Vareniclina: o que é e para que serve?

A vareniclina é um medicamento relativamente novo que ajuda as pessoas a abandonarem o fumo. A taxa de sucesso geral é condicionada, pois o paciente deve se esforçar para combater o vício.
Vareniclina: o que é e para que serve?
Samuel Antonio Sánchez Amador

Escrito e verificado por el biólogo Samuel Antonio Sánchez Amador em 24 Agosto, 2021.

Última atualização: 24 Agosto, 2021

A vareniclina é um medicamento usado para o tratar o vício do tabagismo. Ela reduz a necessidade de consumir nicotina e também  o efeito recompensador que essa droga – e outros componentes do cigarro – geram a curto prazo.

Vareniclina é o princípio ativo, mas esse medicamento é disponibilizado ao público com os nomes comerciais de Champix ® e Chantix ®. Ele serve como opção alternativa à terapia de reposição de nicotina na forma de adesivos, goma de mascar ou bupropiona (Zyntabac ®).

Para que é usada a vareniclina?

Para entender o mecanismo de ação da vareniclina, devemos primeiro revisar brevemente como o tabaco funciona a nível neurológico. Em primeiro lugar, cabe destacar que a nicotina é o principal componente do tabaco que causa dependência.

Como indica a BBC, a nicotina do tabaco passa rapidamente para os pulmões e atinge o cérebro em apenas 7 segundos, onde estimula os receptores cerebrais. Como resultado, é aumentada a liberação de dopamina e norepinefrina, neurotransmissores que atuam como mecanismos de recompensa comportamental.

Os adesivos de nicotina e a bupropiona têm sido usados historicamente para interromper esse ciclo vicioso, com efeito mínimo a longo prazo. De qualquer forma, desde 2006 a ação da vareniclina começou a ser testada em âmbito clínico, e hoje ela está à disposição do público.

Mecanismo de ação

A nicotina estimula os receptores de dopamina a gerar dependência. Os componentes do cérebro que desempenham um papel essencial nesse mecanismo são aqueles localizados na área tegmental ventral (ATV), uma vez que a liberação de dopamina nesta área facilita o surgimento da dependência.

A vareniclina atua inibindo os efeitos da nicotina no cérebro, conforme indicado pela Statpearls. Ela é um agonista parcial que bloqueia os subtipos de receptores nicotínicos da acetilcolina alfa 4-beta 2, inibindo assim a liberação de dopamina descrita acima. Isso reduz o bem-estar ao fumar e a sensação de dependência ao quando o paciente deixa de fumar.

Pare de fumar com a ajuda da vareniclina.
Parar de fumar exige muito esforço e uma abordagem multidisciplinar.

Este medicamento funciona?

É necessário esclarecer alguns pontos que se referem à utilidade desse medicamento. De acordo com estudos publicados na revista American Family Physician, a vareniclina ajuda 1 a cada 11 pessoas a parar de fumar, ao menos por um período de 6 meses.

Por outro lado, as pesquisas indicam que ela é mais útil do que a bupropiona ou adesivos nicotínicos, especificamente 1,4 e 1,56 vezes mais, respectivamente. Em todo caso, é feita uma ênfase especial de que menos de 20% dos pacientes tratados com este medicamento permanecem em abstinência por mais de um ano.

Com esses dados não queremos dizer que a vareniclina é inútil, mas sim que parar de fumar requer uma abordagem multidisciplinar. É possível que você siga o tratamento e não supere o vício, mas não desanime. Alguma das suas tentativas de parar será a última.

De acordo com o monitoramento estatístico, um fumante pode tentar parar de fumar até 30 vezes antes de conseguir.

Como a vareniclina é administrada?

Este medicamento é prescrito apenas para pacientes acima de 18 anos de idade. A apresentação é simples, pois se trata de uma caixa com comprimidos para ingestão oral.

Nós nos baseamos no folheto Champix ® para te informar sobre as generalidades da dosagem na seguinte lista:

  1. Antes de iniciar o tratamento, você deve decidir quando vai parar de fumar. Geralmente isso deve ser feito entre os dias 8 e 14, se você começar a tomar o medicamento no início do mês – conforme as instruções. Escreva esta data no recipiente como um lembrete.
  2. A apresentação é na forma de comprimidos brancos (0,5 miligramas de vareniclina) e azuis (1 miligrama de vareniclina). A cor da pílula é importante, pois indica em que ponto do tratamento o paciente está.
  3. Dosagem do dia 1 ao dia 3: tomar um comprimido branco (0,5 miligramas) por dia.
  4. Dias 4-7: tomar 2 comprimidos brancos por dia. Idealmente, um pela manhã e outro ao entardecer.
  5. Dias 8-12: é necessário mudar para os comprimidos azuis (de 1 miligrama), mas continuar tomando 2 comprimidos por dia com a mesma rotina.
  6. Dia 12 – final do tratamento: manter a ingestão de 2 comprimidos azuis por dia.

Se você parou de fumar durante as primeiras 12 semanas de tratamento, o profissional pode te aconselhar a continuar tomando 2 comprimidos azuis por dia durante algum tempo, para evitar uma recaída. Por outro lado, se você não conseguir parar, tente reduzir o consumo durante as primeiras 12 semanas de tratamento com vareniclina.

