Artrose: tudo o que você precisa saber

A artrose é uma doença que afeta as articulações, causando dores e deformidades. Saiba mais sobre ela e como combatê-la.
Artrose: tudo o que você precisa saber

Escrito por Gilberto Sánchez, 18 Agosto, 2021

Última atualização: 21 Agosto, 2021

Para entender um pouco a artrose, devemos primeiro saber o que é uma articulação. Articulações são os componentes do esqueleto que nos permitem a movimentação e, consequentemente, nossa autonomia funcional.

Elas são formadas pela união de dois ossos através da cápsula articular. Dentro delas geralmente há um líquido, chamado líquido sinovial, que é produzido pela membrana sinovial. As extremidades ósseas que se unem para formar a articulação são revestidas por cartilagem articular.

O que é artose?

A artose é uma doença articular degenerativa caracterizada pela deterioração progressiva da cartilagem hialina ou cartilagem articular, que pode ser acompanhada por alterações tanto sinoviais quanto ósseas.

A artrose é uma doença que pode afetar todas as articulações do corpo, incluindo as da coluna vertebral. Podemos classificá-la de diferentes formas: de acordo com a extensão como localizada ou generalizada; de acordo com a origem, pode ser classificada em primária ou idiopática, ou secundária ou associada a diversas doenças.

O que é cartilagem articular?

A cartilagem articular é um tecido nobre da articulação, composto por células chamadas condrócitos. Essa cartilagem é responsável por cobrir as superfícies articulares nas extremidades do osso. Entre suas funções, ela permite o deslizamento das superfícies articulares, além de atuar como amortecedor das forças produzidas na articulação.

Por que ocorre a artrose?

Não existe uma causa definitiva para esta doença. No entanto, pesquisas sugerem que certos fatores aumentam o risco de desenvolvê-la. Dentre eles, podemos citar:

  • Obesidade.
  • Determinadas ocupações e atividades de trabalho.
  • Fatores genéticos: alguns deles foram relacionados a certos tipos específicos de artrose, especialmente a das mãos.
  • Raça.
  • Exercícios físicos excessivos.
  • A idade é um fator que favorece o aparecimento da artrose.
  • Sexo: nas mulheres ela é mais frequente, principalmente após a menopausa e devido às alterações hormonais que ocorrem, além da baixa densidade mineral óssea.
  • Além dos fatores hormonais, também existem doenças nas quais é mais comum o desenvolvimento da artrose, como diabetes ou hipotireoidismo.
  • Fraturas e lesões articulares prévias favorecem o aparecimento dessa doença, bem como a existência de irregularidades no esqueleto, como displasias ou dismetria.
Osteoporose, exercícios, fibromialgia, idosa.

Quais são os sintomas?

Nesta patologia podemos encontrar manifestações clínicas cardinais, caracterizadas por:

  • Dor articular.
  • Limitação de movimentos.
  • Crepitação articular.
  • Ocasionalmente, graus variáveis de edema ou até derrame sinovial.

Outros sinais e sintomas que podem ocorrer são deformidade e desalinhamento articular, instabilidade e rigidez. Entre as articulações que são frequentemente afetadas estão:

  • Joelhos.
  • Mãos.
  • Quadris.
  • Pequenas articulações do pescoço.

Geralmente ela não afeta os ombros, cotovelos ou tornozelos, exceto em casos de artose secundária a traumatismos ou outras doenças.

O principal sintoma é uma dor crônica com características mecânicas que piora com a atividade, especialmente ao começá-la, e melhora com o repouso. A dor característica da artrose é diurna e surge ao começar os movimentos; depois melhora, reaparecendo com exercícios intensos.

O crescimento das extremidades ósseas que constituem a articulação pode fazer com que ela se alargue, se expanda e se deforme. A artrose geralmente não altera o alinhamento dos ossos que compõem a articulação, com duas importantes exceções: as articulações do joelho e dos dedos.

Algumas pessoas afetadas por essa patologia podem apresentar episódios de inchaço e derrame nas articulações, com acúmulo de líquido nas mesmas.

Como ela é diagnosticada?

