Diamox (acetazolamida): o que é e para que serve

O Diamox é um medicamento que favorece a micção no paciente e, consequentemente, a eliminação do excesso de líquidos. Ele é muito útil no tratamento do glaucoma de ângulo aberto, por exemplo.
Diamox (acetazolamida): o que é e para que serve
Samuel Antonio Sánchez Amador

Escrito e verificado por el biólogo Samuel Antonio Sánchez Amador em 04 Agosto, 2021.

Última atualização: 04 Agosto, 2021

Diamox é o nome comercial de um medicamento que tem como princípio ativo a acetazolamida, um inibidor da enzima anidrase carbônica. Ele é usado para tratar glaucoma, epilepsia, vertigem, paralisia periódica e insuficiência cardíaca. Devido às suas peculiaridades como composto químico, também possui uma ação diurética marcante.

Existem outros medicamentos com a acetazolamida como composto principal. Esse grupo de medicamentos também pode ser encontrado em alguns países com o nome de Edemox, além de existirem medicamentos genéricos com o nome do princípio ativo.

Este princípio ativo foi aprovado para uso médico em 1952 e está na WHO Model List of Essential Medicines. Se você quiser saber mais sobre os diferentes tipos de uso, efeitos colaterais e contraindicações desse medicamento, continue lendo.

Para que o Diamox é usado?

O Diamox estimula a diurese.
O Diamox é um medicamento de consumo oral que favorece a eliminação de líquidos pela urina. Ele é útil no tratamento de muitas doenças.

O Diamox é um inibidor da enzima anidrase carbônica. Esta é uma metaloenzima que catalisa a conversão de dióxido de carbono e água em bicarbonato e prótons. Dependendo da sua localização, pode promover a liberação de ácidos gástricos, controlar íons bicarbonato no meio renal e modular a quantidade de líquidos presentes nos olhos, por exemplo.

A anidrase carbônica é encontrada nas hemácias e nos túbulos renais, onde sua função é promover a reabsorção de sódio, bicarbonato e cloreto. Se esta enzima for inibida, os compostos mencionados são excretados em vez de absorvidos. Com eles, também são liberadas maiores quantidades de água, o que resulta na redução da pressão em determinadas áreas do corpo.

A inibição da enzima anidrase carbônica pode ser necessária em vários quadros clínicos, principalmente aqueles relacionadas ao ambiente ocular. A seguir veremos para que o Diamox é usado com base nas avaliações realizadas pela Food and Drug Administration (FDA).

Indicações aprovadas pela FDA

A FDA prevê o uso da acetazolamida (e, portanto, Diamox) para tratar os seguintes quadros clínicos:

  • Glaucoma: o glaucoma geralmente é causado por um aumento na pressão intraocular, derivado de uma drenagem insuficiente de fluidos. Aos poucos, o nervo óptico é danificado e o paciente perde a visão, de forma lenta mas irreversível. O Diamox promove a diminuição da pressão dentro do olho, pois permite que o corpo elimine mais fluidos do ambiente ocular.
  • Hipertensão intracraniana idiopática: nestes casos, a pressão craniana aumenta e esse acontecimento não pode ser explicado pela presença de tumores ou lesões. A eliminação de mais água na urina pode ajudar a diminuir a pressão intracraniana.
  • Insuficiência cardíaca congestiva: o coração não bombeia o sangue corretamente e com isso fluidos se acumulam nos pulmões, fígado e outros órgãos. A eliminação dos líquidos em excesso pode ajudar a reduzir os sintomas dessa condição.
  • Paralisia periódica: acordo com o portal médico Cochrane, a acetazolamida também pode ajudar a melhorar o tônus muscular em pessoas com paralisia periódica.
  • Epilepsia: este medicamento pode ser útil em alguns tipos de epilepsia, junto a outros medicamentos específicos.

Indicações não aprovadas pela FDA

Embora a utilidade da acetazolamida não tenha sido totalmente verificada em alguns casos, os médicos a prescrevem devido aos seus potenciais efeitos benéficos. O Diamox pode ser usado nesses casos para tratar a apneia central do sono, ectasia dural na síndrome de Marfan e lesão renal induzida por metotrexato.

O Diamox promove a eliminação de água na urina. Portanto, pode ser útil para tratar condições nas quais os fluidos se acumulam em algumas partes do corpo.

Como esse medicamento é administrado?

A seguir, explicaremos as peculiaridades do Diamox, de acordo com as bulas desse medicamento em específico e de outros semelhantes, com a mesma concentração de princípio ativo (acetazolamida). Não perca!

