4 doenças transmitidas através dos alimentos

6 abril, 2021
This article has been written and endorsed by el nutricionista Saúl Sánchez
Os microrganismos geralmente estão presentes em alimentos de origem animal ou em conserva, por isso é necessário adotar boas práticas de higiene para evitar riscos.

Algumas doenças podem ser transmitidas através dos alimentos. Algumas delas são as típicas intoxicações alimentares e, embora às vezes apresentem sintomas leves, na verdade, podem surgir complicações graves para a saúde humana.

Por esse motivo, nos últimos anos, vem sendo fortemente enfatizada a importância de manter boas práticas de higiene alimentar. Desta forma, os riscos podem ser minimizados e a boa saúde intestinal é protegida.

O que as doenças transmitidas através dos alimentos podem causar?

Primeiramente, é preciso ter em mente é que as doenças transmitidas através dos alimentos geralmente causam problemas gastrointestinais. Os sintomas mais frequentes são vômitos, náuseas, diarreia e dores abdominais.

No entanto, às vezes ocorrem complicações quando há efeitos em nível hepático. É o caso da ingestão de toxinas provenientes de certos tipos de fungos ou cogumelos venenosos. Estas são as situações mais perigosas e problemáticas.

O que está por trás das doenças transmitidas através dos alimentos?

As doenças transmitidas através dos alimentos geralmente são causadas por bactérias.
Muitas das infecções gastrointestinais geralmente são causadas por bactérias.

O mais comum é que as doenças transmitidas através dos alimentos sejam causadas por uma bactéria ou toxina. As patologias virais, nesses casos, são muito mais raras, uma vez que os vírus geralmente não sobrevivem de forma ideal em produtos para o consumo. Uma exceção a essa regra são as infecções por rotavírus.

No entanto, as bactérias conseguem se reproduzir em muitos dos alimentos que fazem parte da dieta habitual. Principalmente quando as condições de temperatura e umidade são as ideais, ocorre uma proliferação dos microrganismos patogênicos que causam esse tipo de patologia.

Além disso, pode haver um microrganismo que desenvolve uma toxina e que, mesmo que o agente principal esteja morto, o produto secundário consegue sobreviver, gerando danos ao organismo humano. Esta situação é ainda mais difícil de controlar, uma vez que as toxinas geralmente são mais resistentes aos tratamentos mais aplicados.

Principais doenças transmitidas através dos alimentos

Vamos falar sobre as doenças transmitidas através dos alimentos que são mais frequentes, além de comentar a posição da ciência a esse respeito.

Salmonelose

Essa patologia se desenvolve a partir da ingestão do microrganismo Salmonella, conforme afirma um estudo publicado na revista Food Microbiology. Essa bactéria é encontrada principalmente em carnes e ovos, e possui diferentes cepas.

Ela se prolifera bem à temperatura ambiente e gera problemas gastrointestinais, principalmente vômitos e diarreia. A intensidade dos sintomas dependerá da quantidade de microrganismos ingeridos. Um dos principais perigos do desenvolvimento da salmonelose é a desidratação causada pela perda de fluidos por meio da diarreia.

A boa notícia é que a bactéria Salmonella não é muito resistente a tratamentos térmicos. Por esse motivo, a aplicação de calor é muito eficaz para reduzir a sua população de forma significativa. Assim, o consumo de ovo pasteurizado, por exemplo, elimina o risco.

Da mesma forma, recomenda-se garantir o cozimento adequado das carnes, principalmente as de aves, na parte interna.

Botulismo

Esta é uma das doenças transmitidas através dos alimentos que são mais perigosas. Neste caso, estamos falando de uma patologia que gera uma paralisia progressiva dos tecidos e órgãos.

Isso pode levar à morte se a quantidade de microrganismos ingeridos for alta e não houver um tratamento com medicamentos. Assim foi evidenciado por um estudo publicado em Epidemiologie, Mikorbiologie, Imunologie.