Para fazer o diagnóstico da artose, em primeiro lugar deve-se considerar os sintomas relatados pelo paciente, tais como:

  • Dor.
  • Rigidez.
  • Deformidade.
  • Perda de funcionalidade.

Também pode te interessar: O cérebro pode sentir dor?

O resultado dos exames de sangue e urina não são alterados por esta doença. Às vezes, o fluido das articulações afetadas pode ser extraído e testado. Isso é útil para aliviar a dor e investigar a presença de outras doenças na articulação.

Radiografias simples das articulações ajudam a confirmar o diagnóstico, mostrar a intensidade do dano e descartar outras lesões. Se houverem complicações outros exames de imagem podem ser feitos, como tomografia computadorizada, ressonância magnética ou gamagrafia óssea.

Como tratar a artrose?

O tratamento da artrose se baseia principalmente na busca por:

  • Alívio da dor nas articulações.
  • Manutenção da capacidade funcional.

Para isso várias alternativas estão disponíveis, incluindo: medidas não farmacológicas, medicamentos e, às vezes, cirurgia.

Medidas não farmacológicas

As medidas não farmacológicas são uma série de procedimentos que têm como objetivo melhorar os sintomas e, assim, tornar possível realizar tarefas laborais, domésticas e de cuidado pessoal. Por exemplo, exercícios aeróbicos como natação e caminhada, quando praticados regularmente, ajudam a controlar a doença.

Pode ser realizada uma série de exercícios físicos com o objetivo de melhorar a mobilidade articular e aumentar a força muscular. Outras medidas que podem ser adotadas são o uso de calor e frio na articulação afetada, além do uso de talas e sistemas ortopédicos que ajudem a reduzir a sobrecarga na articulação artrítica.

Eliminar ou reduzir a obesidade é particularmente útil e necessário na artrose do joelho, por exemplo. Com isso também pode-se diminuir a dor em outras articulações de apoio, como o quadril e a coluna lombar. Para alcançar uma redução de peso, é necessário seguir uma dieta saudável baseada na redução de calorias e no aumento da atividade física.

Medidas Farmacológicas

Paracetamol.

A manutenção de um tratamento sintomático, como o da artrose, requer medicamentos eficazes, seguros e cômodos. A resposta de cada paciente aos anti-inflamatórios é variável; em algumas ocasiões, podem ser provocadas alterações no trato digestivo com o uso excessivo desses medicamentos.

Existe uma nova geração de anti-inflamatórios, com ação mais específica e seletiva sobre a dor e a inflamação, respeitando a integridade do trato digestivo e ajudando a evitar ou reduzir possíveis alterações.

Leia também: Artrite psoriásica

Os analgésicos e anti-inflamatórios não esteroides geralmente são administrados por via oral. Existem outras vias de aplicação, inclusive o uso tópico, ou seja, aplicação na pele que recobre a articulação na forma de pomada, creme, nebulizador ou spray.

Às vezes, infiltrações de derivados de cortisona ou ácido hialurônico podem ser necessárias para o tratamento das articulações com artrose. O sulfato de glicosamina é, por fim, um medicamento que pode atuar como nutriente para a cartilagem articular, aliviando os sintomas.

Medidas cirúrgicas

Em alguns pacientes com artrose avançada e incapacitante, a cirurgia pode ser necessária para reduzir a dor e recuperar o máximo possível de função da articulação. Algumas intervenções podem ser feitas para limpar e lavar a articulação, removendo aderências e corpos estranhos.

A osteotomia permite, através de cortes cunha de osso, realinhar e colocar a articulação na posição correta. Ela é aplicada, sobretudo, no joelho. A artroplastia consiste na substituição total ou parcial das áreas doentes da articulação, utilizando próteses artificiais.

Prognósticos

A artose é uma doença crônica e de longa duração. Não existe um tratamento que a cure. No entanto, como acontece com outras condições crônicas, os sintomas  podem ser aliviados e atenuados, permitindo que o paciente sofra o menos possível.

Pode interessar a você...
Como a artrite é diagnosticada
Muy SaludLeia em Muy Salud
Como a artrite é diagnosticada

O diagnóstico da artrite pode ser muito complexo, devido à grande variedade de manifestações que ela apresenta. Descubra o protocolo de detecção.