Apresentações

A acetazolamida é consumida por via oral, pois as marcas Diamox e Edemox são vendidas apenas em comprimidos. Recomenda-se tomar a dose estabelecida pelo médico em jejum, mas se o paciente apresenta náuseas pode tomá-la acompanhada de leite ou comida. A pílula deve ser engolida, e não chupada ou mastigada.

Existem também suspensões para injeções intravenosas de acetazolamida, embora elas não estejam disponíveis ao público.

Dose

Conforme indicado pela Asociación Española de Pediatría, a dose varia bastante dependendo do tipo de patologia a ser tratada, e alguns quadros não possuem quantidades específicas. Apresentamos a seguir uma lista com uma dosagem geral:

  • Diurético: a dose inicial é de 250 miligramas por dia, ou seja, 1 comprimido a cada 24 horas, tomado pela manhã. Se o paciente responder adequadamente, a dose pode ser reduzida para 1 comprimido a cada 48 horas.
  • Glaucoma: este medicamento geralmente não é usado sozinho para tratar o glaucoma, pois deve ser acompanhado por outros medicamentos. A dose para adultos será de 1 a 4 comprimidos por dia. Quando ela excede 1 grama por dia não são obtidas respostas melhores. Em crianças a dose nunca excede 750 miligramas por dia.
  • Epilepsia: 250 miligramas (1 comprimido) a 1000 miligramas (4 comprimidos) por dia em várias doses. Novamente, em crianças o limite permanece em 750 miligramas.

Por outro lado, recomenda-se tomar o medicamento no café da manhã, caso o paciente esteja consumindo apenas um comprimido por dia. Se mais pílulas forem tomadas, as doses geralmente são distribuídas ao longo do dia, até as 18h ou 20h, a menos que o médico indique o contrário. Isso é feito para que o efeito diurético não perturbe o sono do paciente.

Em nenhum caso é recomendado exceder a dose de 1,5 gramas por dia (6 comprimidos).

Quem não deve tomar Diamox?

Em primeiro lugar, o Diamox não deve ser tomado por pessoas com histórico de reações de hipersensibilidade anteriores (alergias) à acetazolamida ou sulfonamidas, conforme indicado no portal Vademecum.

Por outro lado, ele deve ser usado com muito cuidado – em doses mais baixas – ou ter a administração diretamente evitada em pacientes com insuficiência hepática (IH) ou insuficiência renal (IR).

É especialmente necessário revisar os possíveis efeitos do tratamento em pessoas com insuficiência hepática. Como o Diamox diminui a secreção de amônia na urina, ele pode promover o acúmulo de toxinas no sangue. Isso resulta em efeitos cerebrais causados por disfunção hepática, como encefalopatia.

A acetazolamida pode causar anormalidades eletrolíticas. Por esse motivo, pessoas que já apresentam hipocalemia (falta de potássio) e hiponatremia (falta de sódio) devem evitar o consumo. Tampouco é recomendado o uso desse medicamento na acidose hiperclorêmica e na insuficiência adrenal.

Diamox durante a gravidez

De acordo com a Australian Drug Categories, esse medicamento está na categoria B3 no que diz respeito à gravidez. Isso significa que os efeitos nocivos dele foram demonstrados em ratos e outros animais de laboratório, embora não hajam evidências suficientes para indicá-lo como perigoso em humanos.

Ainda assim, o tratamento durante o primeiro trimestre da gravidez é totalmente contraindicado.

Diamox durante a amamentação

Foi observado que as mulheres em tratamento com este medicamento produzem menos leite na fase de lactação, conforme apontam as fontes já mencionadas. Embora seja pouco provável que isso cause efeitos negativos na criança, a amamentação ou a administração de medicamentos devem ser interrompidas nessas condições.

Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Existe um amplo espectro de efeitos colaterais gerais e específicos que o Diamox pode causar no paciente. Nós os exploraremos a seguir de acordo com a duração do tratamento.

Efeitos em tratamentos de curto prazo

Nas terapias de curto prazo é normal que os pacientes experimentem formigamento, zumbido nos ouvidos, perda de audição, perda de peso, distúrbios no paladar, náusea, diarreia, vômito, rubor, fadiga, irritabilidade, depressão e outros sinais gerais.

Fotossensibilidade transitória e confusão também foram relatadas, embora todos os sintomas desapareçam se o tratamento for interrompido.

