14 benefícios do yoga para a saúde

Daniela Andarcia · 27 maio, 2021
A prática do yoga pode ajudar a aliviar o estresse, a ansiedade e a depressão. Descubra quais são os outros benefícios que você pode obter ao praticá-lo com frequência.

O termo yoga vem da palavra em sânscrito yuji, que significa união. A sua prática busca melhorar a força, a respiração e a flexibilidade. Os praticantes do yoga afirmam que são obtidos benefícios como a redução do estresse, a melhora da qualidade do sono, a redução do consumo de álcool e cigarros e a inspiração para uma alimentação mais saudável.

Talvez ainda não exista comprovação científica para todos os benefícios dos quais se fala. No entanto, de acordo com algumas evidências, os exercícios de yoga proporcionam muitos benefícios para a saúde, tanto física quanto mental. Descubra os benefícios do yoga de acordo com os especialistas.

O yoga proporciona benefícios no dia a dia

O yoga se tornou um exercício popular nas últimas décadas e parece que, conforme os anos vão passando, ele ganha cada vez mais adeptos. Um dos motivos podem ser os benefícios que ele proporciona à saúde. Vamos mostrar alguns deles.

1. Reduz o estresse

O yoga pode ter um grande potencial para reduzir o estresse, ainda mais quando combinado com a meditação. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Journal of International Society of Preventive and Community Dentistry, os exercícios de yoga reduzem os níveis de cortisol, o hormônio causador do estresse.

Por outro lado, um estudo com 24 mulheres que relataram ter altos níveis de ansiedade e estresse descobriu que um programa de yoga de três meses conseguiu reduzir os níveis de cortisol de forma significativa e, como consequência, elas relataram ter menos estresse, ansiedade, fadiga e depressão.

Da mesma forma, outra pesquisa com 131 pessoas descobriu que os exercícios de yoga ajudaram a reduzir a ansiedade e o estresse. Também foi observado que houve uma melhora na qualidade de vida e na saúde mental dos participantes.

2. Reduz os níveis de ansiedade

Muitas pessoas afirmam que, desde que começaram a praticar o yoga, os seus níveis de ansiedade diminuíram, e a ciência parece confirmar tais pontos de vista.

De acordo com uma análise da Complementary Therapies in Clinical Practice, as mulheres que frequentaram uma aula de yoga pelo menos duas vezes por semana durante dois meses reduziram drasticamente os seus níveis de ansiedade.

Por outro lado, uma pesquisa com pessoas afetadas pelo estresse pós-traumático, ou seja, pessoas que apresentam forte ansiedade e medo depois de terem presenciado um evento traumático, revelou que as pessoas que participaram de aulas de yoga mostraram menos sintomas desse transtorno. Inclusive, 52% delas deixaram de sofrer com o problema.

3. Diminui a inflamação

A inflamação é um mecanismo de defesa do corpo para responder a lesões e, até certo ponto, ela é exatamente o que deveria acontecer. No entanto, quando a inflamação se torna crônica, ela pode causar doenças cardíacas, câncer e diabetes, conforma afirma a revista Recent Patents Inflammation Allergy Drug Discovery.

Porém, acredita-se que o yoga possa ajudar a reduzir a inflamação. Assim foi revelado por um estudo no qual as pessoas que participaram de práticas de yoga apresentaram níveis mais baixos de marcadores inflamatórios em comparação com aquelas que não participaram de terapias com o yoga.

Na mesma linha, outra pesquisa descobriu que o yoga poderia ajudar a reduzir os marcadores inflamatórios em pacientes que sobreviveram ao câncer de mama. No entanto, ainda são necessários mais estudos para que os benefícios do yoga como anti-inflamatório possam ser conhecidos em sua totalidade.

4. Melhora a saúde do coração

benefícios do yoga
Alguns pacientes hipertensos podem se beneficiar com a prática do yoga.

Um estudo publicado no The Indian Journal of Physiology and Pharmacology acompanhou adultos com mais de 40 anos durante cinco anos e descobriu que aqueles que realizavam exercícios de yoga frequentemente tinham uma pulsação mais baixa do que aqueles que não os praticavam.

Por esse motivo, acredita-se que o yoga poderia beneficiar a saúde do coração e reduzir os fatores de risco para doenças cardíacas.

