  • Beaver LM, Stemmy EJ, Schwartz AM, Damsker JM, Constant SL, Ceryak SM, Patierno SR. Lung inflammation, injury, and proliferative response after repetitive particulate hexavalent chromium exposure. Environ Health Perspect. 2009 Dec;117(12):1896-902.
  • Blanco JA, Toste IS, Alvarez RF, Cuadrado GR, Gonzalvez AM, Martín IJ. Age, comorbidity, treatment decision and prognosis in lung cancer. Age Ageing. 2008 Nov;37(6):715-8.
  • Brennan, P., Hainaut, P., & Boffetta, P. Genetics of lung-cancer susceptibility. The lancet oncology. 2011; 12(4): 399-408.
  • Cohen AJ. Outdoor air pollution and lung cancer. Environ Health Perspect. 2000 Aug;108 Suppl 4(Suppl 4):743-50.
  • Mulloy KB, James DS, Mohs K, Kornfeld M. Lung cancer in a nonsmoking underground uranium miner. Environ Health Perspect. 2001 Mar;109(3):305-9.
  • Nielsen LS, Bælum J, Rasmussen J, Dahl S, Olsen KE, Albin M, Hansen NC, Sherson D. Occupational asbestos exposure and lung cancer–a systematic review of the literature. Arch Environ Occup Health. 2014;69(4):191-206.
  • Sethi, T. K., El-Ghamry, M. N., & Kloecker, G. H. Radon and lung cancer. Clin Adv Hematol Oncol. 2012; 10(3): 157-164.
  • Siddiqui, F., & Siddiqui, A. H. Cancer, lung. StatPearls [Internet]. 2020.
  • Taylor R, Cumming R, Woodward A, Black M. Passive smoking and lung cancer: a cumulative meta-analysis. Aust N Z J Public Health. 2001 Jun;25(3):203-11.
  • Verougstraete V, Lison D, Hotz P. Cadmium, lung and prostate cancer: a systematic review of recent epidemiological data. J Toxicol Environ Health B Crit Rev. 2003 May-Jun;6(3):227-55.
  • Vogeltanz-Holm N, Schwartz GG. Radon and lung cancer: What does the public really know? J Environ Radioact. 2018 Dec;192:26-31.