O que é depressão sorridente?

Quando pensamos em alguém com depressão, imaginamos uma pessoa triste que sabemos que está sofrendo. Mas o que acontece com as pessoas com depressão que escondem o seu sofrimento e aparentam uma vida perfeita? Nesse caso, estamos falando da depressão sorridente.
O que é depressão sorridente?
Laura Ruiz Mitjana

Escrito e verificado por la psicóloga Laura Ruiz Mitjana em 19 Abril, 2021.

Última atualização: 19 Abril, 2021

Quando pensamos em alguém com depressão, imaginamos uma pessoa muito triste, sem energia, que chora com frequência ou que verbaliza que não quer viver. Nada mais distante da realidade, pois cada depressão é diferente da outra, e existem muitos tipos de transtornos depressivos, como seria o caso da depressão sorridente.

Com este termo, estamos nos referindo às pessoas que sofrem de depressão, mas, para o mundo exterior, parecem muito bem. Isso pode nos fazer pensar, por exemplo, no aumento dos casos de suicídio de muitos jovens influencers, youtubers… (pessoas que vivem da sua imagem pública), com uma vida aparentemente “perfeita”.

Por trás de todas essas “demonstrações” de felicidade exuberante, pode se esconder um caso de depressão sorridente. Por isso, nesses casos, devemos estar atentos a outros sintomas mais sutis e, sobretudo, explorar e nos aprofundar sobre o estado de humor da pessoa, observando bastante e nos mantendo à sua disposição. O que mais se sabe sobre esse tipo de depressão?

O que é depressão sorridente?

A depressão sorridente pode ser séria.
As pessoas com depressão sorridente podem sentir uma profunda tristeza apesar de não aparentarem.

As pessoas com essa condição são caracterizadas por sofrer muito, porém escondido dos outros. Assim, a sua vida pública pode parecer a mais satisfatória possível e, “na fachada”, tudo é perfeito. No entanto, no seu mundo interior, elas sofrem dos mesmos sintomas depressivos que as outras pessoas com o transtorno.

Podemos interpretar que, se uma pessoa sorri para nós, ela está feliz; no entanto, ela pode sorrir e transmitir felicidade, aparentando ter uma vida satisfatória quando, na verdade, ela está sofrendo de depressão secretamente.

-Eva Mª González-

São pessoas que, ao ouvir a pergunta: “Como você está?”, respondem que estão muito bem. Elas agem dessa forma não apenas com estranhos, mas sim com todas as pessoas ao seu redor (entes queridos, parceiros, profissionais, colegas de trabalho, etc.).

Ou seja, não é que elas não queiram explicar que não estão bem para certas pessoas, mas sim escondem esse fato de todos, a todo custo.

Diagnóstico “não oficial”

Em nível oficial, a depressão sorridente não é reconhecida como um subtipo da depressão ou como uma categoria independente no DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais). No entanto, podemos falar do transtorno depressivo como tal, com as características atípicas já mencionadas.

Sintomas de depressão sorridente

Para todo o resto, a depressão sorridente corresponde a qualquer outro tipo de depressão, no sentido de que os sintomas do transtorno são iguais aos do transtorno depressivo. Estamos falando sobre sintomas como humor rebaixado ou perda de interesse ou prazer nas coisas (estes são indispensáveis), seguidos de outros como, por exemplo:

  • Falta de energia.
  • Desmotivação generalizada.
  • Fadiga.
  • Tristeza profunda.
  • Sentimentos de culpa, inutilidade, etc.
  • Pensamentos negativos recorrentes.
  • Desesperança (acreditar que nada vai mudar).
  • Irritabilidade.
  • Aumento ou diminuição do peso ou do apetite.
  • Baixa autoestima.

O que acontece na depressão sorridente? Como esses sintomas se manifestam? A pessoa pode experimentar muitos deles (ou até mesmo todos), mas escondê-los diante dos outros. Em público, “está tudo bem”, mas, por dentro, a pessoa está sofrendo muito.

Consequências psicológicas

O fato de ocultar os sintomas depressivos e de não exteriorizar o desânimo para os outros, aparentando normalidade, pode ter efeitos psicológicos importantes. Por quê? Porque tudo o que envolve reprimir as emoções acaba afetando a nossa psique e o nosso sistema emocional.

Assim, a repressão das emoções e o constante ato de “aparentar que está tudo bem” podem gerar outros sintomas além da própria depressão, tais como: problemas gastrointestinais, ansiedade, ataques de pânico, pesadelos, mal-estar, outros sintomas somáticos, etc.

Devemos pensar que essa “pressão” que a pessoa se impõe diante dos outros pode acabar sendo exaustiva. E o corpo sofre com tudo isso.

Como essas pessoas são vistas pelos outros?

