Treonina: um aminoácido essencial para o sistema hepático

A treonina é um aminoácido capaz de intervir no metabolismo dos ácidos graxos, bem como no ciclo de Krebs. Vamos explicar a sua importância para o organismo humano.
Treonina: um aminoácido essencial para o sistema hepático
Saúl Sánchez

Escrito e verificado por el nutricionista Saúl Sánchez em 16 Abril, 2021.

Última atualização: 16 Abril, 2021

A treonina é considerada um aminoácido essencial. Isso significa que o organismo humano não é capaz de sintetizá-la sozinho. Por esta razão, ela deve aparecer na dieta alimentar regularmente. Por meio do consumo de proteínas de origem animal, é possível satisfazer as necessidades deste nutriente.

Antes de começar, cabe destacar que as proteínas de origem animal possuem um valor biológico superior às de origem vegetal. Ou seja, isso significa que elas não carecem de nenhum dos aminoácidos essenciais, além de apresentarem uma boa pontuação em termos de digestibilidade.

Como a treonina é obtida?

Conforme comentamos, a treonina pode ser encontrada nas proteínas, como um elemento formador. Geralmente é obtida em laboratório por meio de um mecanismo de fermentação, mediado por microrganismos como as leveduras.

No entanto, também é possível isolá-la por meio de técnicas de hidrólise, embora este seja um método que geralmente só é realizado para fins farmacêuticos.

Na natureza, a treonina é gerada a partir da ação de certas enzimas que convertem o ácido aspártico. A principal função desse aminoácido é participar do metabolismo das gorduras que serão depositadas nos órgãos para formar a sua reserva, como ocorre no fígado. Assim foi evidenciado por um estudo publicado na revista Biochemistry.

Fontes de treonina

A treonina pode ser obtida de várias fontes.
Os alimentos de origem animal são uma excelente fonte de aminoácidos.

Conforme adiantamos, a treonina não pode ser sintetizada pelo organismo e, por isso, deve ser introduzida por meio da dieta. Caso contrário, haveria uma situação de déficit que colocaria a saúde em risco.

Quase todos os alimentos de origem animal possuem treonina na sua composição, como elemento formador de proteínas. Por exemplo, peixes, ovos, laticínios e carnes apresentam um conteúdo mais do que ideal desse nutriente.

Se esses alimentos aparecerem na dieta com frequência, não é necessário se preocupar com a presença desse nutriente no organismo, uma vez que as necessidades seriam mais do que atendidas.

Mesmo muitas das proteínas de origem vegetal também contêm treonina no seu interior. As frutas, entre elas, são um bom reservatório do nutriente, que também pode ser encontrado em oleaginosas e sementes.

Uma vez que tanto os produtos de origem animal quanto os de origem vegetal contêm quantidades significativas deste aminoácido, não há risco de apresentar um déficit no contexto de uma dieta restritiva, como, por exemplo, a dieta vegana.

Funções da treonina

A treonina é capaz de desempenhar diversas funções no corpo humano. Destaca-se por poder se transformar em glicose e glicogênio em nível hepático, por meio de várias vias metabólicas. Esse processo é conhecido como gliconeogênese e permite que o corpo humano não fique sem combustível em situações nas quais a ingestão alimentar de açúcares é insuficiente.

Por outro lado, a treonina desempenha um papel decisivo na limitação do risco de desenvolvimento de doença hepática gordurosa, conforme evidenciado por uma pesquisa publicada em Hepatology Communications.

De qualquer forma, é preciso considerar que este estudo foi realizado com camundongos e que não conclui que o aumento da ingestão desse nutriente reduza a incidência da doença.

Este aminoácido pode ter a capacidade de diminuir a prevalência de certas doenças degenerativas, como a artrite. Nesse sentido, a sua ingestão pode representar um ponto de inflexão no tratamento de problemas como entorses ou tendinites, embora ainda precisem ser estabelecidos protocolos e mais estudos sobre o seu uso.

Dentre as patologias que cursam com a degeneração do tecido, os nutrientes que se mostram mais eficazes são aqueles que conseguem modular os processos inflamatórios, como, por exemplo, a curcumina. Assim foi confirmado por um estudo publicado na revista Journal of Medicinal Food.