Na verdade, a toxina gerada por essas bactérias, o botox, é usada para tratamentos estéticos. Cabe destacar que o nome dado a esses microrganismos é Clostridium botulinum.

Eles são encontrados, novamente, em alimentos de origem animal, embora também sejam frequentes em conservas que não passaram de maneira ideal por processos de higiene alimentar, como os molhos de tomate não esterilizados.

Intoxicação por micotoxinas

Fungos e cogumelos podem produzir certas substâncias, as micotoxinas, que causam doenças graves em humanos. Entre elas, destaca-se a que é causada pela aflatoxina B1, que causa sérios danos ao fígado, podendo até mesmo aumentar o risco de desenvolver câncer.

Os perigos e danos derivados do consumo desta substância foram coletados em uma pesquisa publicada em Food and Chemical Toxicology.

A gravidade deste tipo de distúrbio torna muito importante identificar os cogumelos corretamente antes do seu consumo. A aquisição desses elementos em um supermercado não acarreta nenhum risco; porém, há riscos na coleta individual no campo.

Muitos cogumelos têm semelhanças morfológicas, mas contam com diferenças em termos de conteúdo de toxinas. É aconselhável ser um especialista antes de ingerir qualquer cogumelo coletado de forma recreativa na natureza.

Envenenamento por Campylobacter

Campylobacter é outro microrganismo comum em alimentos consumidos habitualmente, bem como na água. A intoxicação por essa bactéria é comum após a ingestão de um líquido contaminado, desenvolvendo o que é conhecido como diarreia do viajante.

De acordo com um estudo publicado na revista Nature Reviews, esse microrganismo é capaz de causar diarreia na maioria dos casos, causando danos à microbiota intestinal. Assim, grande parte da biodiversidade existente no intestino pode ser perdida, o que causa prejuízos à saúde a médio prazo.

Maneiras de evitar as doenças transmitidas através dos alimentos

As doenças transmitidas através dos alimentos geralmente são causadas por bactérias.
Muitas das infecções gastrointestinais geralmente são causadas por bactérias.

Para evitar o desenvolvimento de todas essas patologias que discutimos, é fundamental manter bons hábitos de higiene alimentar. Nesse sentido, é necessário garantir o cozimento completo dos alimentos, principalmente quando falamos de aves ou de carne picada.

Além disso, também é de vital importância descongelar os produtos adequadamente. Caso contrário, poderia ser promovido um terreno fértil ideal para o crescimento bacteriano. Portanto, é aconselhável sempre usar a geladeira para essa tarefa, evitando deixar os alimentos em temperatura ambiente.

Quando são feitas conservas caseiras, é fundamental iniciar um processo de esterilização dos frascos ou recipientes utilizados. O banho-maria é uma das melhores opções, pois destrói os possíveis microrganismos que possam coexistir no ambiente.

Como agir diante das doenças transmitidas através dos alimentos?

Em primeiro lugar, é preciso identificar a magnitude dos sintomas. Em caso de gravidade, o mais adequado é procurar um pronto-socorro, pois pode ser necessário tratamento medicamentoso ou soro intravenoso para evitar a desidratação.

Lembre-se de que esse processo de perda de fluidos se manifesta com perda da consciência e tontura em sua fase mais intensa. Assim afirma um estudo publicado na revista Emergency Medicine Clinics of North America.

Uma vez que a patologia for superada, é importante garantir a reestruturação da microbiota intestinal. Para isso, recomenda-se o uso de suplementos probióticos, uma vez que eles demonstraram efeitos benéficos na redução da incidência de diarreias e na melhoria da diversidade bacteriana no intestino.

Além disso, é preciso ter cuidado com a dieta durante os primeiros dias. É sempre recomendável começar com uma dieta de fácil digestão. Carne branca e arroz branco são um bom começo. Então, o espectro de alimentos permitidos pode ser aumentado, incluindo peixes brancos e ovos.

