Diferenças entre o intestino delgado e o intestino grosso

O intestino delgado e o grosso, como um todo, ocupam vários metros de superfície e têm funcionalidade essencial no processo de digestão. Você quer saber mais sobre eles?
Diferenças entre o intestino delgado e o intestino grosso

Escrito por Sara Santos Lorente, 07 Setembro, 2021

Última atualização: 20 Setembro, 2021

O sistema digestivo é definido como um conjunto de órgãos que processam alimentos e líquidos para decompô-los em substâncias que o corpo usa como fonte de energia, como meio de reparação de tecidos e como promotores de crescimento. Conhecer as diferenças entre o intestino grosso e o intestino delgado é essencial para compreender este complexo sistema.

Além do conhecimento para compreender as disparidades entre os órgãos que nos integram, convém salientar que isso também é essencial na detecção de patologias e no estabelecimento de prognósticos. Nas linhas a seguir, vamos contar a você todas as diferenças que existem entre as duas seções do intestino. Não pare de ler, pois na parte final abordaremos as patologias de cada um desses tratos digestivos.

Quais são as diferenças entre o intestino delgado e o intestino grosso?


Conforme indicado pelo National Cancer Institute (NIH), o sistema digestivo é composto pelo trato gastrointestinal, fígado, pâncreas e vesícula biliar. Ao comer, o alimento entra pela boca e se mistura com a saliva, desce pelo esôfago e chega ao estômago, parte do trato responsável pela decomposição dos alimentos por meio de movimentos ondulatórios e do suco gástrico.

Uma vez que o alimento foi modificado no estômago, ele chega ao intestino, que pode ser definido em um nível geral como as partes que estão entre a cavidade do estômago e o ânus. A principal função desse conglomerado de tecidos é absorver os nutrientes e a água que são ingeridos durante o processo de ingestão de alimentos.

Antes de explorar o funcionamento e as diferenças entre as diferentes seções do trato intestinal, estamos interessados ​​em coletar as principais funções do sistema digestivo. Entre todos, destacamos o seguinte:

  1. Transporte de alimentos: como já dissemos, o bolo alimentar deve viajar amplamente da boca ao ânus. O tubo digestivo de um adulto tem cerca de 9 metros de comprimento e os alimentos avançam graças aos movimentos peristálticos das paredes que o compõem.
  2. Secreção de sucos digestivos: embora possa não parecer, a ação das enzimas digestivas começa na própria boca, pois a saliva contém compostos que iniciam a transformação dos açúcares. Existem mais de 20 proteínas enzimáticas em todo o trato digestivo, responsáveis ​​por transformar os alimentos em compostos assimiláveis.
  3. Absorção de nutrientes: A maior parte desse trabalho é feita no intestino delgado, como veremos a seguir. Os nutrientes são as células a combustível necessárias para realizar suas reações metabólicas, crescer, se multiplicar e se repor.
  4. Egestão de fezes: os resíduos alimentares e certos compostos devem ser expelidos pelo ânus todos os dias.

Como você pode ver, as funções do trato digestivo como um todo são múltiplas e compartilhadas entre os órgãos. Agora vamos ver as diferenças entre o intestino delgado e o intestino grosso.

1. Tamanho e localização

Se seguirmos o trato digestivo como se fosse uma estrada, o intestino delgado seria a parada que vai logo depois do estômago. Sua função é conectar a cavidade do estômago com o intestino grosso, mas também realiza a maior parte da absorção dos nutrientes. A cada dia, o intestino delgado recebe de 6 a 12 litros de fluido pré-digerido do estômago.

Essa estrutura faz justiça ao seu nome, pois seu diâmetro varia de 3,5 a 4,5 centímetros, 2,5 centímetros quando não dilatado. É uma secção muito longa de comprimento variável, podendo ir de 3 a 10 metros, e é muito enrolada para caber no abdómen. Em qualquer caso, a média de uma pessoa normal é de cerca de 5 metros de comprimento.

O intestino grosso se comunica diretamente com o intestino delgado. Como o próprio termo indica, ele tem um diâmetro maior do que sua contraparte, cerca de 4 a 6 centímetros. Por outro lado, seu comprimento é bem menor, pois tem 1,5 metro (166 centímetros em média). Todos os dias cerca de 1,5 litro de líquido chega a esta seção do trato digestivo e seu trabalho de absorção é muito menor.

