O que é enterografia por ressonância magnética?

A enteroressonância magnética é um exame cada vez mais utilizado no diagnóstico de complicações intestinais. Descubra o que esperar dela e como se preparar para o exame.
O que é enterografia por ressonância magnética?

Escrito por Josberth Johan Benitez Colmenares, 11 Julho, 2021

Última atualização: 11 Julho, 2021

A enterorressonância magnética é um exame de imagem utilizado por especialistas no processo diagnóstico de doenças que afetam o intestino delgado. O exame se baseia em campos magnéticos para criar imagens detalhadas e, como a Johns Hopkins Medicine nos lembra, não envolve nenhuma radiação. Hoje responderemos as dúvidas e preconceitos em torno do assunto.

Para que é usada a enterografia por ressonância magnética?

A enterografia por ressonância magnética é usada em pacientes com doenças gastrointestinais.
O fato de sofrer de uma patologia gastrointestinal crônica – como a síndrome do intestino irritável – pode tornar necessária a realização de exames especiais, que permitam avaliar a integridade do sistema digestivo.

Como já indicamos, o exame é particularmente útil para a obtenção de imagens detalhadas do intestino delgado. Com a ajuda delas, o médico pode encontrar os seguintes problemas:

  • Lágrimas na parede do intestino (mesmo as pequenas).
  • Áreas irritadas ou inflamadas.
  • Bloqueios ou obstruções do canal intestinal.
  • Úlceras ou bolsas cheias de pus no tecido de revestimento.
  • Sangramento em algum ponto do intestino delgado.

Esses cinco elementos são úteis para determinar a presença de certas doenças; por exemplo, estudos e pesquisas apoiam seu uso para detectar a doença de Crohn. Além disso, as evidências indicam que o exame pode ser usado para descartar a colite ulcerosa.

O uso de outros exames de imagem pode não ser suficiente para detectar essas condições. Diagnósticos mais precisos podem ser feitos com a ajuda da enterografia por ressonância magnética, sem recorrer a procedimentos invasivos. Mas ela não é usada apenas para fazer o diagnóstico, como também nos seguintes casos:

  • Acompanhamento da doença.
  • Avaliação da resposta do corpo ao tratamento.
  • Monitoramento de possíveis complicações que não geram sintomas óbvios.

Em relação a este último, a enterografia por ressonância magnética pode detectar pequenos tumores com grande precisão. Como os raios X não são necessários, esse é um processo que evita o acúmulo ionizante no paciente.

Quais são os riscos da enterografia por ressonância magnética?

Como outros testes desse tipo, a enterografia por ressonância magnética acarreta vários riscos para os pacientes. Os mais importantes são descritos a seguir:

  • O campo magnético gerado pode interromper a operação de alguns instrumentos implantados em pacientes (marca-passos, implantes de ouvido, desfibriladores, clipe para aneurisma cerebral e assim por diante).
  • O material de contraste pode causar reações alérgicas em algumas pessoas.
  • Em pacientes com deficiência hepática, o meio de contraste pode causar problemas nesse órgão.

Embora as evidências não pareçam associar complicações, o uso geralmente é evitado em gestantes, principalmente nas que têm menos de três meses de gravidez, uma vez que não existem estudos suficientes que avaliem os riscos ou sequelas.

Como se preparar para o teste?

Se o seu médico sugeriu este exame, há várias coisas que você deve considerar. A princípio, argumente com ele se você pertence aos grupos de complicações mencionadas acima (isto é, se você está grávida, sofre de doença hepática ou tem qualquer dispositivo inserido em seu corpo).

Avalie os prós e os contras de fazer o exame e discuta as alternativas disponíveis. Como o exame leva em média 45 minutos, alguns pacientes podem sentir ansiedade ou claustrofobia. Portanto, também pode ser necessário discutir a possibilidade do uso de um sedativo para evitar episódios de crise. Outras coisas a serem lembradas são as seguintes:

  • Faça um exame de sangue geral para avaliar a saúde.
  • Consulte um especialista se precisar abandonar temporariamente qualquer tratamento medicamentoso em andamento.
  • Considere o uso de tampões de ouvido se a audição for muito sensível.
  • Não use joias, piercings ou outros acessórios no dia do exame.
  • Evite comer ou beber seis horas antes do procedimento.
  • Esteja acompanhado caso tenha alta no mesmo dia (é o mais comum).

