O que é astenia primaveril e como combatê-la?

A astenia da primavera é uma condição clínica não específica que atualmente não é considerada uma doença. Mesmo assim, muitas pessoas chegam à clínica por causa dos sintomas que ela causa.
O que é astenia primaveril e como combatê-la?

Escrito por Por defecto del sitio, 17 Setembro, 2021

Última atualização: 17 Setembro, 2021

A primavera está aqui, e com ela vem o sol, o calor, as atividades ao ar livre e certas condições médicas típicas da estação (tais como alergias ou doenças resultantes de picadas). Além das patologias associadas à sazonalidade, é surpreendente saber que pelo menos 20% das pessoas que visitam clínicas de atendimento primário nesta época do ano sofrem de astenia primaveril.

As condições astênicas se manifestam sob a forma de cansaço intenso, dores de cabeça, distúrbios do sono e até um pouco de febre. Embora os sintomas destas condições possam ser quantificados, não é de forma alguma claro que a astenia primaveril seja uma doença ou patologia em si mesma. Esta questão ainda é objeto de debate.

A verdade é que o que um paciente comum confunde com astenia pode realmente ser um quadro depressivo (Desordem Afetiva Sazonal ou SAD), síndrome de fadiga crônica, uma deficiência vitamínica ou um produto de somatização do estado emocional. Se você quiser saber mais sobre esta condição comum, mas sub-diagnosticada, continue lendo.

O que é astenia primaveril?

A astenia da primavera é uma condição clínica não específica que atualmente não é considerada uma doença. Mesmo assim, muitas pessoas chegam à clínica por causa dos sintomas que ela causa.
Os sintomas desta condição podem ser confundidos com depressão.

A astenia primaveril é definida como uma “sensação transitória e subjetiva de cansaço (físico e mental) que, sem ter uma causa orgânica definida, está associada ao início da primavera”. Como indica o portal médico Elsevier, esta sintomatologia aumenta quando as temperaturas aumentam rapidamente e a pressão atmosférica e a umidade variam.

Tristeza, apatia e indiferença são alguns dos sentimentos típicos que a astenia primaveril traz consigo. Alguns estudos têm até mostrado que a taxa de suicídio aumenta significativamente durante a primavera e, em menor grau, no verão. Ainda assim, a primeira pergunta a ser feita é: a astenia primaveril é uma patologia?

Por enquanto, não. A Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde (OMS) não considera a astenia primaveril como uma entidade clínica. Portanto, não tem tratamento e nenhum medicamento é prescrito para tratá-lo. Não é uma doença.

Mesmo assim, 10-20 % dos pacientes na atenção primária continuam a se apresentar durante a primavera com astenia que não pode ser explicada por uma causa orgânica. Estima-se que 2 % da população experimentará uma condição de astenia sazonal em sua vida, mas é claro que ainda não há motivo para explicar isto.

Sintomas de astenia primaveril

Mais uma vez, deve-se notar que a astenia primaveril não é uma doença. Não há sinais clínicos quantificáveis, portanto são apenas as experiências e sensações dos indivíduos, que podem ser muito subjetivas e variáveis em cada caso. Entretanto, os seguintes sinais comuns são freqüentemente citados como parte de um quadro de astenia:

  1. Hipotensão: a hipotensão (isto é, baixa pressão arterial) ocorre quando o paciente tem uma pressão sistólica inferior a 90 milímetros de mercúrio e uma pressão diastólica inferior a 60 milímetros de mercúrio. Isto pode resultar em leve fraqueza e vertigem. No entanto, é normal que algumas pessoas tenham a pressão sanguínea baixa o tempo todo.
  2. Dores musculares e articulares.
  3. Dor de cabeça.
  4. Dificuldade de concentração, irritabilidade e mudanças de humor drásticas.
  5. Problemas digestivos: o trato gastrointestinal é um dos primeiros a notar qualquer perturbação emocional. Até 20% das pessoas com distúrbios de ansiedade somam seus sintomas, ou seja, sentem dor sem qualquer causa orgânica. A dor de barriga causada por contrações musculares exageradas é comum na ansiedade.
  6. Falta de apetite sexual e fadiga geral.

A sintomatologia desta suposta condição é muito geral, difusa e varia de paciente para paciente. É muito importante descartar outros possíveis agentes causais antes de culpar a dor ou o desconforto na astenia primaveril.

O que causa a astenia primaveril?

Neste ponto, todos os dados fornecidos são especulativos. Por exemplo, pensa-se que fatores socioculturais podem desempenhar um papel muito maior no desenvolvimento da condição do que apenas as explicações físicas. O estresse sazonal (conclusão dos projetos), o aumento das demandas sociais e a falta de tempo podem desempenhar um papel importante.

