Diarreia: sintomas, causas e tratamento

A diarreia é um problema de saúde comum que geralmente não tem consequências graves em adultos saudáveis; no entanto, pode ser fatal em crianças pequenas. Saiba mais sobre seus sintomas, causas e tratamento a seguir.
Diarreia: sintomas, causas e tratamento

Escrito por Luis Rodolfo Rojas Gonzalez, 21 Março, 2021

Última atualização: 21 Março, 2021

Os distúrbios gastrointestinais são um problema comum na sociedade atualmente e ninguém está livre deles. Um dos sintomas típicos desse tipo de patologia é a diarreia. Suas características são muito variáveis, podendo desaparecer após alguns dias ou durar várias semanas.

A diarreia é definida como o aumento da quantidade e frequência das evacuações das fezes, que devem pesar mais de 250 gramas por dia e ter consistência líquida, mole ou pastosa. Esse sintoma representa um grande perigo para crianças pequenas, sendo a segunda causa de morte no mundo todo em crianças menores de 5 anos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

As pessoas que sofrem deste sintoma perdem muito líquido como resultado do aumento da quantidade de evacuações diárias e, portanto, estão sujeitas a sofrer de desidratação severa. Além disso, também existe o risco de acidose metabólica, hipocalemia ou hipomagnesemia, por causa da perda de eletrólitos.

Quais são as causas da diarreia?

Para identificar as causas mais frequentes deste sintoma, é conveniente dividi-lo em 2 grupos de acordo com a sua duração. Nesse sentido, a diarreia aguda será aquela com uma duração de menos de 2 semanas, enquanto a diarreia crônica terá uma duração maior, com lapsos assintomáticos.

A forma aguda de apresentação é a mais frequente de todas, surgindo na maioria dos casos como consequência de infecções virais, parasitárias ou bacterianas. Uma dessas infecções é a gastroenterite, geralmente causada por diversos vírus pertencentes à família dos norovírus.

Por outro lado, a gastroenterite também é causada por bactérias como Escherichia coli e por parasitas como Giardia intestinalis. Todos esses microrganismos podem contaminar os alimentos e as fontes de água e, portanto, podem ser ingeridos pelos seres humanos. Outras causas comuns de diarreia aguda incluem as seguintes:

  • Uso de medicamentos como os antibióticos.
  • Intolerância à lactose.
  • Consumo excessivo de frutose.
  • Algumas cirurgias abdominais.

A presença de diarreia crônica é menos frequente e se estima que ela afete pouco mais de 5% da população mundial. Esta forma de apresentação é um indício claro da existência de algum problema intestinal, entre os quais se destacam:

  • Doença de Crohn.
  • Colite ulcerativa.
  • Doença celíaca.
  • Síndrome do intestino irritável.
  • Câncer de cólon.
a diarreia.
A intolerância à lactose geralmente se manifesta na infância e a diarreia é um dos seus principais sintomas.

Tipos de diarreia

De acordo com a sua fisiopatologia, a diarreia pode ser dividida em 4 tipos diferentes. Cada um deles possui o seu próprio mecanismo de produção e, além disso, as fezes também possuem características específicas que auxiliam o especialista ao fazer o diagnóstico.

Inflamatória

Muitos microrganismos têm a capacidade de invadir a mucosa intestinal, causando assim a diarreia inflamatória. Os patógenos podem entrar nas células epiteliais da mucosa e, uma vez que estão dentro delas, causam a sua destruição.

Esse processo vai causar um aumento do líquido no lúmen intestinal e, além disso, o sistema imunológico também será ativado, o que vai promover a inflamação. Dessa forma, as fezes ficarão aquosas, com presença de sangue e muco, produto da inflamação.

Secretora

Algumas bactérias são capazes de produzir diversas toxinas que alteram a absorção adequada de água pelas células intestinais. Um exemplo disso é o Vibrio chorelae (agente causador do cólera), capaz de produzir uma substância que gera a abertura dos canais de cloro, aumentando a secreção de fluidos para o lúmen intestinal.

Por outro lado, algumas cepas de Escherichia coli são capazes de produzir uma toxina que impede a absorção da água, causando assim a diarreia secretora. As características das fezes são inconfundíveis, já que elas são líquidas, sem presença de muco ou sangue.

Osmótica

A diarreia osmótica é caracterizada pela presença de um soluto de alta densidade na luz intestinal, que não pode ser absorvido pelas células da mucosa. A alta concentração na luz intestinal atrai a água contida nas células por meio de um processo chamado de osmose.

Essa forma de apresentação é característica dos pacientes com intolerância à lactose ou com algumas infecções parasitárias. Desta forma, as fezes podem ser aquosas ou pastosas e com a presença de muco em alguns casos.

A diarreia osmótica pode ser desencadeada até mesmo por algumas bebidas industrializadas.

Mecânica

É caracterizada por um aumento na motilidade intestinal com um maior peristaltismo. Isso causará uma maior movimentação intestinal e o número de evacuações diárias também vai aumentar. Este tipo de diarreia ocorre em doenças como a síndrome do intestino irritável e o hipertireoidismo.

Sintomas

É importante esclarecer que a diarreia é um sintoma e não uma doença. A duração do quadro clínico pode variar dependendo de se tratar de uma patologia aguda ou crônica, porém, ela geralmente desaparece após alguns dias na maioria dos casos.