Você também deve falar com o especialista se tiver tendência a alergias. Embora as chances sejam muito baixas, o meio de contraste usado pode causar  reação em alguns pacientes. O médico fará um pequeno teste para determinar a resposta do seu corpo.

Além disso, aconselhamos que você converse com o especialista sobre os reais motivos pelos quais será feita a enterografia por ressonância magnética. Você deve estar ciente do que está procurando e quais são as possíveis doenças ou danos que podem ser encontrados através do exame.

O que você pode esperar durante uma enterografia de ressonância magnética?

A enterografia por ressonância magnética é realizada por radiologistas.
Conversar com o médico antes e depois do exame é importante para esclarecer todas as dúvidas e saber o que esperar do procedimento.

Em média, a duração de uma enterografia por ressonância magnética é de 45 minutos. Você não sentirá qualquer tipo de dor, embora possa se sentir desconfortável por estar imóvel por tanto tempo ou pelos ruídos da máquina. É muito importante que você limite os movimentos, caso contrário as imagens perderão a precisão. O procedimento, em geral, consiste no seguinte:

  1. O médico administrará um sedativo para evitar episódios de claustrofobia (caso necessário).
  2. Sua roupa será substituída por um robe para maior conforto.
  3. Você receberá o material de contraste por via oral. Isso geralmente é feito uma hora antes do início do teste.
  4. A equipe te ajudará a se deitar na mesa da máquina.
  5. Você receberá uma injeção de material de contraste suplementar por via intravenosa.
  6. Eles irão avisá-lo sobre a limitação de movimento antes de iniciar o exame.
  7. Eles irão ativar a máquina e ela começará a escanear seu corpo. Pode ser solicitado que você prenda a respiração por alguns períodos.
  8. Após a obtenção das imagens, elas serão avaliadas e, se necessário, complementadas com outros scanners.

Ao final do exame você se vestirá e será encaminhado a uma sala de recuperação caso tenha sido sedado. O material de contraste pode causar tontura, deixar um gosto ruim na boca ou gerar cólicas leves ou náuseas.

Não há limitações dietéticas após a realização da enterografia por ressonância magnética. A menos que o especialista sugira o contrário, siga a sua rotina normalmente. Os resultados podem ser obtidos no mesmo dia ou no período indicado pelo centro médico.

Quando você os tiver, o especialista avaliará as informações obtidas. É possível que ele sugira outro exame para imagens extras, caso ainda hajam dúvidas sobre o que elas mostram. Em qualquer caso, isso depende dos motivos que levaram a fazer o exame.

Pode interessar a você...
Síndrome do intestino permeável: sintomas, causas e tratamento
Muy Salud
Leia em Muy Salud
Síndrome do intestino permeável: sintomas, causas e tratamento

A síndrome do intestino permeável é uma patologia descoberta recentemente que está intimamente relacionada aos hábitos alimentares. Saiba mais a se...



  • Manetta R, Capretti I, Belleggia N, Marsecano C, Viscido A, Bruno F, Arrigoni F, Ma L, Guglielmi G, Splendiani A, Di Cesare E, Masciocchi C, Barile A. Magnetic resonance enterography (MRE) and ultrasonography (US) in the study of the small bowel in Crohn’s disease: state of the art and review of the literature. Acta Biomed. 2019 Apr 24;90(5-S):38-50.
  • Ram R, Sarver D, Pandey T, Guidry CL, Jambhekar KR. Magnetic resonance enterography: A stepwise interpretation approach and role of imaging in management of adult Crohn’s disease. Indian J Radiol Imaging. 2016 Apr-Jun;26(2):173-84.
  • Ramos López L, Hernández Camba A, Rodríguez-Lago I, Carrillo Palau M, Cejas Dorta L, Elorza A, Alonso Abreu I, Vela M, Hidalgo A, Hernández Álvarez-Builla N, Rodríguez GE, Rodríguez Y, Tardillo C, Díaz-Flórez L, Eiroa D, Aduna M, Garrido MS, Larena JA, Cabriada JL, Quintero Carrion E. Usefulness of magnetic resonance enterography in the clinical decision-making process for patients with inflammatory bowel disease. Gastroenterol Hepatol. 2020 Oct;43(8):439-445. English, Spanish.
  • Stern MD, Kopylov U, Ben-Horin S, Apter S, Amitai MM. Magnetic resonance enterography in pregnant women with Crohn’s disease: case series and literature review. BMC Gastroenterol. 2014 Aug 16;14:146.