Níveis de colesterol: tudo o que você precisa saber

A dieta tem grande influência nos níveis de colesterol das pessoas, portanto, uma dieta balanceada é essencial para evitar que eles aumentem. Você quer saber mais sobre eles? Continue lendo!
Níveis de colesterol: tudo o que você precisa saber

Escrito por Luis Rodolfo Rojas Gonzalez, 24 Abril, 2021

Última atualização: 24 Abril, 2021

O colesterol é uma substância semelhante à gordura que pode ser encontrada no sangue e em todas as células do corpo humano. O fígado sintetiza a quantidade necessária dessa substância; no entanto, níveis elevados de colesterol estão relacionados com o aparecimento de diversas doenças.

O colesterol tem diversas funções no organismo. Ele faz parte da membrana de todas as células do corpo humano, o que proporciona fluidez e permeabilidade. É também o precursor de certas substâncias, como os hormônios esteroides da glândula adrenal, a bile e a vitamina D.

Ter níveis elevados de colesterol no sangue é um problema de saúde muito comum atualmente. De fato, estudos mostram que até 45% das pessoas em uma determinada população têm níveis elevados de colesterol.

Como o colesterol é encontrado no sangue?

A medição é feita por meio de um exame de sangue denominado painel de lipoproteínas, que determina os níveis da substância e de outros lipídios no sangue. O colesterol é transportado no sangue ligado a certas proteínas, por isso é possível encontrar lipoproteínas de alta densidade (HDL) e lipoproteínas de baixa densidade (LDL).

O LDL é conhecido por muitas pessoas como o “colesterol ruim”, pois é aquele que tende a se acumular nos tecidos e gerar diversos problemas. Os triglicerídeos não são um tipo de colesterol em si, porém o seu excesso pode causar danos e eles também são medidos no exame como lipoproteína de densidade muito baixa (VLDL).

Por outro lado, o HDL pode ser identificado como o “colesterol bom”, uma vez que as suas funções incluem a facilitação do metabolismo e a eliminação do LDL e do VLDL. Os níveis de todos esses compostos podem ser medidos por meio de um exame de colesterol, que determina se há alguma alteração neles.

O exame de laboratório também pode medir o colesterol total no sangue, que seria a soma de todos os compostos descritos. Além disso, também é possível fazer a contagem do colesterol não-HDL, ou seja, a quantidade total de LDL e VLDL no sangue.

Quais são os níveis normais de colesterol?

Níveis elevados de colesterol são perigosos.
O acúmulo excessivo de colesterol pode favorecer a interrupção do fluxo vascular.

Os níveis normais de colesterol e triglicerídeos podem variar dependendo do sexo e da idade de cada pessoa, porém, eles devem estar dentro de uma faixa pré-estabelecida. Também é importante saber que a concentração desses compostos graxos é medida em uma unidade chamada miligramas por decilitro.

De um modo geral, as pessoas com menos de 19 anos têm níveis de colesterol mais baixos do que as pessoas mais velhas. Esta é uma condição fisiológica e os níveis geralmente diminuem com o passar dos anos. Nesse sentido, os níveis normais para uma pessoa com menos de 19 anos de idade são os seguintes (expressos em miligramas/decilitros):

  • Colesterol total: inferior a 170.
  • Não-HDL: inferior a 120.
  • HDL: superior a 45.
  • LDL: inferior a 100.

A variação em pessoas com mais de 20 anos não é tão marcante, porém, é preciso levar em consideração que esses valores aumentam. Os níveis de colesterol total podem chegar a 200 nesses pacientes, o que está dentro dos valores normais.

Diz-se que o colesterol total está elevado quando a sua concentração ultrapassa 240, enquanto níveis entre 200 e 239 são indicativos de alerta. Por outro lado, níveis baixos de LDL e níveis elevados de HDL são bons para a saúde na maioria dos casos.

Por que os níveis de colesterol aumentam?

Conforme mencionado anteriormente, o corpo humano sintetiza todo o colesterol necessário por meio de um conjunto de enzimas no fígado. No entanto, alguns alimentos, tais como carnes e ovos, possuem altas concentrações desse composto e podem alterar esses níveis.

Níveis elevados de colesterol no sangue são uma condição médica conhecida como hipercolesterolemia, que pode ser causada por diversas doenças. Dentre os fatores de risco para o aparecimento dessa condição se destacam o sedentarismo, o tabagismo, a obesidade e o diabetes.

Por outro lado, a alimentação inadequada é um dos principais fatores que aumentam os níveis de colesterol. As dietas desequilibradas afetam o corpo em todas as áreas e, portanto, consumir alimentos ricos em gordura saturada aumenta a concentração de LDL e VLDL no sangue em muito pouco tempo.

A hipercolesterolemia também pode ser decorrente de uma alteração genética. De fato, estudos mostram que ela se deve a uma alteração no braço curto do cromossomo 19. Essa doença é caracterizada por níveis elevados de LDL e pelo risco de desenvolver doenças cardíacas precocemente.