As características das fezes também são diferentes e vão depender dos mecanismos de produção citados e do agente causador. É importante observar que os pacientes com diarreia também podem relatar alguns dos seguintes sintomas:

  • Cólicas e dores abdominais.
  • Náuseas.
  • Vômitos.
  • Febre.
  • Necessidade urgente de defecar.

Um caso de diarreia profusa pode desidratar os pacientes rapidamente, especialmente se forem crianças ou pessoas com uma patologia prévia. Portanto, é importante estar atento a quaisquer sintomas de desidratação, principalmente o aparecimento de alterações de consciência.

A dor abdominal ocorre na maioria dos casos de diarreia.
Em geral, há dor abdominal com cólica moderada antes de cada evacuação líquida.

Diagnóstico

O especialista terá como objetivo identificar a causa do sintoma em si para que possa indicar um tratamento eficaz, portanto, será necessário indagar sobre as circunstâncias do seu aparecimento. Nesse sentido, o médico vai perguntar sobre as viagens realizadas, os alimentos ingeridos e os medicamentos consumidos.

O especialista também deve perguntar sobre as fezes, pois as suas características, tais como frequência, consistência, cor e presença de muco ou sangue vão ajudar no diagnóstico. Finalmente, é comum que um exame de fezes seja solicitado para procurar bactérias, parasitas ou outros sinais de doenças.

Tratamento para a diarreia

Infelizmente, não existe um tratamento específico para a diarreia, portanto, o tratamento a ser seguido consiste em tratar a patologia de base e prevenir complicações. Nesse sentido, a Associação Espanhola de Pediatria recomenda a reidratação oral em vez da intravenosa.

A reidratação oral adequada vai minimizar a perda de líquidos e eletrólitos, evitando assim múltiplas complicações. Também foi demonstrado que o uso de probióticos ajuda a reduzir os efeitos da diarreia e favorece o seu desaparecimento.

Por outro lado, os medicamentos que inibem a motilidade intestinal podem ser usadas por adultos para diminuir a frequência das evacuações; no entanto, a sua utilidade não foi comprovada em crianças.

Medicamentos naturais

Existem várias plantas e compostos naturais que podem ajudar a tratar a diarreia, sendo um deles a camomila. Alguns estudos mostram que esta planta tem propriedades anti-inflamatórias, antissépticas e bacteriostáticas, por isso um chá de camomila pode ajudar a aliviar os sintomas de uma gastroenterite.

Além disso, este artigo de revisão destacou o fato de que a ingestão de água de arroz pode ajudar a reidratar o paciente e a diminuir a duração da diarreia em doenças como o cólera. Isso ocorre porque é adicionado mais substrato à luz intestinal e é favorecida a absorção de água mediada pela glicose.

Diarreia: um problema de saúde evitável

A maioria dos casos de diarreia ao redor do mundo é causada por infecções virais, bacterianas ou parasitárias. Portanto, medidas simples, tais como lavar as mãos antes de comer e cozinhar bem os alimentos, além de também higienizá-los, reduzem a probabilidade de sofrer deste sintoma.

Ao viajar para países com condições sanitárias precárias, é aconselhável beber apenas água mineral e higienizar os alimentos ingeridos. Por outro lado, existem várias vacinas que devem ser aplicadas em crianças para prevenir doenças diarreicas.

A diarreia geralmente não é um sinal de alerta em adultos saudáveis; no entanto, é preciso procurar um médico se houver febre alta, sangue nas fezes ou evacuações muito frequentes. Porém, quando o sintoma aparece em crianças, é preciso procurar atendimento médico imediatamente, a fim de evitar a desidratação.

Pode interessar a você...
Vertigem: sintomas, causas e tratamento
Muy Salud
Leia em Muy Salud
Vertigem: sintomas, causas e tratamento

A vertigem é descrita como uma sensação de tontura com movimentos inexistentes, que muitas vezes leva à instabilidade, náuseas e vômitos



  • Acuña R. Diarrea aguda. Revista Médica Clínica Las Condes. 2015;26(5):676-686.
  • Díaz Mora J, Echezuria L, Petit de Molero N, Cardozo M, Arias A, Rísquez A. Diarrea Aguda: Epidemiología, concepto, clasificación, clínica, diagnóstico, vacuna contra Rotavirus. Archivos Venezolanos de Puericultura y Pediatría. 2014; 77(1): 29-40.
  • Román Riechmann E, Barrio Torres J, López Rodríguez J. Diarrea aguda. Protocolos diagnóstico-terapéuticos de Gastroenterología, Hepatología y Nutrición Pediátrica SEGHNP-AEP. Documento disponible online en: https://www.aeped.es/sites/default/files/documentos/diarrea_ag.pdf.
  • Fernández-Bañares F, Accarino A, Balboa A, Domènech E, Esteve M, Garcia-Planella E et al. Diarrea crónica: definición, clasificación y diagnóstico. Gastroenterología y Hepatología. 2016;39(8):535-559.
  • De Truchis P, de Truchis A. Diarrhées aiguës infectieuses [Acute infectious diarrhea]. Presse Med. 2007 Apr;36(4 Pt 2):695-705.
  • Allen SJ, Martinez EG, Gregorio GV, Dans LF. Probiotics for treating acute infectious diarrhoea. Cochrane Database Syst Rev. 2010 Nov 10;2010(11):CD003048.