Slow life: o que é e como praticar?

O slow life é um estilo de vida ideal para todos aqueles que desejam aproveitar o presente. Com isso, os pequenos detalhes tornam-se um todo que faz uma verdadeira diferença.
Slow life: o que é e como praticar?

Escrito por Aylin Stefany Rodriguez Vinasco, 13 Junho, 2021

Última atualização: 14 Junho, 2021

Viver sem pressa: isso é o slow life, um estilo de vida que propõe às pessoas viverem mais relaxadas e conscientes das coisas que as rodeia. Às vezes nos concentramos tanto no trabalho, no estudo ou nos filhos que esquecemos da essência do dia a dia. Alcançamos a meta, atingimos nossos objetivos e não sabemos como. Você se identifica?

Embora a palavra lento em nossa sociedade tenha uma conotação ruim, devemos começar a reavaliar essa palavra. Ir devagarinho não significa que você tenha que mexer um dedo por minuto, não é isso. Se trata de fazer as coisas sem perder os detalhes. Como? Pense na cor do céu quando você acordou esta manhã: você reparou nele?

Sabemos que você está entendendo o que é slow life, mas continue lendo para aprender como começar a colocar esse estilo de vida em prática, saber mais detalhes sobre ele.

O que é o movimento slow?

O slow life ajuda no relaxamento.
Para pessoas que sofrem de ansiedade, essa filosofia de vida pode ser excelente.

O slow life pertence a um grande movimento chamado slow ou pedagogia lenta. É uma tendência mundial que se instalou em oposição à contínua aceleração da sociedade e das grandes cidades do mundo.

Este movimento que convida as pessoas a serem mais conscientes da sua existência e a desfrutar das emoções, nasceu na Itália, em um protesto contra a abertura de um restaurante McDonald ‘s.

Atualmente as pessoas também começaram a falar em slow food, que nos propõe a apreciar a comida e se opõe veementemente à padronização da gastronomia. Hoje em dia, esse movimento engloba outros cenários que têm como premissa a melhoria da qualidade de vida, como slow media ou cittaslow.

Sim, esse movimento lento da vida abrange áreas da vida como sexo, educação, exercícios, lazer, moda ou trabalho. Desta forma, é possível aproveitar os detalhes que estão em cada coisa e tornar a vida mais sustentável. No caso das roupas, por exemplo, pretende-se que as pessoas quebrem o ciclo do consumo de comprar, usar e jogar fora.

Consequências de viver em um ritmo acelerado

Muitos dirão que não há nada de errado em viver como a maioria neste momento, há progresso e há cada vez mais suporte tecnológico para viver com mais conforto. Porém, você já pensou em todos os detalhes que perde todos os dias, porque você sempre está no computador ou porque tem que passar longos períodos no ônibus a caminho do trabalho?

Em 2017, um estudo revelou que nove em cada dez espanhóis, ou seja, 96% dos pesquisados, sentiram estresse ao longo do ano, enquanto quatro em cada dez se sentiram estressados com frequência. Também foi especificado que as mulheres são mais afetadas pelo estresse do que os homens.

Dentre os motivos que geram essa sensação de estresse, constatou-se que as principais causas são falta de tempo com 50,9% e cansaço e problemas de sono com 46,2%.

Neste contexto, é importante notar que, de acordo com o National Institute of Mental Health , o estresse pode desencadear doenças cardíacas, hipertensão, diabetes e transtornos mentais, como depressão e ansiedade.

Quais são as características do slow life?

Entre as muitas características, vamos destacar três que podem te motivar a querer levar esse estilo de vida e começar agora mesmo:

Equilibre o moderno e o tradicional

O estilo de vida lento não busca que as pessoas e as cidades fiquem congeladas no tempo. Cittaslow, por exemplo, busca aproximar os municípios locais do conceito de bem viver e sua prática no dia a dia a partir de aspectos como planejamento urbano, agricultura e turismo, entre outros.

Atualmente existem mais de 100 cidades slow no mundo que trabalham para melhorar a qualidade de vida de seus habitantes e de quem as visita.