Por outro lado, o mais comum é que o paciente perceba que está urinando com mais frequência – devido à eliminação de líquidos. Como consequência normal, também haverá um aumento natural da sede. Converse com seu médico de confiança sobre como lidar com esses sinais clínicos no dia a dia.

Efeitos da terapia de longo prazo

A terapia de longo prazo relata muitos outros sinais clínicos associados. Apresentaremos na lista a seguir alguns dos mais importantes:

  • Acidose metabólica ou acidez excessiva na corrente sanguínea e alteração no equilíbrio eletrolítico interno. Isso inclui hipocalemia e hiponatremia.
  • Fezes escuras com presença de sangue.
  • Presença de açúcar, sangue ou cristais na urina, mostrando disfunção renal.
  • Coloração amarelada na pele e olhos.
  • Níveis baixos de glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas no sangue.
  • Febre.
  • Doenças inflamatórias agudas.
  • Lesões renais.

Se você estiver tomando este medicamento e notar algum efeito adverso que considerar preocupante, consulte seu médico. Pode ser necessário reajustar a dose ou interromper totalmente o tratamento. De qualquer forma, nunca pare de tomar os comprimidos por conta própria nem diminua o consumo sem consultar um profissional primeiro.

As reações cutâneas que indicam hipersensibilidade ao medicamento requerem uma visita ao pronto-socorro em todos os casos.

O que acontece se eu esquecer uma dose?

O Diamox é consumido por via oral.
Tomar duas doses muito próximas devido ao esquecimento pode aumentar as chances de desenvolver efeitos colaterais.

Se você está tomando Diamox e esqueceu uma dose, é melhor tomar o comprimido assim que se lembrar. Isso é especialmente adequado para pacientes que tomam apenas um comprimido por dia, pois eles têm tempo entre uma dose e a outra para corrigir o erro.

De qualquer forma, se você toma 4 ou 5 comprimidos por dia e existe a probabilidade de sobrepor as doses, é melhor pular a que foi esquecida e continuar o tratamento normalmente. Nunca tome 2 comprimidos para neutralizar o erro, pois com isso você corre o risco de atingir concentrações perigosas do medicamento no organismo.

Como devo agir em caso de overdose de Diamox?

Conforme indicado pelo portal médico Statpearls, foram observados efeitos potencialmente tóxicos da acetazolamida no sistema nervoso central (SNC). Isso resulta em sintomas como fadiga, letargia e confusão que persistem ao longo do tempo. De qualquer forma, os sinais clínicos desaparecem assim que o tratamento é definitivamente interrompido.

Overdoses no ambiente doméstico são possíveis, principalmente se o paciente estiver consumindo o medicamento em uma quantidade próxima do limite (1,5 grama por dia). Se depois de tomar mais doses do que foi prescrito você sentir dor de cabeça, náusea, vômito, confusão, tontura, convulsões ou febre, ligue para o pronto-socorro imediatamente e procure ajuda com pessoas próximas enquanto os profissionais chegam.

Como armazenar e descartar este medicamento?

Este medicamento é comercializado na forma de comprimidos orais e não requer nenhum método especial de preservação. Basta manter a caixa fora do alcance de crianças e em temperatura ambiente. Também é aconselhável guardar o medicamento em um local que não seja excessivamente úmido ou quente (como o banheiro).

Se você quiser descartar uma caixa de Diamox porque ela está vencida ou porque o medicamento já não é necessário, não o jogue no lixo ou no ralo. Encontre um ponto de reciclagem de medicamentos administrado pelas autoridades do seu país.

Comentários finais

O Diamox é um dos medicamentos que tem como princípio ativo a acetazolamida, um inibidor da enzima anidrase carbônica que favorece a micção e a eliminação do excesso de líquidos. Ele é muito útil no tratamento do glaucoma de ângulo aberto e da hipertensão intracraniana, embora também seja usado como tratamento de suporte da epilepsia e de outras condições específicas.

Se você vai começar um tratamento com este medicamento, informe bem o seu médico sobre uma possível insuficiência hepática, disfunção renal ou condições sistémicas já presentes. Este medicamento é muito útil, mas pode piorar a situação do paciente se ele já tiver algumas doenças prévias específicas.

Pode interessar a você...
Glaucoma: sintomas, causas e tratamentos
Muy SaludLeia em Muy Salud
Glaucoma: sintomas, causas e tratamentos

O glaucoma é a principal causa de cegueira no mundo todo. Descubra como detectar e combater esta doença silenciosa.