Por sua vez, um estudo publicado na revista Expert Review of Cardiovascular Therapy sugere que as pessoas com pressão arterial baixa geralmente apresentam menos doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais. Nesse sentido, recomenda-se a prática do yoga pelo menos duas vezes por semana.

Manter um bom treinamento de yoga poderia reduzir o colesterol total em 23% e o colesterol ruim em 26%, além de desacelerar a progressão das doenças cardíacas em 47%, de acordo com um estudo do Journal of the Association of Physicians of India.

5. Melhora a qualidade de vida

Um estudo publicado na revista Alternative Therapies in Health and Medicine comparou pessoas que mantinham treinos de yoga continuamente com pessoas que não os praticavam. Os primeiros melhoraram a sua qualidade de vida de forma significativa, melhorando o humor e reduzindo a sensação de cansaço em comparação com os segundos.

Também se acredita que o yoga possa melhorar a qualidade de vida de pacientes com câncer de mama. O yoga poderia ter a possibilidade de ajudar a aliviar os sintomas da quimioterapia, tais como vômitos, náuseas, tonturas e outros aspectos, de acordo com um estudo realizado pelo European Journal of Cancer Care.

Outro estudo semelhante também descobriu que as mulheres com câncer de mama que participaram de sessões de yoga durante oito semanas tiveram uma redução na dor e na fadiga, bem como uma maior aceitação e relaxamento.

6. Combate a depressão

O yoga poderia diminuir os sintomas de depressão e proporcionar um efeito antidepressivo. Uma das vantagens da prática do yoga é que, ao diminuir os níveis de cortisol, há uma influência sobre os neurotransmissores associados à depressão, de acordo com um estudo publicado na revista Cognitive, Affective and Behavioral Neuroscience.

Outras revistas, como o Journal of Affective Disorders e a Alternative Therapies in Health and Medicine, graças às suas pesquisas, também apoiam a ideia de que os exercícios de yoga combatem a depressão ao intervir na produção dos hormônios causadores do estresse.

7. Reduz a dor crônica

A dor crônica pode ser a causa de várias condições, tais como artrite, síndrome do túnel do carpo ou osteoartrite. A prática do yoga geralmente ajuda a aliviar a dor crônica em pacientes com essas condições.

A revista acadêmica JAMA publicou um estudo revelando a eficiência do yoga na redução da dor da síndrome do túnel do carpo e a sua capacidade para melhorar a força no pulso.

Da mesma forma, um estudo publicado no Journal of Alternative and Complementary Medicine descobriu que a prática do yoga melhora a função física em pacientes com osteoartrite nos joelhos e, por sua vez, reduz a dor.

Se você é uma pessoa que sofre de dor crônica, a incorporação de exercícios de yoga poderia servir como um paliativo para a dor, embora ainda sejam necessárias mais pesquisas para que essa teoria possa ser confirmada.

8. Leva à qualidade do sono

Sabe-se que a depressão, a obesidade, a hipertensão e outros distúrbios impedem que se tenha um sono agradável. De acordo com pesquisas, o yoga poderia ajudar a adormecer e a ter um sono reparador.

O Indian Journal of Medical Research descobriu, em um estudo com idosos, que o yoga poderia ser eficaz para adormecer. Os participantes que se exercitaram relataram ir para a cama mais rapidamente, além de dormir durante muito mais tempo e acordar com mais energia.

Em geral, acredita-se que o yoga ative o hormônio que regula o sono, conhecido como melatonina. Por isso, a prática do yoga ao atingir uma idade avançada poderia trazer muitos benefícios para a saúde.

9. Maior flexibilidade e equilíbrio

Um estudo do International Journal of Yoga afirmou que algumas posturas promovem o equilíbrio e a flexibilidade. Os atletas que adicionaram a prática do yoga aos seus treinos aumentaram consideravelmente a flexibilidade e o equilíbrio em comparação com os que não o praticaram.

Por outro lado, uma análise de 2013 revelou que o yoga melhora o equilíbrio e a flexibilidade em pessoas com idade avançada. Portanto, é recomendável fazer cerca de 25 minutos de exercícios de yoga por dia para melhorar o equilíbrio e aumentar a flexibilidade.