Incentivo à sustentabilidade

Desde o apoio a pequenos negócios, a comercialização de produtos locais e sazonais, até o uso eficiente de roupas feitas à mão, o movimento slow promove a sustentabilidade.

Além de reduzir a quantidade de carbono produzida pelas grandes indústrias, também visa enfrentar a exploração da mão de obra por grandes multinacionais.

Promova hábitos de estilo de vida saudáveis

Slow life é um estilo de vida.
Esse estilo de vida tem uma influência significativa na dieta alimentar.

Como oponentes do fast food, a comida lenta ou slow food busca tornar as pessoas mais conscientes sobre a maneira como comem.

O objetivo é que os cidadãos redescubram os sabores locais e tornem esses alimentos a base de sua alimentação, promovendo hábitos alimentares saudáveis.

Como você pode colocar o slow life em prática

Sim, sim, todos chegamos a este ponto motivados para viver uma vida que nos permite desfrutar mais o que temos ao nosso alcance. Mas como? Na prática não é tão fácil quanto parece, mas não é impossível. Basta internalizar o conceito e começar a trabalhar nele.

Aqui estão algumas ações que você pode colocar em prática para começar a viver o slow life :

Aproveite sua rotina com consciência

Como já mencionamos, as ocupações do dia a dia nos mergulham em uma rotina tediosa. Portanto, comece a estar mais atento às suas ações: acorde mais cedo, tome um banho e saboreie o seu café da manhã.

Se você for a pé para o trabalho, aproveite esse momento, observe o que está ao seu redor e respire fundo. Se, por outro lado, for preciso usar o transporte público, respire e aproveite a viagem, olhe para o céu pela janela e deixe o celular no bolso.

Abandone o consumismo

É fácil se deixar levar pelo consumismo. São tantas as coisas bonitas para comprar que quem tem dinheiro não hesita em satisfazer os desejos. No entanto, o slow life nos convida a viver com menos, e com as coisas de que realmente precisamos. Na verdade, para tornar esse processo mais fácil, você pode usar a regra dos sete dias.

Quando você quiser comprar algo porque acha que precisa, espere sete dias. Se depois desse tempo você ainda precisar, compre. Do contrário, esqueça, você viu que pode suprir essa necessidade aparente, então o item era totalmente indispensável.

Aproveite o presente

Dizem que a ansiedade é causada por excesso de futuro ou passado, e é verdade. Esses são dois cenários que não podemos mudar, o que aconteceu já aconteceu e o que está por vir ninguém sabe, então por que desperdiçar o presente pensando nisso?

Se você quer viver o slow life, aproveite o seu presente, controle a ansiedade com algumas técnicas de meditação como a ioga que fortalecem a alma, a mente e o corpo. Viva o aqui e agora! Isso o ajudará a não acumular riquezas ou coisas que você não sabe se usará um dia.

Volte ao tradicional

Como já dissemos, esse estilo de vida busca o equilíbrio entre o moderno e o tradicional. Portanto, dê-se a oportunidade de desfrutar do tradicional: comida, roupas, costumes e lugares.

Identifique os lugares com natureza onde você pode ir para meditar. Dê a essas áreas a oportunidade de lhe proporcionar momentos de diversão. Saia dos shoppings e visite uma cidade histórica, vista algo local e aprenda um pouco da história.

Slow life, sinônimo de desfrutar

Sim, como você pôde ler ao longo deste artigo, slow life é um sinônimo claro de diversão. Aproveite tudo o que foi dado a você, identifique essa sensação em tudo o que você fizer, e assim viva com um pouco mais com calma e tranquilidade, sem que isso signifique que tudo pare e fique para trás.

Lembre-se, se você deseja começar a viver assim, pode começar com a ajuda de algum método de meditação. Isso facilitará seu relacionamento com sua mente e corpo, e expandirá a percepção do que te cerca.

Pode interessar a você...
10 exercícios para se conectar com a natureza
Muy SaludLeia em Muy Salud
10 exercícios para se conectar com a natureza

Passar um tempo ao ar livre permite descansar e recuperar as energias do corpo e da mente. Descubra outros benefícios de se conectar com a natureza...