Os 3 tipos de desidratação

Existem 3 tipos de desidratação: isotônica, hipertônica e hipotônica. Mostraremos as suas diferenças e características.
Os 3 tipos de desidratação

Última atualização: 19 dezembro, 2022

A desidratação é descrita como a perda excessiva de água no corpo. Em condições normais há um equilíbrio entre o nível de água que é ingerido e o que é perdido nos processos metabólicos básicos. Quando há um desequilíbrio negativo, diz-se que há um quadro de desidratação. Nem todos os casos são iguais, por isso são catalogados vários tipos de desidratação.

Quando não tratada, esta situação pode ser mortal. A maioria dos casos se manifesta por episódios de diarreia, vômitos, ingestão de alguns medicamentos e doenças de base (como diabetes). Nas linhas a seguir, ensinaremos tudo o que você deve saber sobre os tipos de desidratação, como eles diferem e quais são suas características.

Principais tipos de desidratação

Essa condição ocorre quando há uma perda maior de água em relação àquela que entra no corpo. Nem todos os episódios são iguais, por isso os episódios são classificados de acordo com a concentração sérica de sódio. Existem então 3 tipos de desidratação: isotônica, hipertônica e hipotônica. Vamos dar uma olhada em suas características.

Desidratação isotônica

A desidratação isotônica é quando há perda proporcional de água e sódio. Ou seja, a diminuição de sódio e água é feita em valores equidistantes; resultando em osmolalidade sérica normal. Da mesma forma, em pacientes com desidratação isotônica sua osmolalidade varia entre 285 e 295 mOsm/Kg (miliosmoles por quilograma).

A maioria dos casos de descompensação isotônica ocorre devido a diarreia e vômito, embora a transpiração excessiva devido ao exercício intenso ou ao calor também possa ser responsável.

Os pacientes geralmente relatam diminuição da taxa de filtração glomerular e aumento das enzimas hepáticas e pancreáticas. Quando não corrigido, pode levar a lesão renal.

Desidratação hipertônica

Os tipos de desidratação incluem hipertônica
Quando a perda de água é maior que a perda de sódio, ocorre desidratação hipertônica.

É classificada como desidratação hipertônica quando a perda de água é maior que a diminuição dos valores de sódio. Isso resulta em um aumento na concentração de sódio; ou hipernatremia, que resulta na movimentação de água do espaço intracelular para o espaço extracelular. Como consequência, as células atrofiam.

Suas causas são muito variadas, embora possa se desenvolver devido a febre, sudorese excessiva, falta de ingestão de líquidos, superexposição ao calor, exercícios, queimaduras, vômitos e diarréia. Os exames laboratoriais para este tipo de desidratação mostrarão uma osmolalidade sérica superior a 300 mOsm/Kg.

Desidratação hipotônica

O último dos tipos de desidratação é a desidratação hipotônica, que se desenvolve quando a perda de sódio é maior que a perda de água. Isso causa uma diminuição na osmolalidade sérica, que por sua vez leva a um deslocamento da água do espaço extracelular para o espaço intracelular. Como consequência, as células incham.

A desidratação hipotônica, muitas vezes associada a uma condição conhecida como hiponatremia, pode se desenvolver a partir de fibrose cística, doença de Addison, ingestão de diuréticos e sudorese excessiva. Os valores de sódio sérico serão inferiores ao padrão durante os testes de laboratório.

Além desses 3 tipos de desidratação, outros desequilíbrios eletrolíticos também podem ocorrer. Os mais comuns são hipercalemia, hipocalemia, hipomagnesemia e hiperfosfatemia. Tudo isso pode ser desencadeado pelas causas acima mencionadas dos tipos anteriores de desidratação, por isso devem ser consideradas durante o tratamento.

Tratamento dos tipos de desidratação

Os tipos de desidratação têm tratamentos diferentes
Embora muitos casos possam ser resolvidos com medidas ambulatoriais, pacientes graves necessitam de hospitalização para corrigir o desequilíbrio hidroeletrolítico.

Os pesquisadores pedem o uso de testes de diagnóstico para distinguir entre os diferentes tipos de desidratação. Uma vez determinado qual dos três tipos caracteriza o episódio, aplica-se o tratamento correspondente. A gravidade do quadro clínico também determina que tipo de alternativa será utilizada. Casos graves exigem intervenção intravenosa para recuperação rápida e oportuna.

Em geral, o tratamento é semelhante e tem o mesmo objetivo: devolver os níveis de sódio e água aos seus valores normais. Dependendo da gravidade, a porcentagem de solução salina, velocidade e frequência podem ser modificadas. As possíveis complicações associadas a cada tipo de desidratação também devem ser levadas em consideração.

Os valores de outros eletrólitos devem ser avaliados e monitorados, assim como a evolução do paciente durante o tratamento. Pode levar alguns dias antes que a estabilização completa seja alcançada, tudo depende da gravidade da desidratação. Procurar assistência médica é essencial para evitar que os episódios evoluam para coma e até mesmo para a morte.

Pode interessar a você...
Beber água ajuda a tratar a acne?
Muy Salud
Leia em Muy Salud
Beber água ajuda a tratar a acne?

Beber água ajuda a tratar a acne? Há quem considere que pode ajudar a controlar a produção excessiva de sebo. Nós vamos te contar mais sobre isso a...



  • Thomas, D. R., Cote, T. R., Lawhorne, L., Levenson, S. A., Rubenstein, L. Z., Smith, D. A., … & Council, D. Understanding clinical dehydration and its treatment. Journal of the American Medical Directors Association. 2008; 9(5): 292-301.

Los contenidos de esta publicación se redactan solo con fines informativos. En ningún momento pueden servir para facilitar o sustituir diagnósticos, tratamientos o recomentaciones provenientes de un profesional. Consulta con tu especialista de confianza ante cualquier duda y busca su aprobación antes de iniciar o someterse a cualquier procedimiento.