O que é parosmia?

A parosmia é um alteração do olfato muito comum, especialmente em pessoas idosas. Infelizmente, tem um diagnóstico difícil e não tem um tratamento específico.

O olfato é um sentido essencial na vida humana, permite desfrutar dos cheiros agradáveis do ambiente e está intimamente relacionado com o paladar. Qualquer alteração nesse sentido, por menor que seja, influencia negativamente a vida de quem a sofre. Você quer saber o que é parosmia e por que ela aparece? Continue lendo!

O cheiro é a interpretação que o cérebro gera como resultado da ação de substâncias químicas no sistema olfatório. O sistema nervoso central (SNC) está tão acostumado a esse tipo de estímulo que consegue identificar sua fonte e suas qualidades. Dessa forma, oferece informações sobre o que nos rodeia, desempenhando um papel fundamental na saúde.

Os distúrbios do olfato são patologias muito comuns em idosos, de fato, estima-se que tenham prevalência de até 50% em pessoas com mais de 65 anos. Muitas dessas alterações estão associadas a patologias neurológicas, porém, também podem surgir após infecções respiratórias graves.

O que é parosmia?

Origem cerebral da parosmia.
Às vezes, a parosmia é causada por distúrbios neurológicos.

A parosmia é uma alteração qualitativa do olfato em que um odor existente no ambiente é percebido de forma diferente do usual, podendo até ser desagradável. É importante fazer a distinção da fantosmia, em que um odor desagradável é percebido na ausência total de estímulo olfatório.

Existem certas condições fisiológicas que podem levar a uma interpretação errada de um aroma como a fome, a saciedade ou o estado sexual. No entanto, a parosmia é uma manifestação clínica de alguma patologia subjacente na maioria dos casos. Quando a alteração é acompanhada por distúrbios de comportamento, pode causar anorexia e outros problemas.

Pessoas com essa alteração de sentido são afetadas em seu desenvolvimento diário. Isso ocorre não apenas porque eles podem cheirar coisas desagradáveis em um local completamente limpo, mas também podem afetar o seu paladar. Nesse sentido, é possível que a comida adquira um sabor desagradável.

Quais são as causas possíveis?

As causas da disfunção olfativa qualitativa atualmente não são totalmente claras. Alguns estudos estabelecem que podem estar relacionados a alterações nas estruturas ao redor do sistema olfatório. Outras hipóteses estabelecem que a parosmia também pode ser decorrente de disfunções nos neurônios do próprio sistema olfatório.

São muitas as teorias sobre o porquê desta alteração qualitativa aparecer, se pensa mesmo que possa ocorrer devido a uma espécie de curto-circuito no sistema olfatório. No entanto, pode-se dizer que a parosmia surge como resultado de múltiplas doenças do trato respiratório e do SNC, como as seguintes :

  • Sinusite.
  • Gripe ou resfriado comum.
  • Quadros psicóticos.
  • Tumores intracranianos.
  • Epilepsia.
  • Esquizofrenia.
  • Dispepsia.

Uma descoberta recente associa a parosmia à infecção por COVID-19, sendo um dos sintomas que podem ocorrer. De fato, estudo realizado em 2020 constata que até 32,4% dos pacientes apresentavam esse sintoma. Além disso, também aparece como uma das sequelas persistentes da doença.

Alguns fatores de risco

Por outro lado, alterações do olfato podem ocorrer em algumas pessoas nas quais não há patologia de base que explique sua aparição. Nesse sentido, foram estabelecidos vários fatores de risco que predispõem ao aparecimento da doença sem ser causa direta, dentre os quais se destacam:

  • Envelhecimento.
  • Hábito de fumar.
  • Ferimentos na cabeça.
  • Tumores na cavidade nasal.
  • Exposição a certos produtos químicos e medicamentos.
  • Tratamento de radiação para câncer de cabeça e pescoço.
  • Alterações hormonais.