Os vegetais ricos em fibras, os alimentos muito gordurosos e os açúcares simples devem ser evitados até os estágios finais de recuperação. De qualquer forma, uma vez atingido esse ponto, é importante que haja a presença de frutas com fibras solúveis na dieta como, por exemplo, a maçã. Isso permite o crescimento de novas cepas bacterianas no trato digestivo.

Complicações das doenças transmitidas através dos alimentos

A gravidade dos quadros clínicos desenvolvidos a partir das doenças transmitidas através dos alimentos dependerá, sobretudo, da carga de microrganismos ou toxinas ingeridas. Portanto, em doses baixas, podem aparecer apenas alguns sintomas leves, tais como náuseas ou diarreia.

No entanto, quando a carga bacteriana ou de toxinas é elevada e as cepas são virulentas, é possível que surjam complicações. A maioria delas consiste em um processo de desidratação induzido pela perda de líquidos através das fezes.

Além disso, no caso das doenças causadas pelas aflatoxinas, conforme discutimos, é possível observar o acometimento hepático. É comum desenvolver uma inflamação grave neste órgão. Por esse motivo, quando a intoxicação é de natureza fúngica, o tratamento farmacológico geralmente é necessário.

Os alimentos podem transmitir doenças se não forem manipulados de maneira adequada

Conforme você pode ver, a manipulação dos alimentos é fundamental para evitar o desenvolvimento de doenças transmitidas por eles. Felizmente, nas indústrias alimentícias atuais, há uma grande conscientização a esse respeito.

De qualquer forma, sempre que você tiver dúvidas se um produto está em bom estado ou não, a melhor opção é descartá-lo. Principalmente quando se trata de um alimento de origem animal ou em conserva. Assim, são minimizados os riscos e se evitam consequências que podem ser muito prejudiciais para a saúde.

Também é preciso lembrar que as doenças transmitidas através dos alimentos podem ser muito perigosas no caso das gestantes, uma vez que a vida do feto pode ser condicionada nos casos mais severos. Nas crianças, elas também podem apresentar manifestações graves.

  • Besser JM. Salmonella epidemiology: A whirlwind of change. Food Microbiol. 2018 May;71:55-59. doi: 10.1016/j.fm.2017.08.018. Epub 2017 Sep 19. PMID: 29366469.
  • Ambrožová H. Botulism – a rare but still present, life-threatening disease. Epidemiol Mikrobiol Imunol. 2019 Winter;68(1):33-38. English. PMID: 31181950.
  • Rushing BR, Selim MI. Aflatoxin B1: A review on metabolism, toxicity, occurrence in food, occupational exposure, and detoxification methods. Food Chem Toxicol. 2019 Feb;124:81-100. doi: 10.1016/j.fct.2018.11.047. Epub 2018 Nov 20. PMID: 30468841.
  • Burnham PM, Hendrixson DR. Campylobacter jejuni: collective components promoting a successful enteric lifestyle. Nat Rev Microbiol. 2018 Sep;16(9):551-565. doi: 10.1038/s41579-018-0037-9. PMID: 29892020.
  • Santillanes G, Rose E. Evaluation and Management of Dehydration in Children. Emerg Med Clin North Am. 2018 May;36(2):259-273. doi: 10.1016/j.emc.2017.12.004. Epub 2018 Feb 10. PMID: 29622321.
  • Szajewska H, Canani RB, Guarino A, Hojsak I, Indrio F, Kolacek S, Orel R, Shamir R, Vandenplas Y, van Goudoever JB, Weizman Z; ESPGHAN Working Group for ProbioticsPrebiotics. Probiotics for the Prevention of Antibiotic-Associated Diarrhea in Children. J Pediatr Gastroenterol Nutr. 2016 Mar;62(3):495-506. doi: 10.1097/MPG.0000000000001081. PMID: 26756877.