10. Melhora a respiração

Acredita-se que a prática da técnica pranayama ou respiração yóguica possa ajudar a controlar e melhorar a respiração. Assim afirma um estudo realizado pelo International Journal of Yoga que descobriu que a prática do yoga poderia ser eficaz para melhorar a função pulmonar em pessoas com asma leve ou moderada.

Portanto, recomenda-se a realização de exercícios de yoga de forma constante para aumentar a resistência e manter o bom funcionamento dos pulmões e do coração.

11. Alivia a enxaqueca

benefícios do yoga
Esse tipo de dor não precisa ser tratado apenas com medicamentos.

A enxaqueca é conhecida por causar uma forte e incessante dor de cabeça. Por meio de um estudo, o The Journal of Pain descobriu que o yoga estimula o nervo vago, conhecido por aliviar a dor causada pela enxaqueca.

Existem outros estudos que confirmam que a prática do yoga reduz a intensidade das dores de cabeça, bem como a frequência do seu aparecimento.

12. Promove hábitos alimentares saudáveis

O The Journal of Adolescent Health conduziu um estudo com pacientes com transtornos alimentares que se inscreveram em um programa de yoga e descobriu que a prática desses exercícios diminuía a preocupação com a comida e os sintomas desses transtornos.

Da mesma forma, outra análise científica revelou que os exercícios de yoga reduziam os transtornos da compulsão alimentar, uma forma de comer compulsivamente e descontroladamente. Mesmo que você não tenha distúrbios alimentares, é altamente recomendável fazer sessões diárias de yoga para obter melhores hábitos alimentares.

13. Aumenta a força

Dentre as inúmeras técnicas e posturas do yoga, existem algumas que são especiais para desenvolver os músculos e aumentar a força e que contam com o aval da ciência.

Um experimento com 79 adultos descobriu que aqueles que praticavam a técnica da saudação ao sol tiveram um aumento significativo na resistência e na força, bem como uma diminuição na gordura corporal.

A probabilidade de aumentar a força e a resistência se torna mais viável com a prática frequente do yoga e talvez a sua eficácia possa ser aumentada quando há uma combinação com treinos compostos por exercícios regulares.

14. Estimula a função cerebral

Uma análise da Mindfulness descobriu que a técnica hatha poderia ajudar a melhorar as funções executivas do cérebro, ou seja, aquelas que regulam as emoções e os hábitos, para sermos mais específicos.

Outra pesquisa que comparou uma sessão de yoga e uma sessão de exercícios aeróbicos descobriu que a primeira produzia um maior aumento na precisão e na velocidade da memória do que a segunda.

Também foi demonstrado que a prática do yoga poderia melhorar a flexibilidade mental e o armazenamento de informações em idosos.

Os benefícios do yoga vão além de um simples hobby

Existem muitos benefícios do yoga que contam com o aval da ciência. Desde a redução da fadiga, do estresse e dos níveis de ansiedade e depressão até a melhora da respiração e a promoção de melhores hábitos alimentares e de sono.

É uma boa prática reservar um tempo para participar de algumas sessões de yoga durante a semana. Se isso se tornar uma rotina, você poderá notar mudanças na sua saúde em pouco tempo. Lembre-se de que, se você for iniciante, é preciso procurar o apoio de um instrutor qualificado. Afinal, algumas posturas podem ser contraproducentes se não forem realizadas corretamente.