Quais são os riscos?

Ter níveis de colesterol acima dos valores normais representa um grande risco para a saúde, pois isso aumenta a probabilidade de desenvolver doenças cardíacas e metabólicas. Um dos principais riscos é o desenvolvimento de aterosclerose e de doença coronariana.

Em ambas as doenças, há um acúmulo de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos, formando uma placa, que reduz a luz vascular e diminui o fornecimento de oxigênio aos tecidos. Essas placas de gordura, chamadas de ateromas, podem estar localizadas em qualquer vaso sanguíneo e causar diversas condições.

Quando os ateromas estão localizados nas artérias coronárias, eles podem causar um infarto agudo do miocárdio (IAM). As placas de gordura também podem estar localizadas no cérebro, aumentando assim a probabilidade de acidente vascular cerebral e até mesmo de infarto cerebral.

Outro problema comum desencadeado pelas placas de ateroma nos vasos sanguíneos é a angina de peito. Ela nada mais é do que uma dor opressiva localizada na região precordial, logo acima do coração, que surge quando o músculo cardíaco não recebe a quantidade suficiente de oxigênio em um determinado momento.

Como diminuir os níveis de colesterol?

Níveis elevados de colesterol são perigosos.
O acúmulo excessivo de colesterol pode favorecer a interrupção do fluxo vascular.

Felizmente, são necessárias apenas algumas mudanças no estilo de vida para reduzir os níveis de colesterol no sangue. Algumas pesquisas mostram que um dos métodos mais eficazes é modificar a dieta, diminuindo o consumo de gordura saturada e aumentando a ingestão de fibras.

O consumo de frutas e vegetais também contribui para que o colesterol volte aos valores normais. Também é necessário evitar fritar os alimentos e optar por grelhar ou cozinhar no vapor. Praticar exercícios, reduzir o estresse e o tabagismo, bem como aumentar a ingestão de água, também são medidas úteis.

Em linhas gerais, é preciso fazer uma mudança no estilo de vida, buscando eliminar o sedentarismo quase que totalmente. Infelizmente, há casos em que essas mudanças não são suficientes e, portanto, é preciso fazer uso de medicamentos para o colesterol, sendo as estatinas um dos compostos mais úteis.

O monitoramento constante é fundamental

Os níveis de colesterol no sangue podem aumentar sem que haja nenhum sinal claro disso. Nesse sentido, o acompanhamento médico constante é de vital importância para prevenir o aparecimento da aterosclerose ou de outras patologias associadas à hipercolesterolemia.

Todas as pessoas com menos de 45 anos devem fazer um painel lipídico pelo menos a cada 5 anos. Porém, os idosos devem fazer esse exame a cada 2 anos, uma vez que a probabilidade de apresentar alterações durante esse período da vida é maior.

As mudanças no estilo de vida e na dieta geralmente são mais do que suficientes para que os níveis de colesterol voltem ao normal. Porém, é sempre aconselhável consultar o médico antes de tomar qualquer decisão, pois só ele poderá avaliar o estado geral do paciente e decidir qual é a melhor opção terapêutica a ser seguida.

Pode interessar a você...
Medicamentos para o colesterol: usos e efeitos colaterais
Muy Salud
Leia em Muy Salud
Medicamentos para o colesterol: usos e efeitos colaterais

Os medicamentos para o colesterol são úteis quando todas as outras medidas para reduzir o LDL e os triglicerídeos do sangue já falharam. Continue l...



  • Consuelo A, Echeverría G, Aranzazu J, Villarroel L, Maiz A, Rigotti A. Niveles de colesterol no HDL en la población chilena y su asociación con enfermedad cardiovascular y diabetes mellitus: estudio de corte transversal en Encuesta Nacional de Salud 2009-2010. Rev. méd. Chile. 2019 ; 147( 11 ): 1365-1373.
  • Maldonado Saavedra O, Ramírez Sánchez I, García Sánchez J, Ceballos Reyes G, Méndez B. Colesterol: Función biológica e implicaciones médicas. Rev. mex. cienc. farm. 2012; 43( 2 ): 7-22.
  • Berrade S, Oyarzábal M, Chueca M. Genética de la hipercolesterolemia familiar: indicaciones de los estudios genéticos y su utilidad. Rev Esp Endocrinol Pediatr. 2012; 3 (Suppl): 75-80.
  • Carretero Colomer M. Hipercolesterolemia: diagnóstico y tratamiento. Offarm. 2008; 9(27): 109-111.
  • Cortes VA, Busso D, Maiz A, Arteaga A, Nervi F, Rigotti A. Physiological and pathological implications of cholesterol. Front Biosci (Landmark Ed). 2014 Jan 1;19:416-28.
  • Soliman GA. Dietary Cholesterol and the Lack of Evidence in Cardiovascular Disease. Nutrients. 2018 Jun 16;10(6):780.