Mamografia 3D: tudo o que você precisa saber

Um dos exames de imagem mais modernos para o diagnóstico do câncer de mama é a mamografia 3D. Este é um exame caro, mas felizmente costuma ser bastante eficaz.
Mamografia 3D: tudo o que você precisa saber

Escrito por Luis Rodolfo Rojas Gonzalez, 11 Agosto, 2021

Última atualização: 12 Agosto, 2021

Os estudos de imagem permitem explorar o interior do corpo humano em busca de alterações estruturais ou proliferações anormais. Atualmente, raios-X, ultrassom e tomografia computadorizada são os métodos de imagem mais amplamente utilizados. Por sua vez, a mamografia 3D é uma das técnicas mais recentes. A seguir contaremos tudo o que você precisa saber sobre ela.

A mamografia 3D, também chamada de tomossíntese de mama, é um tipo de radiografia que combina várias imagens de raio-X para fornecer uma imagem tridimensional detalhada da mama. Ela é usada como um exame complementar na abordagem de patologias nos seios.

Por que ela é realizada?

A mamografia 3D é uma técnica de imagem muito eficaz.
A mamografia 3D é usada em pacientes com alto risco de desenvolvimento de câncer de mama. No entanto, seu uso é cada vez mais comum em mulheres com menos fatores de risco.

Geralmente a mamografia 3D é usada como um exame de detecção precoce do câncer de mama, especialmente em pessoas com fatores de risco que não apresentam sinais da doença.

Estudos afirmam que a mamografia 3D oferece até 90% de sensibilidade para o câncer de mama e é capaz de detectar até 40% mais casos de câncer do que a mamografia digital padrão.

As imagens oferecidas por esse exame são processadas de forma semelhante à tomografia computadorizada, o que proporciona maior detalhamento na detecção de lesões ou processos tumorais. Da mesma forma, este exame reduz a necessidade de outros estudos de imagem adicionais, graças à sua capacidade de alcançar vários ângulos ou cortes da mama.

Além disso, a mamografia 3D é muito útil em mulheres com tecido mamário denso, nos quais a visualização é difícil com outros métodos. Ela pode ser feita como exame único ou em combinação com uma mamografia padrão. Este exame pode ser utilizado no diagnóstico e acompanhamento de caroços, espessamentos e secreções suspeitas nas mamas.

Quem deve fazer uma mamografia 3D?

A indicação de mamografia 3D está ligada ao risco de desenvolver câncer de mama a curto ou longo prazo. Geralmente ela é realizada com o objetivo de detectar processos tumorais de mama em estágios iniciais.

Na maioria dos casos ela é indicada anualmente para mulheres com risco médio de sofrer dessa doença a partir dos 40 anos, e a cada dois anos a partir dos 50 anos.

Por outro lado, a necessidade deste exame aumenta em mulheres com múltiplos fatores de risco para o câncer de mama. Esse é o caso de pessoas que apresentam lesões benignas recorrentes nas mamas ou histórico de familiares diretos que desenvolveram câncer. Nestes casos, um padrão anual ou mamografia 3D é essencial dos 35 aos 40 anos de idade.

Possíveis riscos e contraindicações

Atualmente, a mamografia 3D é considerada um procedimento bastante seguro. No entanto ela apresenta alguns efeitos adversos e contraindicações, assim como outros estudos de imagem. Alguns dos riscos potenciais atribuídos a este exame são os seguintes:

  • Exposição à radiação: esta técnica utiliza raios X de baixa dosagem para obter as imagens, e a radiação resultante pode ser prejudicial à saúde. Além disso ela é frequentemente indicada em combinação com uma mamografia padrão, resultando em um nível ainda mais alto de exposição.
  • Detecção de falsos positivos: em alguns casos a mamografia 3D pode identificar lesões com características malignas, que após outros exames se revelam benignas. Por esse motivo, se houver suspeita de proliferação anormal, exames de confirmação como uma biópsia devem ser realizados.
  • Diagnóstico falso negativo: apesar de sua alta sensibilidade, este exame pode falhar na detecção de anomalias tumorais pequenas ou localizadas em áreas pouco visíveis.