  • Katuri, K. K., Dasari, A. B., Kurapati, S., Vinnakota, N. R., Bollepalli, A. C., & Dhulipalla, R. (2016). Association of yoga practice and serum cortisol levels in chronic periodontitis patients with stress-related anxiety and depression. Journal of International Society of Preventive & Community Dentistry, 6(1), 7–14. https://doi.org/10.4103/2231-0762.175404
  • Michalsen, A., Grossman, P., Acil, A., Langhorst, J., Lüdtke, R., Esch, T., Stefano, G. B., & Dobos, G. J. (2005). Rapid stress reduction and anxiolysis among distressed women as a consequence of a three-month intensive yoga program. Medical science monitor : international medical journal of experimental and clinical research, 11(12), CR555–CR561.
  • Smith, C., Hancock, H., Blake-Mortimer, J., & Eckert, K. (2007). A randomised comparative trial of yoga and relaxation to reduce stress and anxiety. Complementary therapies in medicine, 15(2), 77–83. https://doi.org/10.1016/j.ctim.2006.05.001
  • Javnbakht, M., Hejazi Kenari, R., & Ghasemi, M. (2009). Effects of yoga on depression and anxiety of women. Complementary therapies in clinical practice, 15(2), 102–104. https://doi.org/10.1016/j.ctcp.2009.01.003
  • van der Kolk, B. A., Stone, L., West, J., Rhodes, A., Emerson, D., Suvak, M., & Spinazzola, J. (2014). Yoga as an adjunctive treatment for posttraumatic stress disorder: a randomized controlled trial. The Journal of clinical psychiatry, 75(6), e559–e565. https://doi.org/10.4088/JCP.13m08561
  • Khansari, N., Shakiba, Y., & Mahmoudi, M. (2009). Chronic inflammation and oxidative stress as a major cause of age-related diseases and cancer. Recent patents on inflammation & allergy drug discovery, 3(1), 73–80. https://doi.org/10.2174/187221309787158371
  • Vijayaraghava, A., Doreswamy, V., Narasipur, O. S., Kunnavil, R., & Srinivasamurthy, N. (2015). Effect of Yoga Practice on Levels of Inflammatory Markers After Moderate and Strenuous Exercise. Journal of clinical and diagnostic research : JCDR, 9(6), CC08–CC12. https://doi.org/10.7860/JCDR/2015/12851.6021
  • Bower, J. E., Greendale, G., Crosswell, A. D., Garet, D., Sternlieb, B., Ganz, P. A., Irwin, M. R., Olmstead, R., Arevalo, J., & Cole, S. W. (2014). Yoga reduces inflammatory signaling in fatigued breast cancer survivors: a randomized controlled trial. Psychoneuroendocrinology, 43, 20–29. https://doi.org/10.1016/j.psyneuen.2014.01.019
  • Bharshankar, J. R., Bharshankar, R. N., Deshpande, V. N., Kaore, S. B., & Gosavi, G. B. (2003). Effect of yoga on cardiovascular system in subjects above 40 years. Indian journal of physiology and pharmacology, 47(2), 202–206.
  • Subramaniam, V., & Lip, G. Y. (2009). Hypertension to heart failure: a pathophysiological spectrum relating blood pressure, drug treatments and stroke. Expert review of cardiovascular therapy, 7(6), 703–713. https://doi.org/10.1586/erc.09.43
  • Yogendra, J., Yogendra, H. J., Ambardekar, S., Lele, R. D., Shetty, S., Dave, M., & Husein, N. (2004). Beneficial effects of yoga lifestyle on reversibility of ischaemic heart disease: caring heart project of International Board of Yoga. The Journal of the Association of Physicians of India, 52, 283–289.
  • Oken, B. S., Zajdel, D., Kishiyama, S., Flegal, K., Dehen, C., Haas, M., Kraemer, D. F., Lawrence, J., & Leyva, J. (2006). Randomized, controlled, six-month trial of yoga in healthy seniors: effects on cognition and quality of life. Alternative therapies in health and medicine, 12(1), 40–47.
  • Raghavendra, R. M., Nagarathna, R., Nagendra, H. R., Gopinath, K. S., Srinath, B. S., Ravi, B. D., Patil, S., Ramesh, B. S., & Nalini, R. (2007). Effects of an integrated yoga programme on chemotherapy-induced nausea and emesis in breast cancer patients. European journal of cancer care, 16(6), 462–474. https://doi.org/10.1111/j.1365-2354.2006.00739.x
  • Carson, J. W., Carson, K. M., Porter, L. S., Keefe, F. J., Shaw, H., & Miller, J. M. (2007). Yoga for women with metastatic breast cancer: results from a pilot study. Journal of pain and symptom management, 33(3), 331–341. https://doi.org/10.1016/j.jpainsymman.2006.08.009