As pessoas ao seu redor podem vê-la como uma pessoa ativa, com um emprego estável, uma vida social e familiar satisfatória e completa, alguém com saúde, alegre, otimista e feliz. Esses são apenas alguns exemplos, mas o que acontece é que o que se vê do lado de fora não corresponde à realidade.

Além dos sintomas depressivos típicos, tais como tristeza e perda de interesse nas coisas, a pessoa com depressão sorridente também apresenta outros sintomas, tais como:

  • Sensação de peso e fadiga nos braços e pernas.
  • Aumento do apetite.
  • Dormir por muito tempo (e ainda assim se sentir com sono).
  • Ataques de irritabilidade ou raiva.
  • Suscetibilidade a críticas e rejeições.

Como alguém com depressão sorridente se sente?

Alguns dos sentimentos que essas pessoas podem experimentar são: sentir que mostrar sinais de depressão é um sinal de fraqueza; sentir que não têm depressão alguma (que tudo está “bem”); sentir que os outros podem estar em pior situação ou sentir que o mundo estaria melhor sem ele/ela.

Muitas vezes, estas são pessoas acostumadas a reprimir o que sentem. Com frequência, elas se sentem culpadas porque estão tristes ou acham que não “têm o direito” de se sentir dessa forma. Nesse sentido, elas invalidam as próprias emoções e não dão espaço para a tristeza nem para outras emoções associadas à depressão, tais como raiva, irritabilidade, etc.

Risco de suicídio

As pessoas que sofrem de depressão podem ter sentido, em alguma ocasião, o desejo de tirar a própria vida (ou podem até mesmo ter tentado várias vezes). Na depressão sorridente, acontece a mesma coisa; de fato, estes são casos ainda mais complexos, porque geralmente são mais difíceis de detectar.

Se, além disso, a pessoa não faz terapia e não fala sobre o que está acontecendo (ou não fala sobre isso com seus entes queridos), o risco de suicídio se multiplica, pois, nesses casos, será difícil evitá-lo. Além disso, de acordo com especialistas, um sintoma depressivo típico é ter uma grande perda de energia.

Essa perda de energia, juntamente com a falta de motivação ou apatia, fazem com que a pessoa sinta uma verdadeira dificuldade para sair da cama.

Mas, no caso da depressão sorridente, os níveis de energia podem não ser alterados e, dessa forma, ninguém consegue “perceber” o problema (embora a pessoa possa apresentar esses sintomas quando está sozinha). Isso se extrapola para muitos outros sintomas, incluindo aqueles relacionados a um risco aumentado de suicídio.

Tratamento

A depressão sorridente requer tratamento.
A terapia psicológica ou psiquiátrica é essencial para o tratamento dessa condição.

O tratamento da depressão sorridente pode ser feito do ponto de vista psicológico e médico. Em casos graves, recomenda-se um tratamento multidisciplinar que inclua esses dois aspectos.

Em nível médico, geralmente são utilizados psicofármacos, como os antidepressivos. Em um nível psicológico, a terapia recomendada será aquela usada para a depressão, sendo que, até o momento, as terapias mais eficazes são as seguintes:

  • Terapia cognitivo-comportamental: com técnicas como a reestruturação cognitiva (cujo objetivo é trocar pensamentos disfuncionais por outros mais adaptativos).
  • Terapia comportamental: com técnicas como a programação de atividades prazerosas, por exemplo, ou a ativação comportamental.

No caso mais específico da depressão sorridente, será essencial validar as emoções do paciente e trazê-las à tona. Nesse sentido, será muito importante trabalhar a repressão de todas essas emoções, bem como entender porque o paciente chegou a essa situação.

Analisar as causas do transtorno será útil para entender melhor a pessoa e, sobretudo, para trabalhá-las.

Uma condição difícil de entender, porém perigosa

A depressão sorridente pode afetar a nós mesmos e também aos entes queridos do nosso círculo social ou familiar. É importante saber como detectar alguns sinais ou sintomas precocemente se quisermos oferecer ajuda (que pode ser até mesmo um simples abraço ou uma conversa).

Pode interessar a você...
Venlafaxina: o que é e para que serve?
Muy Salud
Leia em Muy Salud
Venlafaxina: o que é e para que serve?

A venlafaxina prolonga a ação da serotonina e da noradrenalina, o que ajuda a tratar a depressão. Confira a seguir mais detalhes



  • American Psychiatric Association –APA- (2014). DSM-5. Manual diagnóstico y estadístico de los trastornos mentales. Madrid: Panamericana.
  • Caballo (2002). Manual para el tratamiento cognitivo-conductual de los trastornos psicológicos. Vol. 1 y 2. Madrid. Siglo XXI.
  • Morgado, I. (2007). Emociones e inteligencia social: las claves para una alianza entre los sentimientos y la razón. Barcelona: Editorial Ariel.