Menopausa e climatério: o que são e quais são as suas diferenças?

Quando falamos de climatério e menopausa, estamos falando da mesma coisa? A seguir, a resposta.
Menopausa e climatério: o que são e quais são as suas diferenças?

Escrito por Maite Córdova Vena, 13 Julho, 2021

Última atualização: 15 Julho, 2021

Ainda hoje, existem muitas generalizações e mal-entendidos sobre os estágios pelos quais o corpo da mulher pode passar ao longo de sua vida. É por isso que menopausa e climatério são dois termos que, em maior ou menor grau, tendemos a usar como sinônimos.

Isso geralmente acontece porque não levamos em consideração que o final da fase fértil da mulher pode ter subdivisões.

Conforme afirmado no capítulo intitulado ” Estágios reprodutivos em mulheres adultas: transição para a menopausa ” no livro Climatério e menopausa, “é difícil para mulheres e médicos diferenciar as mudanças relacionadas ao envelhecimento ovariano daquelas ligadas à senescência geral “.

Ainda assim, para distinguir mais facilmente os dois termos daqui para a frente, teremos em conta o que foi afirmado pelos autores de um artigo publicado na Revista da Faculdade de Medicina da UNAM.

O que é o climatério?

A menopausa e o climatério afetam mulheres idosas
Tanto a menopausa quanto o climatério podem causar sintomas desagradáveis, sendo esta uma das razões pelas quais os dois termos se confundem.

O termo climatério se refere à transição entre a fase fértil e o seu final. Vem do grego climater, que significa ‘degraus’. E, de fato, pode começar até 10 anos antes de a mulher atingir a menopausa.

É caracterizada pela variabilidade na periodicidade dos ciclos menstruais. Isso significa que o ciclo menstrual não será mais tão regular como antes, que às vezes vai durar mais, outras vezes menos, e que pode não haver menstruação em um mês e no outro. Porém, tudo dependerá da mulher.

Por outro lado, a síndrome do climatério é o conjunto de sinais e sintomas que aparecem na perimenopausa.

Alguns dos mais característicos são ondas de calor, palpitações, ganho de peso, distúrbios geniturinários, dores de cabeça e fadiga. Segundo estudo publicado na Revista Cubana de Medicina General Integral, nervosismo, irritabilidade e depressão também são frequentes.

Os autores afirmaram o seguinte:

  • As mulheres que não relataram desconforto eram assintomáticas e as que apresentavam sintomas de 3 a 10 vezes ao dia eram sintomáticas. Em relação a este último, deve-se destacar que as mulheres que relataram sintomas mais incômodos tiveram pelo menos entre 4 e 10 episódios.
  • Os sintomas foram muito incômodos quando a mulher indicou na entrevista incapacidade de realizar suas tarefas diárias e um pouco incômodos quando não indicou nenhuma mudança em sua rotina.

O que é menopausa?

Quando os períodos menstruais de uma mulher param e a fertilidade chega ao fim (ou seja, após 12 meses consecutivos de amenorréia ), diz-se que a mulher já entrou na menopausa.

Segundo os autores do referido artigo, isso “ocorre devido à atresia dos folículos ovarianos e sua capacidade de produzir estrogênios quando estimulados por hormônios folículo-estimulantes e luteinizantes”.

A menopausa é o fim do estágio fértil da mulher. É um processo natural e inevitável. Embora seja verdade que há tempo que existem associações negativas relacionadas a ela, é uma fase que pode ser vivida de forma saudável se a mulher se cuidar segundo as indicações do seu médico e se realizar os exames periódicos por ele prescritos.

Por que é importante manter uma boa atitude em relação à menopausa e ao climatério?

A menopausa e o climatério devem ser tratados de maneira adequada
Aceitar com calma as mudanças normais, bem como seguir as recomendações médicas, são formas de lidar melhor com a situação.

Como em outras situações e estágios da vida, é essencial cultivar uma boa atitude em relação à menopausa, informando-se sobre ela, quebrando as associações negativas que giram em torno dela, mantendo hábitos de vida saudáveis para o corpo e a mente.

The Australasian Menopause Society expõe o seguinte:

“Distúrbios do humor, sintomas de ansiedade geral e depressão são comuns durante a transição da menopausa, e algumas mulheres mostraram ter maior risco de depressão e psicose neste momento. Esses sintomas podem ser mais comuns em mulheres com problemas vasomotores graves, distúrbios do sono e após a menopausa cirúrgica. “

Diante disso, não é raro observar como as mulheres que mais relutam em enfrentar este momento, tendem a vivê-la de forma mais desagradável. Elas também podem ter maior probabilidade de sentir os respectivos sintomas de uma forma mais intensa e complicada, incluindo a depressão.

Concluindo, embora a menopausa e climatério sejam termos que possam parecer semelhantes, na verdade se referem a situações específicas diferentes. Saber mais sobre cada um deles, seu impacto e as melhores formas de enfrentá-los pode ajudá-la a manter uma boa qualidade de vida com mais facilidade.

Pode interessar a você...
O que é menopausa induzida?
Muy SaludLeia em Muy Salud
O que é menopausa induzida?

Ao contrário da que ocorre naturalmente por volta dos 45-55 anos de idade, a menopausa induzida pode ocorrer mais cedo.