Por que escutamos rangido nas articulações?

11 abril, 2021
This article has been written and endorsed by el médico Diego Pereira
A menos que haja dor, esse som não representa nenhum problema de saúde.

O rangido nas articulações é um fenômeno comum e, em mais de uma ocasião, é comum ouvir sobre os problemas de saúde aos quais isso pode estar associado.

No entanto, na grande maioria das vezes, este é um fato sem significado clínico, embora existam algumas patologias que podem ocorrer quando há dor durante o rangido.

Você tem interesse em saber um pouco mais sobre o assunto? Preparamos um breve artigo para responder às perguntas mais frequentes sobre o assunto. Continue lendo!

A origem do rangido nas articulações

O rangido nas articulações não deve ser doloroso.
Se o rangido causar dor, é provável que haja uma patologia.

As articulações, conforme você verá um pouco mais adiante, contêm líquido no seu interior. Por sua natureza, elas estão expostas a constantes mudanças de pressão como resultado da sua mobilização, principalmente no caso das mais flexíveis.

Ao estender ou pressionar essas estruturas, é possível que seja gerado um rangido característico, que também é indolor. Isso corresponde ao fenômeno físico da cavitação, que também pode ser reproduzido em grande escala.

Isso ocorre porque as moléculas que estão suspensas no líquido sinovial atingem uma determinada pressão de vapor e, por isso, passam temporariamente para o estado gasoso, produzindo pequenas bolhas. Quando elas colidem com alguma das paredes da articulação, elas estouram e produzem o som característico.

Então, as moléculas envolvidas voltam ao estado líquido original e não podem mais passar pelo processo de cavitação durante algum tempo, que é determinado por suas características físico-químicas. É por isso que o rangido das articulações, na maioria dos casos, não pode ser repetido antes de cerca de 20 minutos.

Anatomia articular

As articulações são áreas anatômicas onde há a comunicação entre dois ossos. São vitais para garantir o bom funcionamento do aparelho locomotor e, de acordo com as suas características estruturais, são divididas em três tipos: cartilaginosas, fibrosas e sinoviais. É a estas últimas que vamos nos referir mais adiante.

Líquido e membrana sinovial

A parte mais interna das articulações é ocupada pelo líquido sinovial. Ele tem coloração amarelada e uma composição química semelhante à do plasma sanguíneo, embora com diferenças importantes. Por exemplo, a quantidade de algumas proteínas e células é bem menor no líquido sinovial.

É produzido por uma estrutura chamada membrana sinovial, que recobre a cápsula articular. Esse líquido é responsável por permitir a livre movimentação da articulação, bem como amortecer qualquer tipo de dano que essas estruturas possam sofrer a partir do exterior.

É dentro desse fluido sinovial que se formam as bolhas de gás durante o processo de cavitação. Não há evidências suficientes para apoiar a ideia de que o rangido constante das articulações possa danificar qualquer uma dessas áreas anatômicas.

Outras estruturas

Algumas articulações possuem uma pequena porção de tecido cartilaginoso que reveste a superfície dos ossos. Ela recebe o nome de cartilagem articular e é vital para garantir o deslocamento adequado das articulações sinoviais.

Na sua parte externa, as articulações são caracterizadas pela presença de fortes ligamentos, tendões e músculos que permitem a aderência das superfícies ósseas entre si, garantindo assim a estabilidade.

O rangido das articulações pode ser patológico?

Na grande maioria dos casos, por se tratar de um fenômeno físico natural, não há relação alguma com patologias.

No entanto, é possível que, caso haja dor, a pessoa afetada esteja apresentando distúrbios degenerativos ou inflamatórios nas articulações, ou até mesmo defeitos no tecido conjuntivo.

Algumas dessas condições são a artrose, a sinovite e a síndrome de Ehlers-Danlos. Vamos apresentar um resumo de todas elas a seguir.

Artrose

O rangido nas articulações pode ser doloroso nos casos de artrose.
Os exames radiográficos permitem a confirmação do diagnóstico de artrose.