  • Tafet, G. E., Idoyaga-Vargas, V. P., Abulafia, D. P., Calandria, J. M., Roffman, S. S., Chiovetta, A., & Shinitzky, M. (2001). Correlation between cortisol level and serotonin uptake in patients with chronic stress and depression. Cognitive, affective & behavioral neuroscience, 1(4), 388–393. https://doi.org/10.3758/cabn.1.4.388
  • Pilkington, K., Kirkwood, G., Rampes, H., & Richardson, J. (2005). Yoga for depression: the research evidence. Journal of affective disorders, 89(1-3), 13–24. https://doi.org/10.1016/j.jad.2005.08.013
  • Woolery, A., Myers, H., Sternlieb, B., & Zeltzer, L. (2004). A yoga intervention for young adults with elevated symptoms of depression. Alternative therapies in health and medicine, 10(2), 60–63.
  • Garfinkel, M. S., Singhal, A., Katz, W. A., Allan, D. A., Reshetar, R., & Schumacher, H. R., Jr (1998). Yoga-based intervention for carpal tunnel syndrome: a randomized trial. JAMA, 280(18), 1601–1603. https://doi.org/10.1001/jama.280.18.1601
  • Kolasinski, S. L., Garfinkel, M., Tsai, A. G., Matz, W., Van Dyke, A., & Schumacher, H. R. (2005). Iyengar yoga for treating symptoms of osteoarthritis of the knees: a pilot study. Journal of alternative and complementary medicine (New York, N.Y.), 11(4), 689–693. https://doi.org/10.1089/acm.2005.11.689
  • Manjunath, N. K., & Telles, S. (2005). Influence of Yoga and Ayurveda on self-rated sleep in a geriatric population. The Indian journal of medical research, 121(5), 683–690.
  • Polsgrove, M. J., Eggleston, B. M., & Lockyer, R. J. (2016). Impact of 10-weeks of yoga practice on flexibility and balance of college athletes. International journal of yoga, 9(1), 27–34. https://doi.org/10.4103/0973-6131.171710
  • Tiedemann, A., O’Rourke, S., Sesto, R., & Sherrington, C. (2013). A 12-week Iyengar yoga program improved balance and mobility in older community-dwelling people: a pilot randomized controlled trial. The journals of gerontology. Series A, Biological sciences and medical sciences, 68(9), 1068–1075. https://doi.org/10.1093/gerona/glt087
  • Saxena, T., & Saxena, M. (2009). The effect of various breathing exercises (pranayama) in patients with bronchial asthma of mild to moderate severity. International journal of yoga, 2(1), 22–25. https://doi.org/10.4103/0973-6131.53838
  • Hord, E. D., Evans, M. S., Mueed, S., Adamolekun, B., & Naritoku, D. K. (2003). The effect of vagus nerve stimulation on migraines. The journal of pain4(9), 530–534. https://doi.org/10.1016/j.jpain.2003.08.001
  • Kisan, R., Sujan, M., Adoor, M., Rao, R., Nalini, A., Kutty, B. M., Chindanda Murthy, B., Raju, T., & Sathyaprabha, T. (2014). Effect of Yoga on migraine: A comprehensive study using clinical profile and cardiac autonomic functions. International journal of yoga, 7(2), 126–132. https://doi.org/10.4103/0973-6131.133891
  • Carei, T. R., Fyfe-Johnson, A. L., Breuner, C. C., & Brown, M. A. (2010). Randomized controlled clinical trial of yoga in the treatment of eating disorders. The Journal of adolescent health : official publication of the Society for Adolescent Medicine, 46(4), 346–351. https://doi.org/10.1016/j.jadohealth.2009.08.007
  • McIver, S., O’Halloran, P., & McGartland, M. (2009). Yoga as a treatment for binge eating disorder: a preliminary study. Complementary therapies in medicine, 17(4), 196–202. https://doi.org/10.1016/j.ctim.2009.05.002
  • Bhutkar, M. V., Bhutkar, P. M., Taware, G. B., & Surdi, A. D. (2011). How effective is sun salutation in improving muscle strength, general body endurance and body composition?. Asian journal of sports medicine, 2(4), 259–266. https://doi.org/10.5812/asjsm.34742
  • Luu, K., Hall, P.A. (2017). Examining the Acute Effects of Hatha Yoga and Mindfulness Meditation on Executive Function and Mood. Mindfulness, 8, 873–880.
  • Gothe, N. P., Kramer, A. F., McAuley, E. (2014). The Effects of an 8-Week Hatha Yoga Intervention on Executive Function in Older Adults, The Journals of Gerontology, 69(9), 1109–1116. https://doi.org/10.1093/gerona/glu095