Couperose: tudo o que você precisa saber

Uma das possíveis causas de vermelhidão na pele é a couperose. Mas seria ela um sinônimo para o que normalmente se entende como "pele sensível"? A seguir te explicaremos esse assunto em detalhes.
Couperose: tudo o que você precisa saber

Escrito por Maite Córdova Vena, 10 Setembro, 2021

Última atualização: 10 Setembro, 2021

A couperose é um dos tipos de vermelhidão que a pele pode manifestar. Mas em que ela consiste? Será algum tipo de doença crônica? Que consequências pode ter para a saúde da pele e do resto do corpo? Responderemos a essa e a outras perguntas a seguir.

Às vezes a pele fica vermelha de forma leve e temporária. Por exemplo, quando está muito frio ou sentimos muito calor. Também quando tomamos uma taça de vinho, comemos algo muito apimentado, ou mesmo quando tomamos um banho quente demorado. Nesses casos, isso não é motivo para preocupação.

Quando a pele do rosto fica facilmente avermelhada por fatores como os já mencionados ou por estresse, mas esse rubor persiste e aparecem pequenos vasos dilatados em várias partes da pele, trata-se do que se chama de couperose.

A este respeito a Dra. Ana Molina, que é dermatologista, professora de Dermatologia da Universidade Autônoma de Madrid (UAM) e divulgadora científica, explica por meio das suas redes sociais o seguinte:

“Na maioria das pessoas, esse rubor cede rapidamente, mas nesses pacientes os vasos sanguíneos se dilatam gradualmente e acabam sendo visíveis através da pele na forma de vermelhidão permanente ou vasinhos.”

É comum confundir a couperose (uma condição fisiológica da pele) com outros tipos de vermelhidão, como rosácea (uma doença) ou pele sensível (um conceito mais geral para se referir a uma pele intolerante ou hiper-reativa a fatores ambientais).

Sintomas

A couperose é uma doença de pele associada a problemas de circulação.
Os sintomas podem se limitar à região facial, que aparenta estar vermelha. Felizmente essa manifestação costuma ser temporária.

Como já mencionamos, o principal sintoma da couperose é o rubor difuso da pele (flushing em inglês) que é provocado com facilidade por vários estímulos. Essa vermelhidão pode se tornar permanente em alguns casos.

A vermelhidão é acompanhada pelo aparecimento de pequenas varizes. Elas geralmente se manifestam na área das bochechas e maçãs do rosto, bem como nas asas do nariz e queixo.

Segundo um artigo publicado no site da Elsevier, na primeira fase da couperose a vermelhidão e a congestão afetam a porção média do rosto por curtos períodos de tempo. Na segunda fase, aparecem as telangiectasias, de cor avermelhada ou vermelho-púrpura, e a vermelhidão se torna mais persistente.

Causas

Como são produzidas por pequenas varizes em várias partes da face, há quem considere que a couperose está associada a problemas de microcirculação que afetam os vasos sanguíneos. Geralmente ela é mais comum em mulheres com pele clara, fina e sensível.

Alguns dos desencadeantes mais comuns são a exposição excessiva ao sol, o consumo de álcool, café e tabaco, mudanças bruscas de temperatura, comida apimentada, distúrbios digestivos, uso contínuo de corticoides tópicos, estresse e emoções intensas.

Há quem considere a couperose como uma forma inicial de rosácea.

Prevenção

É necessário cuidar bem da pele com couperose para que ela não evolua para uma rosácea após os 35 anos de idade. Para isso, além de evitar os desencadeantes, é necessário hidratar a pele e protegê-la do sol diariamente.

Os produtos de cuidado diário devem ser compatíveis com o tipo de pele. Desta forma ela receberá a limpeza, hidratação, umectação e proteção necessárias para se manter o mais saudável possível, e com uma boa aparência. A maquiagem também deve ser específica para peles sensíveis.

Como a pele das pessoas com couperose tende a ser fina, no caso delas é necessário evitar todos os produtos que possam causar irritação, como esfoliantes (químicos ou mecânicos) e peelings.

Ao tomar uma ducha ou banho, é importante ser prudente em relação à duração do processo e à temperatura da água. Saunas não são uma opção recomendada.

Evitar o consumo de álcool e café, além de manter uma alimentação balanceada, também é recomendável. Nas refeições, o ideal é evitar alimentos e bebidas muito quentes e picantes, que tendem a agravar a vermelhidão da pele.

Embora não seja possível controlar o clima, podem ser tomadas algumas providências para proteger a pele do vento, frio e calor.

Juntamente aos elementos mencionados acima, também é necessário cuidar da saúde emocional. O nervosismo, o estresse e outras fontes de sofrimento psicológico devem ser controlados de maneira adequada para evitar o agravamento dos sintomas e proporcionar uma boa qualidade de vida.

Tratamento

O diagnóstico da couperose requer uma avaliação médica.
O diagnóstico e o tratamento da couperose são feitos apenas por um dermatologista, que pode fazer uso de inúmeras ferramentas para esse fim.

No artigo citado acima, as diferentes opções de tratamento para a couperose são discutidas. Elas incluem o seguinte:

  • Laser vascular: permite melhorar as reações vasomotoras e eliminar as telangiectasias.
  • Eletrocoagulação: é um procedimento simples que, embora não melhore o eritema subjacente e possa causar desconforto, é útil para tratar os vasos mais superficiais em alguns casos.
  • Tratamento cosmético: combinar medidas de prevenção (que também funcionam como autocuidado) a algumas recomendações, como:
    • Evitar o uso de produtos cosméticos com álcool, além de solventes em altas concentrações (como propilenoglicol e etanol).
    • Remover a maquiagem ou limpar o rosto com toners e leites demaquilantes sem álcool.
    • Usar um pão dermatológico adequado para peles sensíveis (que são como barras de sabão, mas sem surfactantes irritantes).
    • Ter cuidado com produtos cosméticos que contenham determinados conservantes, pois eles podem provocar irritação.

Apenas um dermatologista pode realizar o tratamento da couperose. Portanto, não é recomendável o uso de produtos sem receita ou remédios caseiros em peles sensíveis. É preferível esperar e receber as orientações do especialista a se arriscar e depois sofrer complicações, além de não obter os resultados desejados.

Pode interessar a você...
A dieta influencia na acne?
Muy SaludLeia em Muy Salud
A dieta influencia na acne?

A dieta pode influenciar ligeiramente na gravidade da acne e na inflamação associada às espinhas. Te explicaremos mais sobre esse assunto a seguir.