O que comer quando se está com diarreia?

A diarreia é um problema de saúde temporário. No entanto, às vezes ela está associada a distúrbios complexos. Seja como for, vamos te ensinar a tratar esse problema através da alimentação.
O que comer quando se está com diarreia?
Saúl Sánchez

Escrito e verificado por el nutricionista Saúl Sánchez em 10 Agosto, 2021.

Última atualização: 10 Agosto, 2021

A diarreia é um problema que afeta milhões de pessoas todos os anos e perturba a rotina alimentar. Na maioria dos casos este é um sintoma transitório que desaparece após 1 ou 2 dias. No entanto, quando existe uma patologia subjacente ela pode se durar mais tempo, dificultando o tratamento.

Por esse motivo, é essencial saber quais alimentos comer e quais evitar durante o curso da diarreia. Isso evita a desidratação, a alteração negativa na microbiota intestinal e que o intestino sofra excessivamente.

Produtos lácteos

Os produtos lácteos são alimentos que devem ser evitados durante o processo da diarreia, pois podem aumentar a frequência e a gravidade das evacuações. O ideal é não apenas eliminar esses produtos da dieta durante a fase aguda, mas também por mais alguns dias. Esse conselho é ainda mais importante no caso de pessoas com intolerância à lactose.

É importante considerar que a diarreia pode afetar negativamente a produção de lactase, a enzima que metaboliza o açúcar do leite. Caso esse nutriente não seja bem digerido, podem ocorrer sintomas como desconforto e dores intestinais.

Existe uma exceção dentro dos laticínios, que é o iogurte. Este produto de fato é recomendado, porque os níveis de lactose que ele apresenta são muito baixos, além da presença de bactérias probióticas. De acordo com um estudo publicado no The Cochrane Database of Systematic Reviews, esses microrganismos são capazes de prevenir e melhorar os processos diarreicos.

Não comer alimentos gordurosos durante a diarreia

Alimentos com uma grande quantidade de gordura em seu interior podem provocar um aumento das contrações intestinais, agravando o processo de diarreia. Nesse sentido, são recomendados alimentos magros e de fácil digestão.

Entre os alimentos gordurosos estão o fast food, cortes de carne com alto teor de gordura, molhos, frituras, empanados, pré-cozidos e ultra processados. É necessário ter em mente que muitos desses alimentos também possuem ácidos graxos do tipo trans. Foi demonstrado que esses nutrientes aumentam o nível de inflamação no corpo.

No entanto, uma certa quantidade de gorduras de qualidade é necessária na dieta, especialmente se houver uma patologia intestinal de origem inflamatória. É importante que lipídios insaturados apareçam na dieta alimentar, como os da série ômega 3. Para isso, basta garantir o consumo de uma pequena quantidade diária de azeite virgem extra.

Alimentos fritos e fast food não devem ser consumidos durante episódios de diarreia.
Gorduras não saudáveis, alimentos fritos e ultra processados não devem fazer parte da dieta de uma pessoa com diarreia.

O consumo de adoçantes artificiais quando se sofre de diarreia

Nos últimos anos, tem havido um grande debate sobre o uso de adoçantes artificiais como substitutos do açúcar. Esses aditivos são capazes de gerar impacto na microbiota intestinal, reduzindo sua diversidade. Isso é evidenciado por pesquisas publicadas na revista Nutrients.

Essa alteração pode não só afetar a capacidade de absorção e digestão dos nutrientes, mas também levar ao aparecimento de diarreia e outros sintomas gastrointestinais. Além disso, essa alteração no perfil da microbiota pode estar relacionada ao desenvolvimento de patologias intestinais do tipo inflamatório.

Deve-se ter em mente que o grupo dos adoçantes artificiais é muito amplo e heterogêneo. Alguns deles parecem não ser metabolizáveis a nível intestinal. No entanto, ainda existem muitas dúvidas a esse respeito.

Como regra geral, os alimentos que contêm adoçantes artificiais e que devem ser evitados durante a diarreia são os seguintes:

  • Alimentos rotulados como light.
  • Doces e chicletes sem açúcar.
  • Adoçantes em pó ou na forma líquida.

Alimentos flatulentos

Alguns alimentos têm a capacidade de aumentar a produção de gases intestinais. Entre eles destacam-se os legumes, pois eles concentram uma grande quantidade de fibras. Essa substância sofre fermentação no trato digestivo, provocando flatulência.

Por isso, durante alterações da funcionalidade intestinal é aconselhável evitar alimentos como grão de bico, lentilha, feijão, repolho, couve-flor e cebola. Eles podem ser substituídos por vegetais de folhas verdes, como o espinafre.

Além disso, é possível encontrar algumas frutas que também possuem essa propriedade de flatulência, portanto não são adequadas para consumo durante um episódio de diarreia. Entre elas estão as peras, ameixas e frutos secos.

É possível ingerir álcool e cafeína durante a diarréia?

Tanto o álcool quanto a cafeína são capazes de alterar a motilidade intestinal, razão pela qual eles podem agravar os casos de diarreia. A intoxicação por álcool também pode gerar esse problema, devido a uma alteração na reabsorção de água no trato digestivo. É necessário ter um cuidado especial nesse sentido, uma vez que a diarreia associada ao consumo excessivo de álcool está relacionada a um risco aumentado de desenvolver câncer de cólon.

Por outro lado, a cafeína também provoca um aumento na velocidade do trânsito intestinal, algo que não é recomendado durante episódios de diarreia. Esta não é uma substância prejudicial à saúde em condições normais, mas sua ingestão deve ser interrompida durante a ocorrência de alterações digestivas.

