Sintomas de câncer de pele

O câncer de pele é uma das neoplasias mais comuns do mundo. Por isso, é fundamental conhecer seus sintomas para fazer um diagnóstico precoce e prevenir complicações.
Sintomas de câncer de pele

Escrito por Luis Rodolfo Rojas Gonzalez, 26 Maio, 2021

Última atualização: 30 Maio, 2021

O câncer de pele é uma das patologias neoplásicas mais comuns no mundo. Ele possui diversas formas de apresentação e pode se manifestar em diferentes partes do corpo. Você quer saber quais são os sintomas do câncer de pele? A seguir te contamos.

As neoplasias de pele geralmente aparecem como verrugas, pintas ou manchas novas que assustam quem sofre dela. Essas lesões podem variar em forma, espessura e cor, conforme com o tipo de câncer. A progressão desta patologia pode levar à metástase para outros órgãos, portanto, a identificação precoce e o procedimento apropriado são vitais.

Sintomas comuns de câncer de pele

Sintomas de câncer de pele
O autoexame é importante para detectar todos esses sintomas precocemente.

Atualmente, o carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelular são as neoplasias cutâneas mais comuns. Por sua vez, o melanoma é a terceira forma de apresentação mais frequente, sendo responsável por mais de 132 mil casos por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

É importante saber que nem todas as alterações na pele são consideradas um sinal indicativo de câncer. No entanto, é necessário buscar ajuda profissional diante do aparecimento de lesões em qualquer parte do corpo ou do agravamento das existentes.

Nesse sentido, alguns dos sintomas que permitem orientar o diagnóstico precoce do câncer de pele são os seguintes:

Manchas anormais na pele

O aparecimento ou desenvolvimento de manchas na pele costuma ser um dos primeiros sintomas do câncer. Essas manifestações são geralmente superficiais, assimétricas e com bordas irregulares. Estudos sugerem que 30% dos carcinomas basocelulares se manifestam como manchas rosadas, peroladas ou avermelhadas de crescimento lento.

Por outro lado, o carcinoma de células escamosas geralmente começa como uma mancha avermelhada que depois fica coberta por escamas e crostas. Isso principalmente em áreas do corpo expostas ao sol, como rosto, o pescoço, os braços e as pernas. Além disso, as manchas podem ter tonalidade marrom ou tom escuro e apontar para um possível melanoma.

Úlceras que não cicatrizam

Na maioria dos casos, o médico primeiro descarta uma picada, lesão traumática ou alteração vascular diante da presença de úlcera, ou ferida. No entanto, a permanência ou recorrência dessas lesões ao passar do tempo pode ser considerada um indicativo do sintoma de câncer de pele.

Algumas pesquisas afirmam ser muito provável encontrar úlceras que não cicatrizam em cânceres de células escamosas e de basocelulares. Geralmente são evidentes no nariz, nas orelhas, no lábio inferior ou nas mãos. Além disso, podem ser acompanhadas por áreas de pele saliente, avermelhada ou amarelada, brilhante e com crostas.

Mudanças nas lesões existentes

O câncer de pele costuma surgir de lesões existentes em uma grande parte dos pacientes. O aumento do tamanho, a mudança de cor e a presença de secreções nas pintas, manchas ou outras lesões geralmente indicam a presença de uma doença neoplásica.

No câncer de células escamosas e basocelulares, essas alterações costumam ser lentas, porque passam despercebidas. No entanto, a maioria dos melanomas malignos progridem rapidamente de nevos displásicos ou pintas (quer dizer, com alterações estruturais em suas células).

Alterações de sensibilidade associadas a uma lesão na pele

É raro as pessoas terem alguma alteração na sensibilidade associada a uma lesão de pele de qualquer outra etiologia. No entanto, em lesões de câncer de pele, é possível evidenciar sensações como formigamento, inchaço, ardor e coceira ou prurido. De fato, alguns pacientes sentem dor persistente na área afetada.

Sintomas raros de câncer de pele

As neoplasias de pele podem se manifestar em raras ocasiões com sintomas pouco característicos de câncer. Geralmente, isso está relacionado com doenças de outras regiões do corpo além da pele ou a um tipo de câncer pouco comum.

No entanto, a presença dessas manifestações, em associação com as já citadas, permitem orientar o diagnóstico dessa doença.

Linhas escuras nas unhas

No melanoma subungueal, pequenas manchas lineares escuras podem ser encontradas sob as unhas ou na cutícula. Deve-se suspeitar do câncer de pele diante do surgimento desse sintoma de forma espontânea, sem qualquer trauma anterior que o anteceda. Alguns estudos sugerem que esta forma de câncer é responsável por 1% dos melanomas no Reino Unido.

Alterações visuais

Alterações na visão, como visão dupla ou embaçada, podem indicar a presença de um melanoma ocular. Pesquisas afirmam que a úvea é o local onde mais de 82% desse tipo de melanoma se desenvolve. Além disso, é possível apresentar fotofobia (intolerância à luz), perda da visão periférica e manchas na esclera do olho (parte branca).

Cicatrizes estranhas na pele

Apesar do que a maioria das pessoas espera, nem todos os cânceres de pele se manifestam como protuberâncias ou lesões chamativas. O carcinoma basocelular às vezes se apresenta como uma depressão em forma de cicatriz na pele.

Essas lesões cancerígenas aparecem espontaneamente e não estão relacionadas a trauma ou lesão prévia.

Erupções e manchas vermelhas na pele

Sintomas de câncer de pele
É importante consultar um médico diante de qualquer lesão significativa.

