Acne neonatal: causas, sintomas e tratamento

As assaduras (também conhecida como dermatite das fraldas) não são o único problema de pele que um recém-nascido pode ter. Conheça a seguir a acne neonatal e suas principais características.
Acne neonatal: causas, sintomas e tratamento

Escrito por Maite Córdova Vena, 11 Julho, 2021

Última atualização: 11 Julho, 2021

A dermatite seborréica, assaduras, cistos de milium, miliária, milia e acne neonatal são doenças de pele diferentes que um bebê pode apresentar desde o nascimento. Embora geralmente sejam leves e de natureza transitória, podem causar certa preocupação aos pais. Especialmente entre os pais de primeira viagem.

A acne neonatal é uma doença inflamatória da pele que os recém-nascidos podem desenvolver durante as primeiras semanas ou meses de vida. Assim, em alguns casos pode ocorrer em bebês pequenos, com poucas semanas de vida, enquanto em outros casos pode aparecer mais tarde, quando já completaram vários meses.

De acordo com especialistas, é uma variante da acne vulgar. Ocorre com mais frequência em bebês do sexo masculino, embora também possa afetar meninas. A incidência é estimada em cerca de 20% dos recém-nascidos saudáveis.

Ao contrário do que geralmente se pensa à primeira vista, geralmente não é grave, mas se você tiver alguma dúvida, é melhor consultar o seu pediatra. Um check-up e um diagnóstico precoce podem ajudar a determinar o que está acontecendo com a pele do bebê (se é acne neonatal ou outra condição) e o que evitar para não agravar a situação.

Causas

Acne neonatal
Muitos são os fatores que interferem no surgimento da acne neonatal, desde aspectos genéticos até a influência de fatores ambientais.

Tal como acontece com outros tipos de acne, a acne neonatal não tem uma causa única, mas é causada por uma combinação de vários fatores.

Um artigo intitulado Acne neonatal e infantil – etiopatogênese, apresentação clínica e possibilidades de tratamento indica o seguinte:

“Acredita-se que o desequilíbrio androgênico causado por esteróides maternos em casos neonatais e secreção endógena em bebês seja a principal causa dessas formas de acne pediátrica. Em pacientes com sintomas de virilização, puberdade precoce ou distúrbios de crescimento, é indicado realizar uma avaliação abrangente para detectar causas endócrinas subjacentes. “

Sintomas

A acne neonatal é caracterizada por causar o aparecimento de poucas pápulas ou espinhas avermelhadas, que por sua vez podem estar associados a pústulas brancas e cravos.

Essas lesões geralmente afetam a região da bochecha, principalmente. No entanto, pode afetar a testa, o nariz e a área do queixo, como ocorre com os cistos de milium.

Por outro lado, há casos de acne neonatal em que as lesões aparecem não só na face, mas também no couro cabeludo, pescoço, tórax e parte superior das costas. No entanto, o mais comum é que se limite a afetar a área da bochecha.

Os sintomas são geralmente leves e remitem espontaneamente aos 3 meses de idade. Apenas em alguns casos pode se tornar persistente e exigir um controle médico mais rigoroso. Sobre isso, um artigo publicado na revista mexicana Dermatología , esclarece que:

“A acne neonatal pode ocasionalmente evoluir para acne infantil, caracterizada por lesões acneicas típicas, da 6ª à 7ª semana de idade, com lesões inflamatórias e cravos fechados, predominantemente nas bochechas”.

Tratamento

Acne neonatal não requer tratamento
Na maioria dos casos, não é necessário aplicar um tratamento específico para acne neonatal, pois geralmente é leve e desaparece espontaneamente.

Ao contrário da acne adolescente, a acne neonatal geralmente não requer nenhum tratamento e desaparece por si mesma, sem deixar marcas, aos 3 meses de idade. Em geral, basta levar em consideração as recomendações do pediatra quanto aos cuidados com a pele do bebê.

As recomendações geralmente consistem no seguinte:

  • Não manuseie os ferimentos.
  • Lave a pele do bebê com água morna.
  • Evite produtos de higiene e limpeza à base de óleo.
  • Seque a pele do bebê com cuidado e com uma toalha limpa. Não esfregue.
  • Não aplicar nenhum produto anti-acne sem autorização do pediatra ou dermatologista.

A aplicação de produtos de venda livre (sabonetes, géis, pomadas, etc.) pode ser prejudicial para a pele delicada do bebê, assim como outras medidas não autorizadas pelo profissional.

Não se deve esquecer que, mesmo quando um produto pode ser anti-acne, não será benéfico ou útil em todos os casos. Independentemente da fase da vida em que se encontra a pessoa afetada (infância, adolescência, idade adulta), o melhor é sempre consultar o profissional e seguir suas recomendações para dar à pele o que ela precisa para ser saudável.

Pode interessar a você...
Doença celíaca em crianças
Muy SaludLeia em Muy Salud
Doença celíaca em crianças

A doença celíaca em crianças pode apresentar múltiplos sintomas que retardam o diagnóstico correto. A seguir, mais detalhes.