Porém, é possível encontrar na literatura científica testes realizados com animais que sugerem que altas doses de treonina podem ser benéficas para problemas relacionados às mucosas e aos órgãos do aparelho digestivo.

Ela poderia até mesmo exercer um efeito protetor contra o desenvolvimento de certos processos inflamatórios mediados pelo fator de necrose tumoral.

A treonina e a saúde do fígado

É claro que boa parte do metabolismo da treonina ocorre no fígado. É neste local que ela pode ser transformada em glicose para ser usada como substrato, mas este também é o lugar onde os processos fisiológicos de gênese da energia são acionados, nos quais a treonina está ativamente envolvida.

De fato, especialistas afirmam que o aminoácido é um elemento importante no ciclo de Krebs, necessário para a produção de energia, e também na desintoxicação do próprio tecido hepático, através da síntese de colágeno e dos processos fisiológicos que têm a ver com com a gênese da gordura.

Um déficit deste nutriente no corpo pode aumentar o risco de desenvolver patologias como fígado gorduroso não-alcoólico, que geralmente é difícil de controlar, deixando sequelas ou condicionando os hábitos de vida.

Cabe ressaltar que existem diversos alimentos ou nutrientes capazes de favorecer a função hepática. Por exemplo, o cardo mariano é usado com frequência para melhorar o controle de problemas hepáticos causados por medicamentos, conforme evidenciado por um estudo publicado na Medicine.

Treonina e microbiota

A treonina não é capaz apenas de trazer benefícios ao fígado. Certos estudos recentes, embora realizados com animais, sugerem a importância desse aminoácido para garantir uma composição adequada da microbiota intestinal.

De fato, o consumo adequado do nutriente está relacionado a um menor risco de desenvolver problemas associados ao trato digestivo.

No entanto, ainda são necessários estudos em humanos para confirmar a teoria, uma vez que a maioria dos realizados até o momento foram feitos com roedores ou aves. Ainda assim, é possível que garantir um aporte correto e adequado de treonina seja um fator chave para evitar alterações nas bactérias que habitam o intestino.

De qualquer forma, a composição da microbiota é um parâmetro que depende de muitos fatores diferentes em nível dietético. A ingestão de alimentos fermentados ou de fibras pode ter um impacto muito mais decisivo do que a ingestão de um aminoácido de forma isolada.

Outros aminoácidos importantes

Não é apenas a treonina que é importante para o corpo; muitos outros aminoácidos têm funções essenciais para prevenir o desenvolvimento de patologias complexas que condicionam a saúde. Nesse sentido, podemos destacar a glutamina. Esse nutriente é capaz de melhorar a função intestinal, sendo essencial para a reparação do tecido do trato digestivo.

Da mesma forma, a leucina é outro dos aminoácidos que desempenha funções determinantes no corpo humano. É um elemento fundamental na execução dos mecanismos relacionados com a reparação ou com o crescimento do tecido muscular. Nos atletas, as necessidades de leucina são aumentadas.

Porém, uma das diferenças da treonina em relação aos dois aminoácidos citados é que a suplementação não é considerada para a primeira. É comum encontrar produtos com glutamina ou com leucina no mercado, principalmente para uso no contexto esportivo ou hospitalar.

No entanto, atualmente, não existem suplementos de treonina, uma vez que não foi encontrado nenhum efeito positivo a partir de uma maior ingestão deste elemento.

A importância de garantir a ingestão de proteínas

A treonina auxilia no desenvolvimento muscular.
Para quem busca aumentar a massa muscular, o consumo de treonina é importante.

Você provavelmente já ouviu em mais de uma ocasião que é essencial atender às necessidades diárias de proteína. Esses nutrientes são decompostos em aminoácidos dentro do corpo humano, que são usados para diversas funções.

As diretrizes nutricionais atuais têm apostam em garantir uma ingestão de pelo menos 1,2 grama de proteína/ quilo de peso corporal/dia, sendo que essa quantidade pode ser aumentada caso sejam feitos exercícios físicos regulares.