Possíveis razões para esta flutuação de humor incluem o seguinte:

  • Aumento drástico das temperaturas: isto pode levar a sonolência e falta de vontade de sair para fora. A taxa metabólica máxima aumenta no inverno para manter o calor corporal, mas diminui no verão, já que não é mais necessário produzir calor. Essas diferenças podem promover o cansaço.
  • Aumento das horas do dia: um dos principais hormônios que controlam o sono é a melatonina. Seus níveis começam a subir dramaticamente quando o sol se põe (20:00-22:00) e atingem seu pico às 3:00 da manhã. Se as horas do dia aumentarem, a melatonina pode levar mais tempo para induzir o sono.
  • A mudança do tempo: o mesmo princípio que acima. O corpo pode levar tempo para se adaptar fisiologicamente a uma mudança no tempo.
  • Várias mudanças na rotina diária: há mais horas para sair e mais atividades ao ar livre. Com mais estímulos, é normal que uma pessoa fique mais cansada.

Objeções à base fisiológica

No entanto, todas estas explicações têm falhas em um ponto: os relógios biológicos dos seres vivos já estão preparados para mudanças sazonais. O núcleo supraquiasmático humano modula a produção hormonal e a expressão gênica com base em estímulos ambientais, portanto, não deve haver problema.

O fato de que o relógio biológico não é capaz de responder a uma mudança sazonal é contra intuitivo, pois entra em conflito com todas as idéias estabelecidas de evolução. Portanto, fica estipulado que fatores socioeconômicos e seus efeitos (estresse, ansiedade, depressão, etc.) podem ser a causa de má adaptação biológica e predispor à astenia.

Acredita-se que a astenia primaveril não seja consequência de mudanças ambientais, mas de efeitos sociais que nos fazem reagir pior a elas.

Condições que não são astenia primaveril

Deve-se notar que existem condições clínicas que não podem ser justificadas sob o guarda-chuva da astenia primaveril. As entidades que vamos nomear são consideradas patológicas e, portanto, nestes casos, é necessária uma atenção médica ou psicológica.

1. Síndrome da fadiga crônica

Esta entidade não tem nada a ver com uma astenia típica, pois é considerada uma doença grave e duradoura que afeta significativamente muitos sistemas corporais ao mesmo tempo. Como afirma a Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA, ela pode tornar o paciente incapaz de fazer qualquer coisa, mesmo de sair da cama.

Além disso, neste caso a patologia dura muito mais que uma estação do ano. Para ser diagnosticado com a síndrome da fadiga crônica, um paciente deve apresentar os seguintes sintomas com intensidade considerável durante 6 meses ou mais:

  • Fadiga: o paciente deixa de desfrutar das coisas que costumava desfrutar e se recusa a fazer coisas que teria tido prazer em fazer no passado. Ela persiste apesar de não fazer exercício físico e não melhora com o descanso. Na síndrome da fadiga crônica, ficar na cama ou dormir muito não ajuda.
  • Mal-estar pós-esforço: a funcionalidade dos sistemas e os sintomas tornam-se muito piores após o esforço físico. O paciente costumava tolerar atividades que agora são impensáveis.
  • Sono não-restaurador: apesar de dormir por um longo período, os sintomas do paciente não melhoram.

Para ser diagnosticada, a pessoa deve ter estes 3 sintomas agravados por 6 meses ou mais, mais um dos seguintes: dificuldades cognitivas ou intolerância ortostática (os sintomas pioram ao se levantar). Além da fadiga, dor de cabeça, febre, dor osteoarticular e muitas outras coisas mais também podem ocorrer.

2. A desordem afetiva sazonal (SAD)

O SAD é talvez o quadro clínico que mais se aproxima da astenia primaveril. É definido como um “distúrbio emocional em que o paciente tem um humor normal, até aparecerem sintomas específicos associados a uma determinada época do ano”. Mais do que uma doença por si só, é um transtorno depressivo especial.

A American Psychiatric Society (APA) define o distúrbio afetivo sazonal como “um distúrbio depressivo importante com tendência sazonal”. Entretanto, nesta condição, os sintomas vão além da astenia: há mudanças fisiológicas mensuráveis no cérebro, portanto os sinais são mais do que uma experiência subjetiva.