Trata-se de uma condição degenerativa das articulações, cuja incidência aumenta de forma considerável juntamente com a idade. Pode afetar um grande número de articulações, independentemente do seu tamanho.

Do ponto de vista clínico, o aspecto mais proeminente é a dor nas articulações. Ela pode ser acompanhada por rigidez e aumento de volume ocasional.

Em nível radiológico, é possível evidenciar algumas estruturas chamadas osteófitos, protrusões ósseas que geralmente se desenvolvem nas extremidades dos ossos.

Apesar do seu componente degenerativo, há também um processo inflamatório importante que explica os sintomas. Portanto, muitos pacientes podem se beneficiar do tratamento com anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno.

A sinovite e o rangido nas articulações

Trata-se da inflamação da membrana sinovial. Pode ocorrer de forma isolada ou como resultado de outras condições inflamatórias na mesma área, como a artrite reumatoide. É caracterizada pelo aparecimento de dor abrupta e aumento de volume na articulação afetada.

Outras doenças que podem ser acompanhadas pela sinovite são a tendinite (o que, de forma conjunta, é conhecido como tenossinovite), a gota, o lúpus e a própria artrose que discutimos na seção anterior.

Síndrome de Ehlers-Danlos

Ao contrário das anteriores, esta doença se caracteriza por afetar o bom funcionamento do tecido conjuntivo. Ele é encontrado em um grande número de órgãos e permite o suporte e a comunicação entre várias estruturas. As articulações, por exemplo, contêm tecido conjuntivo abundante.

De acordo com uma publicação da Clínica Mayo, os pacientes afetados geralmente apresentam hipermobilidade nas articulações, além de grande flexibilidade em qualquer parte da superfície da pele. A fragilidade da pele também é muito característica e, em muitos casos, há uma tendência a sofrer lesões involuntárias, como os hematomas.

Tem origem genética e foram descobertas várias mutações responsáveis pela doença. Em alguns casos, uma vez que os vasos sanguíneos também contêm tecido conjuntivo abundante nas suas paredes, os pacientes correm o risco de sofrer rupturas de algumas das artérias mais importantes para o organismo.

Quando procurar o médico?

Conforme mencionamos anteriormente, o rangido nas articulações não é patológico, desde que não haja dor associada. Até o momento, não foi identificada nenhuma relação entre esse hábito e a incidência de doenças articulares, embora, em geral, os profissionais não recomendem realizar essa prática de forma usual.

Caso exista dor, pode haver uma doença subjacente. Isso é mais provável se houver sintomas como rigidez articular, inchaço ou aumento da temperatura local. Nestes casos, é aconselhável procurar um especialista em doenças do sistema musculoesquelético, o reumatologista.

Quando e quem procurar

Caso necessite de uma avaliação médica, a menos que sinta algum sintoma alarmante, é aconselhável marcar uma consulta com antecedência. Caso não seja possível procurar um reumatologista, existem vários especialistas que podem tratar o seu problema inicialmente, tais como médicos de família e internistas.

  • Blanco FJ, Fernández Sueiro JL. Artrosis: concepto, clasificación y epidemiología, patogenia. En Pascual E. et al, eds. Reumatología. Editorial ARAN 1998: pp:1609-42.
  • Hembrow CH. Symposium. Manipulative treatment. Med J Aust. 1967;
    1(25):1274-1280. Cited by: Heilig D. The thrust technique.
    J Am Osteopath
    Assoc
    . 1981;81:247.
  • Meal GM, Scott RA. Analysis of the joint crack by simultaneous recording
    of sound and tension.
    J Manipulative Physiol Ther. 1986;9(3):189-195.
  • Pérez M. Artritis y artrosis, clínica y tratamiento. Farmacia Profesional 2003;17(11):50-54.
  • Protapapas M, et al. Joint cracking and popping: Understanding noises
    that accompany articular release. JAOA 2002;102(5):283-287.
  • Suárez S. Enfermedad articular. Farmacia Profesional 2000;14(3)72-9.