Diagnóstico de parosmia

Homem no médico por parosmia.
A consulta médica é essencial.

O diagnóstico de parosmia e qualquer outra alteração do olfato pode ser muito difícil, pois são manifestações subjetivas. Nesse sentido, o interrogatório adquire grande importância, onde é necessário questionar sobre antecedentes pessoais ou familiares que possam explicar a presença da doença.

Por meio do questionamento, também devem ser determinados o início dos sintomas, a intensidade, a duração e a presença ou ausência de sintomas associados. Se a parosmia estiver associada a dores de cabeça ou distúrbios comportamentais, problemas do sistema nervoso devem ser considerados, caso contrário, estarão associados a patologias respiratórias.

O exame físico tem grande importância, primeiro deve-se observar o estado das narinas, com especial ênfase na parte superior das mesmas. O sentido do olfato também deve ser comprovado, isto é feito vendando o paciente e submetendo-o a cheiros fortes, para que explique depois as características do mesmo.

Outro teste que pode ser realizado é a olfatometria, que é um teste destinado a controlar e manipular a concentração de odores, avaliando o olfato. Os estudos de imagem como a ressonância magnética e a tomografia computadorizada são muito úteis quando há suspeita de que a alteração é produto de uma condição do sistema nervoso.

Tratamento

Atualmente não existe um tratamento específico para a parosmia, portanto o tratamento a ser seguido dependerá de cada caso particular. Felizmente, na maioria dos casos, é suficiente eliminar a patologia de base para que a condição desapareça por conta própria após alguns dias.

Alguns especialistas sugerem o uso de psicofármacos como antipsicóticos e outros compostos como vitaminas do grupo A e B, sais de zinco ou corticoides, no entanto, sua eficácia ainda não está 100% comprovada, por isso seu uso é controverso.

Infelizmente, existem casos muito específicos em que o distúrbio do olfato não pode ser tratado, portanto, deve-se buscar ajuda psicológica para se adaptar a um novo estilo de vida. Viver com uma alteração permanente em qualquer um dos sentidos é uma mudança brusca, mas pode ser superada com ajuda profissional.

Uma alteração frequente que afeta a qualidade de vida

O sentido do olfato está intimamente relacionado ao dia a dia das pessoas, portanto, qualquer alteração nele pode ter consequências desagradáveis. A parosmia é uma condição comum, principalmente em idosos, que altera a percepção de alguns estímulos odoríferos.

O diagnóstico dessa condição é muito complexo e baseia-se principalmente no questionário, embora possa ser verificado com exames de imagem. Em caso de alteração do olfato, é de vital importância consultar o mais rápido possível um especialista com a finalidade de realizar um diagnóstico precoce e evitar danos permanentes.

  • Carrillo B, Carrillo V, Astorga A, Hormachea D. Diagnóstico en la patología del olfato: Revisión de la literatura. Rev. Otorrinolaringol. Cir. Cabeza Cuello. 2017; 77: 351-360.
  • Chacón Martínez J, Morales Puebla J, Jiménez Antolín J. Patología de la olfación: olfatometría y manejo de los problemas olfativos. Libro virtual de formación en ORL.
  • Romero-Gameros CA, López-Moreno MA, Anaya-Dyck A, Flores-Najera SS y col. Alteraciones del gusto y olfato en el contexto de la pandemia por SARSCoV-2. Análisis preliminar. An Orl Mex. 2020; 65 (3): 147-155.
  • Iannilli E, Leopold DA, Hornung DE, Hummel T. Advances in Understanding Parosmia: An fMRI Study. ORL J Otorhinolaryngol Relat Spec. 2019;81(4):185-192.
  • Hawkes C. Parosmia: treatment, mechanism, and types. BMJ. 2020 Dec 8;371:m4739.
  • Zilstorff K, Herbild O. Parosmia. Acta Otolaryngol Suppl. 1979;360:40-1.