A mamografia tridimensional não apresenta contraindicações absolutas. No entanto, é recomendável adiar a realização se a pessoa estiver grávida, exceto em casos de emergência. Além disso, se a paciente estiver amamentando é aconselhável retirar o leite antes do procedimento.

É sempre importante informar o profissional de saúde sobre a presença de implantes mamários antes de realizar o exame. Estudos afirmam que os implantes mamários dificultam a técnica radiológica. Além disso, o especialista deve ser consultado caso haja dor, inflamação ou qualquer secreção após o procedimento.

Antes do procedimento

A mamografia 3D é um estudo pouco invasivo que não requer uma grande preparação prévia. No entanto, é imprescindível consultar o médico sobre os benefícios e riscos do exame para esclarecer quaisquer dúvidas. Da mesma forma, é aconselhável seguir as seguintes orientações:

  1. Agendar o exame com antecedência: mamografias 3D podem ser realizadas em consultórios particulares, hospitais ou clínicas. No entanto, nem todas as instituições possuem os equipamentos necessários, por isso é fundamental consultar os centros disponíveis. Da mesma forma, uma data com tempo suficiente para comparecer à consulta deve ser considerada.
  2. Refletir sobre qual é o momento adequado: é recomendável realizar o exame 1 semana após a menstruação, quando as mamas estão menos densas ou sensíveis.
  3. Evitar usar joias ou roupas justas: para realizar o procedimento, será solicitado que você tire a roupa da cintura para cima e acessórios de metal. Além disso deve-se evitar o uso de talco, loções ou perfumes que possam interferir na captura da imagem.
  4. Verificar o custo e a cobertura do plano de saúde: a maioria dos planos de saúde cobre as mamografias padrão. No entanto, nem todas as instituições arcam com o custo de uma mamografia 3D. Nesse sentido, você deve consultar os protocolos da sua seguradora e os custos adicionais do procedimento.

Este exame normalmente leva no máximo 10 minutos para ser feito, mas esse tempo pode ser estendido em até 30 minutos devido à espera e à papelada na central de atendimento. A preparação não inclui nenhum tipo de restrição alimentar e não é requerida nenhuma medida de proteção depois do exame.

Durante mamografia 3D

Para iniciar o procedimento, o profissional de saúde solicitará que as roupas sejam retiradas, assim como todos os itens de metal, principalmente colares, cintos ou pulseiras. Em seguida será entregue uma bata e será solicitado que a paciente se posicione na frente do equipamento de mamografia. O radiologista posicionará uma das mamas em uma pequena plataforma e a ajustará de acordo com a altura da paciente.

Da mesma forma, o técnico posicionará a cabeça, o tronco e os braços da paciente para evitar a obstrução das imagens. Uma vez posicionada, a mama será pressionada contra a plataforma por meio de uma placa de plástico, que estenderá o tecido para obter uma melhor imagem. A pressão pode ser desconfortável, mas se houver dor forte o técnico deve ser avisado.

Posteriormente, o radiologista ligará o equipamento, que se moverá de um lado para o outro capturando várias imagens do tecido mamário. Na maioria dos casos, a pessoa precisará permanecer imóvel durante o procedimento e provavelmente terá que prender a respiração quando solicitado pelo técnico. Algumas mudanças de posição podem ser feitas para obter outros ângulos da mama.

Ao final da rodada de capturas em uma das mamas, o técnico procederá com a retirada da placa plástica para repetir o mesmo procedimento na outra mama. Assim que o exame for concluído, o radiologista verificará a qualidade das imagens e permitirá que a paciente se vista. É importante verificar o prazo de entrega dos resultados antes de sair da instituição.

Depois do procedimento

A mamografia 3D geralmente é um procedimento simples.
Felizmente, o desconforto derivado da realização de uma mamografia 3D é muito pequeno.