Também é importante que pelo menos metade desses nutrientes provenha de alimentos de origem animal. Conforme já indicamos, essas proteínas têm maior valor biológico e, portanto, não têm carência de nenhum aminoácido essencial. Além disso, também apresentam ótimos níveis de digestibilidade.

Ainda assim, não devemos nos descuidar quanto à ingestão de vegetais, pois eles também fornecem uma boa quantidade de proteínas, além de fitonutrientes importantes para a prevenção de doenças crônicas e complexas.

Se você tiver dúvidas sobre se a sua ingestão de proteínas por meio da dieta, o melhor a fazer é consultar um nutricionista. Este profissional pode fazer ajustes na sua dieta para maximizar o seu conteúdo de proteínas. Além disso, ele também pode recomendar um suplemento de proteína, se necessário.

Treonina, um aminoácido importante para o fígado

Conforme você pode ver, a treonina é um aminoácido essencial que desempenha um papel importante no metabolismo e na saúde hepática. No entanto, ainda existem algumas dúvidas sobre o papel que ela desempenha em determinados mecanismos fisiológicos e, por esta razão, várias pesquisas estão em andamento para esclarecer esses processos.

Trata-se de um nutriente que tem sido amplamente estudado no metabolismo de animais, mas não tanto no contexto humano. O que está claro é que a ingestão inadequada deste aminoácido por meio da dieta pode impactar a saúde do fígado negativamente, aumentando o risco de adoecimento.

Felizmente, esse elemento pode ser encontrado em muitos alimentos, tanto de origem animal quanto de origem vegetal. Nesse sentido, mantendo uma alimentação variada, é difícil experimentar uma deficiência desse aminoácido.

Pode interessar a você...
Deficiência de vitamina B12: quais são as suas consequências?
Muy Salud
Leia em Muy Salud
Deficiência de vitamina B12: quais são as suas consequências?

A deficiência de vitamina B12 pode condicionar negativamente o estado de saúde, pois pode gerar patologias, como a anemia.



  • Malinovsky AV. Why Threonine Is an Essential Amino Acid in Mammals and Birds: Studies at the Enzyme Level. Biochemistry (Mosc). 2018 Jul;83(7):795-799. doi: 10.1134/S0006297918070039. PMID: 30200864.
  • Nuñez-Durán E, Aghajan M, Amrutkar M, Sütt S, Cansby E, Booten SL, Watt A, Ståhlman M, Stefan N, Häring HU, Staiger H, Borén J, Marschall HU, Mahlapuu M. Serine/threonine protein kinase 25 antisense oligonucleotide treatment reverses glucose intolerance, insulin resistance, and nonalcoholic fatty liver disease in mice. Hepatol Commun. 2017 Nov 20;2(1):69-83. doi: 10.1002/hep4.1128. PMID: 29404514; PMCID: PMC5776874.
  • Daily JW, Yang M, Park S. Efficacy of Turmeric Extracts and Curcumin for Alleviating the Symptoms of Joint Arthritis: A Systematic Review and Meta-Analysis of Randomized Clinical Trials. J Med Food. 2016 Aug;19(8):717-29. doi: 10.1089/jmf.2016.3705. PMID: 27533649; PMCID: PMC5003001.
  • An JM, Kang EA, Han YM, Kim YS, Hong YG, Hah BS, Hong SP, Hahm KB. Dietary threonine prevented stress-related mucosal diseases in rats. J Physiol Pharmacol. 2019 Jun;70(3). doi: 10.26402/jpp.2019.3.14. Epub 2019 Sep 27. PMID: 31566193.
  • Shi Z, Wu J, Yang Q, Xia H, Deng M, Yang Y. Efficacy and safety of milk thistle preventive treatment of anti-tuberculosis drug-induced liver injury: A protocol for systematic review and meta-analysis. Medicine (Baltimore). 2020 Dec 24;99(52):e23674. doi: 10.1097/MD.0000000000023674. PMID: 33350748; PMCID: PMC7769318.
  • Bortoluzzi C, Rochell SJ, Applegate TJ. Threonine, arginine, and glutamine: Influences on intestinal physiology, immunology, and microbiology in broilers. Poult Sci. 2018 Mar 1;97(3):937-945. doi: 10.3382/ps/pex394. PMID: 29294123.