Também é fundamental evitar bebidas com gás, pois o efeito é o mesmo que no caso dos alimentos flatulentos.

Também deve-se ter cuidado com os alimentos picantes. Estes têm um caráter irritante, por isso são capazes de estimular a motilidade do trato digestivo. De acordo com um estudo publicado na revista Digestive Diseases and Sciences, a capsaicina presente nas pimentas pode se ligar a certos receptores no intestino, promovendo diarreia e dor abdominal.

Alimentos com risco microbiológico

É necessário tomar medidas de higiene extremas quando se trata de comer alimentos que apresentam risco microbiológico no contexto da diarreia. É o caso do peixe cru.

É necessário cozinhar bem os alimentos presentes na dieta para tratar a diarreia. Além disso, as medidas de higiene devem ser tomadas ao extremo: lavar as mãos antes de comer e manusear os alimentos, esfregar frutas e vegetais embaixo d’água e limpar e desinfetar as superfícies de trabalho.

Não comer alimentos FODMAP’s durante a diarreia

A diarreia pode ser causada pela existência de uma doença inflamatória intestinal. Nesse caso, pode ser positivo suprimir o consumo de todos os produtos que contêm FODMAP’s na dieta. Esses compostos são fermentáveis mas não digeríveis a nível intestinal, portanto podem causar um aumento na produção de gases.

De acordo com um estudo publicado no Gut, retirar esses alimentos da dieta reduz a diarreia e o desconforto em pacientes com síndrome do intestino irritável. No entanto, eles também devem ser suprimidos durante surtos agudos de diarreia infecciosa.

Normalmente, os FODMAP’s são encontrados em algumas frutas com casca, laticínios, mel, crucíferas e em cereais integrais. Portanto, é necessário propor uma dieta baseada na ingestão de proteínas e gorduras de qualidade, com baixo teor de fibras.

Dieta FODMAP.
Embora a dieta FODMAP tenha mostrado benefícios no tratamento de algumas patologias, ela não é recomendada no cenário de diarreia.

Hidratação

Finalmente, deve-se ter em mente que durante os episódios de diarreia é fundamental manter uma boa hidratação corporal. O consumo regular de líquidos, especialmente água, é essencial. Nos casos mais graves, pode até ser incluída a ingestão de soro.

A desidratação afeta negativamente a saúde, colocando em risco a vida do paciente. Por esse motivo, não é necessário esperar estar com sede para ingerir líquidos.

Comer para combater a diarreia

A diarreia geralmente é transitória. Porém, isso não significa que não seja necessário cuidar da alimentação para controlar esse desconforto e diminuir a sua duração. Nesse sentido, é conveniente adotar uma dieta de fácil digestão.

É essencial evitar a ingestão de substâncias tóxicas durante a diarreia, além de compostos irritantes que podem aumentar a motilidade intestinal. Um aumento na velocidade do trânsito causa menos reabsorção de líquido no intestino grosso.

Finalmente, deve-se ter em mente que se a diarreia persistir, é melhor consultar um especialista. Nestes casos, exames de diagnóstico deverão ser realizados para investigar se existe alguma patologia subjacente causando o problema.

Pode interessar a você...
Diarreia: sintomas, causas e tratamento
Muy SaludLeia em Muy Salud
Diarreia: sintomas, causas e tratamento

A diarreia é um problema de saúde comum na sociedade atualmente. Saiba mais sobre seus sintomas, causas e tratamento a seguir.



  • Guo Q, Goldenberg JZ, Humphrey C, El Dib R, Johnston BC. Probiotics for the prevention of pediatric antibiotic-associated diarrhea. Cochrane Database Syst Rev. 2019 Apr 30;4(4):CD004827. doi: 10.1002/14651858.CD004827.pub5. PMID: 31039287; PMCID: PMC6490796.
  • Valenzuela CA, Baker EJ, Miles EA, Calder PC. Eighteen‑carbon trans fatty acids and inflammation in the context of atherosclerosis. Prog Lipid Res. 2019 Oct;76:101009. doi: 10.1016/j.plipres.2019.101009. Epub 2019 Nov 2. PMID: 31669459.
  • Plaza-Diaz J, Pastor-Villaescusa B, Rueda-Robles A, Abadia-Molina F, Ruiz-Ojeda FJ. Plausible Biological Interactions of Low- and Non-Calorie Sweeteners with the Intestinal Microbiota: An Update of Recent Studies. Nutrients. 2020 Apr 21;12(4):1153. doi: 10.3390/nu12041153. PMID: 32326137; PMCID: PMC7231174.
  • Haber PS, Kortt NC. Alcohol use disorder and the gut. Addiction. 2021 Mar;116(3):658-667. doi: 10.1111/add.15147. Epub 2020 Jul 7. PMID: 32511812.
  • Staudacher HM, Whelan K. The low FODMAP diet: recent advances in understanding its mechanisms and efficacy in IBS. Gut. 2017 Aug;66(8):1517-1527. doi: 10.1136/gutjnl-2017-313750. Epub 2017 Jun 7. PMID: 28592442.
  • Luo Y, Feng C, Wu J, Wu Y, Liu D, Wu J, Dai F, Zhang J. P2Y1, P2Y2, and TRPV1 Receptors Are Increased in Diarrhea-Predominant Irritable Bowel Syndrome and P2Y2 Correlates with Abdominal Pain. Dig Dis Sci. 2016 Oct;61(10):2878-2886. doi: 10.1007/s10620-016-4211-5. Epub 2016 Jun 1. Erratum in: Dig Dis Sci. 2016 Oct 5;: PMID: 27250983.