O tratamento deve começar de 1 a 2 semanas antes que a pessoa pare de fumar. No entanto, o paciente pode reduzir gradativamente o consumo de cigarros enquanto toma a medicação, mas o tratamento será mais longo.

Quem não deve tomar vareniclina?

A Food and Drug Administration (FDA) reconheceu que, em alguns casos, a vareniclina pode provocar tendências suicidas e comportamentos anormais em pessoas psicologicamente instáveis.

Isso não significa que esse medicamento não deva ser usado por pessoas com problemas psiquiátricos, mas sim que  um monitoramento rigoroso é essencial. Também é necessário informar o profissional médico nos seguintes casos:

  1. Pessoas com sintomas cardíacos: a administração de vareniclina pode piorar problemas cardiovasculares, especialmente em pacientes mais velhos.
  2. Pacientes com convulsões: a vareniclina pode causar convulsões. Verifique com o seu médico se você tem um histórico dessa condição.
  3. Crianças e adolescentes: a eficácia deste medicamento não foi demonstrada em crianças com menos de 18 anos de idade.
  4. Gravidez e lactância: Embora a toxicidade fetal desse medicamento não tenha sido confirmada, é recomendável evitar o uso durante a gravidez.

Quais são os efeitos secundários?

Como todos os medicamentos, a vareniclina apresenta certos efeitos colaterais. Nós os apresentaremos com base na porcentagem de pacientes afetados em cada caso:

  • Efeitos colaterais muito comuns (mais de 1 a cada 10 pessoas): inchaço no nariz e garganta, sonhos anormais, dificuldade para dormir, dor de cabeça e náuseas. A náusea pode ser evitada iniciando o tratamento com doses mais baixas.
  • Sintomas comuns (até 1 a cada 10 pessoas): inflamação nos seios da face, aumento de peso e apetite, tontura, alterações no paladar, tosse, azia, vômito, prisão de ventre, diarreia, erupção cutânea e dor nas articulações.
  • Sintomas pouco frequentes (até 1 a cada 100 pessoas): convulsões, tremor, menor sensibilidade ao toque, pânico, dificuldade para pensar, inquietação, zumbido nos ouvidos, sangue vermelho nas fezes, açúcar elevado no sangue, pensamentos suicidas.
  • Efeitos colaterais raros (até 1 a cada 1000 pessoas): sede excessiva, pensamento lento, ictos, sangue no vômito, fezes anormais, língua saburrosa, perda de contato com a realidade e incapacidade de pensar ou julgar (psicose), reações na pele e alergias graves.

Embora todos esses sintomas clínicos pareçam alarmantes, cabe observar que a maioria dos pacientes nunca os apresenta. Os mais comuns são náuseas e dores de cabeça, principalmente no início do tratamento.

Estado psicótico devido à vareniclina.
Efeitos neurológicos adversos casados pelo medicamento têm sido relatados, mas não representam uma frequência alta.

O que acontece se eu esquecer uma dose?

É importante tomar o medicamento regularmente, no mesmo horário. Como já dissemos, se você tomar apenas um comprimido basta tomá-lo pela manhã. Se tomar dois, distribua-os entre o café da manhã e o lanche.

No caso de você se esquecer de uma dose, tome-a o mais rápido possível. Mas se faltarem menos de 3 horas para a próxima, é melhor pular. Nunca tome 2 comprimidos para compensar o esquecimento.

Como devo agir em caso de overdose de vareniclina?

É muito difícil que ocorra uma overdose de vareniclina. Este medicamento é sempre compartimentado de acordo com o dia e a hora de ingestão, portanto, basta seguir as instruções. Em qualquer caso, se você tomou mais comprimidos que deveria, procure imediatamente um pronto-socorro com a caixa do medicamento.

Caso você desenvolva algum dos sintomas raros listados acima – mesmo que não tenha ocorrido uma overdose – é necessária a interrupção imediata do tratamento. A descontinuação da ingestão não tem efeitos colaterais relatados, portanto, pode ser feita uma interrupção drástica.

Como armazenar ou descartar este medicamento?

Se os comprimidos estiverem na forma de blister, não devem ser armazenados acima de 30 graus Celsius. Por outro lado, se eles estiverem em um frasco, nenhum tratamento especial é necessário. Baste ter o cuidado de manter o medicamento fora do alcance das crianças.

Se você deseja se desfazer deste medicamento, não o jogue no lixo ou no vaso sanitário, pois isso pode causar grandes danos ao meio ambiente. Em países como a Espanha, é possível levar o medicamento até o ponto SIGRE mais próximo e descartá-lo neste local.

Vareniclina: mais uma ajuda para parar de fumar

A veriniclina pode te ajudar a parar de fumar. Ainda assim, é importante lembrar que os estudos indicam que apenas 1 em cada 11 pessoas (menos de 20%) abandonou completamente o hábito após vários meses de tratamento.

Isso não significa que o medicamento não funcione, mas sim que o paciente deve ter persistência, força de vontade, perseverança e muito autocontrole.

Por outro lado, recomendamos que você procure ajuda psicológica para lidar com o seu vício a partir de uma abordagem emocional. Com o apoio de um terapeuta e os medicamentos adequados, alguma tentativa será a definitiva.

Guia para parar de fumar