No linfoma de células T, erupções cutâneas e placas avermelhadas podem ser encontradas acompanhadas de coceira intensa e inflamação. Essas lesões costumam ser confundidas com eczema, psoríase ou algum tipo de micose superficial. Elas geralmente aparecem nas nádegas, virilha, quadris e axilas.

Inflamação do tecido mamário

A presença de dermatite eczematosa aparentemente benigna na pele da mama não deve passar despercebida. Pode estar relacionado à extensão metastática de um câncer de mama disfarçado. Esta condição é conhecida como doença de Paget e deve ser tratada imediatamente.

Sintomas de melanoma

Embora o melanoma não seja tão comum quanto outras formas de câncer de pele, ele evolui rapidamente e seu potencial de maligno é maior. No entanto, a identificação precoce e o tratamento adequado do mesmo oferecem um bom prognóstico para a maioria dos pacientes.

Mudanças nas pintas costumam ser os principais sinais de alerta dessa doença. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda seguir as seguintes regras para a detecção precoce dos melanomas:

  • A: a evidência de uma mancha assimétrica, em que ambas as metades são desiguais.
  • B: presença de bordas irregulares, entalhadas ou borradas.
  • C: lesões pretas, castanhas ou castanhas, bem como áreas vermelhas, cinzentas, brancas ou azuis.
  • D: pintas maiores do que uma ervilha ou borracha de lápis.
  • E: a evolução desfavorável de uma lesão pré-existente, com alterações em seu tamanho, espessura, textura, forma e cor.

Possíveis complicações

No câncer de pele, está associado a uma grande variedade de complicações. No câncer de células basais e de células escamosas, as complicações são frequentemente associadas ao desenvolvimento de tumor local.

No entanto, no melanoma ocorrem complicações locais e sistêmicas, sendo a metástase uma das mais preocupantes. Entre as principais complicações associadas ao câncer de pele estão as seguintes:

  • Infecções: são produzidas pela invasão do tecido secundário à perda de continuidade da pele. Elas podem variar de uma foliculite a celulite ou sepse com lesão em vários órgãos. O tratamento oncológico pode influenciar a depressão do sistema imunológico e favorecer essas infecções.
  • Linfedema: é o aumento do tamanho de uma parte do corpo, geralmente um algum membro, secundário ao bloqueio ou dano da drenagem linfática. Na maioria dos casos, ocorre devido à retirada cirúrgica dos gânglios linfáticos, no entanto, pode ser decorrente de extensão metastática.
  • Desfiguração: As neoplasias extensas e profundas na pele estão associadas a cicatrizes extensas e perda de características faciais. Essa situação é incomum diante da abordagem precoce da doença.
  • Transtornos depressivos ou de ansiedade: a presença de uma lesão evidente na pele pode afetar o humor e influenciar a autoestima e a psique das pessoas. Por esse motivo, um protocolo de atendimento psicológico é vital para esses pacientes.
  • Recorrência: as neoplasias da pele de tipo não melanoma podem reaparecer no mesmo local da doença inicial após o término do tratamento. Por sua vez, os melanomas podem voltar no mesmo local ou em outras partes do corpo.
  • Metástase: nas formas avançadas da doença pode haver extensão para outros órgãos e tecidos. Esse fato pode alterar a estrutura e o funcionamento normal do corpo humano. Os órgãos mais afetados são os gânglios linfáticos, os ossos, os pulmões, o fígado e o cérebro.

Quando procurar ajuda médica?

Em geral, as neoplasias cutâneas apresentam bom prognóstico e evolução se diagnosticadas nas etapas iniciais. Portanto, procure atendimento médico o mais rápido possível se aparecer algum dos sintomas de câncer de pele mencionados acima.

O dermatologista pode dar a assistência necessária, avaliar a lesão e indicar a abordagem diagnóstica e terapêutica mais adequada.

É importante monitorar qualquer mancha, pinta ou nevo que estão mudando suas características iniciais. A prevenção do câncer de pele implica um estilo de vida saudável, evitando a exposição excessiva ao sol e o controle periódico da pele feito por um especialista.

Pode interessar a você...
As 3 diferenças entre doenças genéticas e hereditárias
Muy Salud
Leia em Muy Salud
As 3 diferenças entre doenças genéticas e hereditárias

Distinguir as doenças genéticas das hereditárias é importante, principalmente no campo clínico, por isso apresentaremos 3 diferenças entre elas.



  • Castañeda Gameros P, Eljure Téllez J. El cáncer de piel, un problema actual. Revista de la Facultad de Medicina de la UNAM. 2016; 19(2): 6-14.
  • PDQ Adult Treatment Editorial Board. Skin Cancer Treatment (PDQ®): Patient Version. 2020. In: PDQ Cancer Information Summaries. Bethesda (MD): National Cancer Institute (US); 2002-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK65824/.
  • Bristow I, De Berker D, Acland K et al. Clinical guidelines for the recognition of melanoma of the foot and nail unit. J Foot Ankle Res. 2010; 3(25).
  • Jovanovic P, Mihajlovic M, Djordjevic-Jocic J, Vlajkovic S et al. Ocular melanoma: an overview of the current status. Int J Clin Exp Pathol. 2013;6(7):1230-44.
  • Goto H, Kiyohara Y, Shindo M, Yamamoto O. Symptoms of and Palliative Treatment for Unresectable Skin Cancer. Curr Treat Options Oncol. 2019;20(4):34.
  • Linares MA, Zakaria A, Nizran P. Skin Cancer. Prim Care. 2015;42(4):645-59.