As diferenças entre o intestino delgado e o intestino grosso são muito fáceis de entender se observarmos o tamanho e a localização de cada um. Nós resumimos na seguinte lista:

  1. O intestino delgado é mais longo que o grosso, mas é mais estreito.
  2. O intestino grosso é mais curto do que o intestino delgado, mas seu diâmetro é consideravelmente maior.
  3. O estômago se comunica com o intestino delgado e este, por sua vez, com o intestino grosso.

Como curiosidade, deve-se destacar que o comprimento do intestino delgado é maior nas pessoas altas.

2. Partes

Como indica o portal  Bio differences a quantidade de peças que cada secção intestinal possui é outra das suas distinções mais óbvias. O intestino delgado tem 3 partes diferentes, enquanto o grosso tem 4. Vamos examiná-las separadamente a seguir.

Partes do intestino delgado

Como já dissemos, esta seção do trato digestivo mede aproximadamente 5 a 7 metros e é dividida em 3 partes bem diferenciadas. Estes são os seguintes:

  • Duodeno: é a seção adjacente ao estômago e mede 20 a 25 centímetros. Tem a forma de um “C” e envolve a cabeça do pâncreas, uma glândula responsável pela produção de sucos que ajudam a decompor os alimentos e são liberados no duodeno.
  • Jejuno: é a parte média do intestino delgado e mede cerca de 2,5 metros, cerca de 2/5 do total desta seção do trato digestivo. É recoberto por projeções mucosas chamadas vilosidades, cuja função é aumentar a superfície de absorção. Os produtos da digestão são absorvidos nesta seção.
  • Íleo: esta seção final tem cerca de 3 metros de comprimento e contém várias vilosidades, assim como o jejuno. Sua principal função é absorver a vitamina B12, os sais biliares e todos aqueles produtos que não foram aceitos pelo jejuno.

 

Embora sempre se fale de 3 partes no intestino delgado, deve-se notar que, no nível histológico, nem sempre é fácil fazer a distinção. Por esse motivo, os profissionais às vezes preferem usar termos como intestino distal ou intestino posterior para se referir às áreas jejuno-íleo.

Partes do intestino grosso


Embora mais curto que o intestino delgado, o grosso tem um total de 4 seções, 1 a mais que sua contraparte. Estes são os seguintes:

  1. Cego: é a primeira seção do intestino grosso e é responsável pela absorção de eletrólitos, principalmente sódio e potássio.
  2. Cólon: é a parte mais longa do intestino grosso e é responsável pela extração de água e eletrólitos dos alimentos já utilizados e mais digeridos. Por sua vez, esta seção complexa é dividida em cólon ascendente, transverso, descendente e sigmóide.
  3. Reto: é a última seção do intestino grosso e do trato digestivo em geral. É responsável por receber os resíduos (fezes) e prepará-los para a ejeção para fora do corpo.
  4. Canal anal: é um tubo muito pequeno (4 centímetros) que contém os esfíncteres anais, músculos responsáveis ​​por impedir ou possibilitar a passagem das fezes para o exterior. Quando eles relaxam, as fezes são excretadas.

Ao nível do diâmetro, o ceco é o mais largo de todos os componentes do intestino grosso, com cerca de 9 centímetros. É muito importante conhecer as medidas padrão de cada uma das seções do intestino grosso, visto que o megacólon é uma patologia relativamente comum na sociedade em geral que relata muitos problemas.

3. Funções

Outra diferença clara entre o intestino delgado e o intestino grosso está em suas funções gerais. Nós os exploramos separadamente nas linhas a seguir, fazendo comparações quando relevantes.

Funções do intestino delgado

Conforme indicado pelo portal Statpearls, carboidratos, proteínas e lipídios são absorvidos no intestino delgado. Devido ao seu trabalho, esta seção do trato digestivo possui células absorventes especializadas: os enterócitos.

Em qualquer caso, para que os enterócitos possam absorver os macronutrientes, é necessário que eles tenham sido metabolizados previamente. Por exemplo, os carboidratos passam por processos enzimáticos e são divididos em monossacarídeos simples que podem passar diretamente para a corrente sanguínea. Resumimos as funções do intestino delgado na seguinte lista:

  1. 90% da absorção dos nutrientes ocorre no intestino delgado, conforme indicado pela Canadian Cancer Society.
  2. Por difusão passiva, 1 a 2 litros de líquido alimentar (com muita água) são reabsorvidos diariamente pelo intestino delgado. Estima-se que 90% da água reabsorvida ao longo do trato digestivo foi coletada no intestino delgado.
  3. Certos hormônios, como a colecistocinina, são produzidos nesta seção do intestino. Sua principal função é promover a contração da vesícula biliar e a secreção pancreática.