A mamografia 3D raramente tem efeitos adversos ou sequelas, embora algumas pessoas possam sentir desconforto, dor leve ou moderada ou uma leve inflamação na mama. A manifestação de dor na mama acompanhada de vermelhidão e secreção de líquidos pelo mamilo pode indicar uma possível mastite.

Caso os seios sejam grandes, é aconselhável evitar usar sutiãs com armação para reduzir o desconforto. Após analisar o resultado o médico poderá solicitar um novo exame, caso seja detectada alguma anormalidade ou sinal estranho. No entanto, estudos afirmam que é menos provável que outras imagens sejam necessárias após a mamografia 3D, em comparação com a mamografia tradicional.

Da mesma forma, a detecção de uma lesão suspeita de câncer pode determinar a necessidade de uma biópsia da mama. Ela consiste na extração de uma amostra do tecido afetado, para um estudo microscópico posterior em busca de sinais de crescimento anormal.

Interpretação de resultados

A mamografia tridimensional costuma fornecer informações detalhadas sobre as características anatômicas e estruturais das mamas. Elas incluem desde dados sobre a densidade mamária até descobertas benignas ou malignas que possam ter sido encontradas na mama. Entre os sinais mamográficos que definem uma lesão de câncer de mama estão os seguintes:

  • Aumento da densidade do tecido.
  • Lesões de margens espiculadas ou massas indefinidas.
  • Distorção com forma de estrela acompanhada por microcalcificações.
  • Lesão com bordas mal definidas e borradas.

O médico pode suspeitar de um tipo específico de câncer com base nas características da lesão. Além disso, a descoberta radiológica será acompanhado de um número BI-RADS, que orienta o especialista sobre uma possível lesão carcinogênica. É importante ressaltar que os sintomas do câncer de mama podem variar dependendo do tipo de lesão.

Receber indicação de uma mamografia 3D não significa que você tem câncer

A mamografia 3D é um dos métodos mais modernos utilizados no diagnóstico precoce do câncer de mama. No entanto, a indicação médica não implica na certeza de que existe um tumor ou massa cancerosa.

De fato, muitas vezes esse exame é amplamente utilizado como um modelo preventivo e de rastreamento para pacientes com alto risco de sofrer da doença, que requerem vigilância contínua.

Por esse motivo, se o seu médico indicar este exame, não tenha medo fazê-lo. Você deve sempre considerar que o tratamento dessa patologia nos estágios iniciais oferece um melhor prognóstico e uma maior expectativa de vida.

Se você tiver alguma dúvida, procure um profissional de saúde. Ele é treinado para responder as suas dúvidas e te orientar da melhor maneira.

Pode interessar a você...
3 exames ginecológicos essenciais
Muy SaludLeia em Muy Salud
3 exames ginecológicos essenciais

Existem 3 exames ginecológicos que são essenciais. Você quer saber quais são eles? Continue lendo!



  • Palazuelos G, Trujillo S, Romero J. Tomosíntesis: la nueva era de la mamografía. Rev. Colomb. Radiol. 2014; 25(2): 3926-33.
  • Marinovich M, Hunter K, Macaskill P, Houssami N. Breast Cancer Screening Using Tomosynthesis or Mammography: A Meta-analysis of Cancer Detection and Recall. JNCI: Journal of the National Cancer Institute. 2018; 110 (9): 942–949.
  • akubietz M, Janis J, Jakubietz R, Rohrich R. Breast Augmentation: Cancer Concerns and Mammography—A Literature Review. Plastic and Reconstructive Surgery. 2004;113(7):117e-122e.
  • Hofvind S. Screening with 3D mammography – more accurate, but more costly. Tidsskr Nor Laegeforen. 2020;140(5).
  • Liberatore M, Cucchi JM, Fighiera M, Binet A et al. Interest of systematic tomosynthesis (3D mammography) with synthetic 2D mammography in breast cancer screening. Horm Mol Biol Clin Investig. 2017;32(2).
  • Hodgson R, Heywang-Köbrunner SH, Harvey SC, Edwards M et al. Systematic review of 3D mammography for breast cancer screening. Breast. 2016;27:52-61.