Os sintomas do SAD incluem o seguinte:

  • Sentimentos de tristeza e depressão que não desaparecem com o passar dos dias.
  • Perda do interesse em atividades que eram desfrutadas no passado.
  • Mudanças no apetite: os pacientes da SAD tendem a querer comer mais, especialmente alimentos ricos em carboidratos.
  • Redução no movimento ou taxa de conversação: estes sinais devem ser suficientemente evidentes para serem percebidos pelo ambiente.
  • Sentimentos de culpa, inutilidade e até mesmo pensamentos de morte e suicídio.
  • Dificuldade de concentração ou tomada de decisões.

Como você pode ver, o SAD difere da fadiga crônica, acima de tudo, na medida em que os sintomas são direcionados para uma área emocional e não física. Por esta razão, este distúrbio é geralmente tratado com antidepressivos e terapia psicológica prolongada, mesmo quando a estação conturbada para o paciente já passou.

3. Deficiências vitamínicas ou minerais

Deficiências nutricionais e astenia primaveril
Muitos desses micronutrientes estão disponíveis como suplementos.

Vitaminas e minerais são micronutrientes essenciais que todo ser deve consumir em pequenas quantidades para funcionar corretamente. Alguns desses compostos inorgânicos e orgânicos são mais essenciais que outros, mas em geral, todos desempenham um papel importante na manutenção da homeostase de órgãos.

A deficiência de ferro é uma das deficiências mais comuns que podem ser confundidas com astenia. A deficiência de ferro causa anemia mais ou menos grave, apresentando fadiga, fraqueza generalizada, pele pálida, dor de cabeça e muitos outros sinais não específicos. Como você pode ver, ela compartilha muitos sinais com astenia primaveril.

Tratamento

Uma síndrome, desordem ou doença pode ser tratada, mas um traço transitório, característico ou estado emocional não pode ser tratado. Portanto, a astenia primaveril não pode (e não deve) ser tratada desde um ponto de vista farmacológico. O melhor conselho que pode ser dado para enfrentar esta condição é levar um estilo de vida saudável e não ficar obcecado com os sintomas.

Como relatado na revista Farmacia Profesional, os médicos fazem uma série de perguntas a todos os pacientes com astenia primaveril e, com base em suas respostas, é feito um plano de ação específico:

  1. Quais são seus sintomas?: se estes indicam uma causa orgânica, um exame de sangue, eletrocardiograma e outros exames de rotina podem ser necessários.
  2. Você já iniciou qualquer tipo de dieta que possa explicar seu cansaço?: é normal que as pessoas façam uma dieta na primavera para se sentirem mais confortáveis com seu corpo no verão. Uma ingestão de calorias inferior à recomendada pode levar à fadiga e ao desconforto.
  3. Você perdeu peso recentemente sem fazer dieta?: se a resposta for sim, é hora de marcar uma consulta com seu gastroenterologista. Isto não é normal.
  4. Você está tomando algum medicamentos para tratar uma doença?: se a resposta for sim, é necessário explorar os possíveis efeitos colaterais do medicamento sobre o paciente.

Se tudo estiver dentro da faixa normal deste questionário, tudo o que resta é seguir os pilares típicos de uma vida saudável: comer uma dieta balanceada, fazer exercícios, não fumar ou beber demais, dormir as horas estipuladas e tomar um bom café da manhã todas as manhãs. Com estes pequenos ajustes diários, a astenia pode diminuir ou mesmo desaparecer.

A astenia primaveril não é uma doença, mas pode ser combatida.

Como você deve ter notado, o mundo da astenia primaveril é muito mais amplo do que pode aparecer pela primeira vez. Embora não seja uma doença em si mesma, muitas pessoas atribuem-lhe seus sintomas inespecíficos, razão pela qual é um motivo bastante comum para visitas à clínica de atendimento primário.

Se todos os testes estiverem OK e os sintomas do paciente não piorarem, pequenas mudanças na rotina são geralmente suficientes para enfrentar a fadiga. Se, por outro lado, os sinais na área emocional são muito evidentes, a integração da terapia psiquiátrica e psicológica no paciente torna-se necessária.

Pode interessar a você...
Depressão: principais sintomas e características
Muy Salud
Leia em Muy Salud
Depressão: principais sintomas e características

A depressão é um dos distúrbios psicológicos mais comuns no mundo. Confira mais detalhes a seguir.



  • Archer J, Archer D (2002). «Oral contraceptive efficacy and antibiotic interaction: a myth debunked.». J Am Acad Dermatol.
  • Larimore WL, Stanford JB (2000).  «Postfertilzation effects of oral contraceptives and their relationship to informed consent»
  • Crockett, Susan A.; Donna Harrison, Joe DeCook, and Camilla Hersh (abril de 1999).  «Hormone Contraceptives Congtroversies and Clarifications»
  • American Association of Pro Life Obstetricians and Gynecologists