Assim, pode-se resumir que o intestino delgado tem 3 funções essenciais: digerir e assimilar nutrientes, reabsorver a água que poderia ser perdida nas fezes e secretar certos hormônios envolvidos no processo de digestão. Por isso, possui múltiplas dobras que aumentam sua superfície de absorção em até 30 metros quadrados.

Funções do intestino grosso

O intestino grosso também é essencial para o funcionamento do trato digestivo, mas é verdade que sua funcionalidade é reduzida. Por exemplo, não realiza processos digestivos, não secreta hormônios e não é responsável pela absorção de macronutrientes. Resumimos suas principais tarefas na lista a seguir:

  1. Absorção de água e eletrólitos, especialmente sódio e potássio. A água passa para o fluxo do corpo por osmose (gradiente), enquanto o sódio é reabsorvido ativamente através do uso de canais de sódio. O potássio é absorvido ou secretado no lúmen intestinal, dependendo das concentrações de eletrólitos no momento.
  2. Produção e absorção de vitaminas. As vitaminas K e B12 são sintetizadas no cólon pelas bactérias simbióticas que o habitam.
  3. Formação e propulsão de fezes para fora do corpo. Graças aos movimentos peristálticos e aos esfíncteres musculares, as fezes podem sair do corpo com segurança assim que o processo de digestão for concluído.

As diferenças entre o intestino delgado e o intestino grosso em termos de funcionalidade são fáceis de compreender se forem reduzidas à sua expressão mínima. De forma rápida e simples, a primeira é responsável pela absorção de nutrientes essenciais (carboidratos, gorduras e proteínas) e água, enquanto a segunda obtém certas vitaminas, forma fezes e as expele.

O intestino delgado está envolvido no processo de digestão, enquanto o intestino grosso não.

4. Patologias associadas

Conforme indicado pela Biblioteca Nacional de Medicina de los Estados Unidos, existem várias patologias que podem afetar o intestino delgado. O intestino grosso também não está isento de condições prejudiciais, mas algumas são compartilhadas com a outra seção e outras são consideradas mais típicas dela. Novamente, nós os analisamos separadamente, fazendo distinções nos momentos necessários.

Doenças do intestino delgado

Na lista a seguir, você encontrará muitas doenças localizadas no intestino delgado que certamente lhe soarão familiares, já que têm prevalências bastante altas na população em geral:

  • Doença celíaca: dito de forma simples e rápida, as pessoas com doença celíaca não podem consumir glúten porque danifica o intestino delgado. É uma condição intimamente associada à genética e sua prevalência varia de 1/71 na população infantil a 1/357 na população adulta. 70% das pessoas com essa patologia não sabem e ainda não foram diagnosticadas.
  • Doença de Crohn: é uma das patologias compartilhadas entre o intestino delgado e o grosso, podendo surgir em qualquer parte do trato digestivo. É uma inflamação do revestimento de qualquer uma das estruturas acima mencionadas e afeta de 3 a 20 pessoas por 100.000 habitantes.
  • Úlcera péptica: as úlceras são lesões que não cicatrizam e surgem como resultado da corrosão após exposição aos ácidos gástricos. Eles podem aparecer no estômago e no intestino delgado.

As úlceras pépticas não ocorrem no intestino grosso, uma vez que não está diretamente exposto ao suco gástrico do estômago.

Doenças do intestino grosso

O grupo de doenças do intestino grosso é um pouco mais extenso e inclui certas condições próprias que não podem ocorrer no resto do trato digestivo. Dentre todos eles, destacamos os seguintes:

  • Câncer colorretal: tipo de malignidade que se manifesta como tumor em qualquer uma das seções do intestino grosso. Estima-se que 1 em 23 homens (4,3%) sofrerá durante a vida, conforme indicado pelo portal Cancer.org.
  • Pólipos: os pólipos são pedaços de tecido extra que crescem no revestimento do cólon. A maioria deles não é perigosa, mas alguns podem se tornar cancerígenos com o tempo e invadir outras partes do corpo.
  • Colite ulcerosa: as úlceras podem aparecer no intestino grosso, mas não são o resultado da corrosão pela ação do suco gástrico. Eles são típicos de entidades inflamatórias, como a doença de Crohn.
  • Diverticulite: esta patologia é caracterizada pelo aparecimento de pequenas “bolsas” ou divertículos no cólon. É bastante comum na população adulta e principalmente no sexo feminino, afetando 98,6 por 100.000 habitantes.

Não podemos estabelecer diferenças claras entre intestino delgado e intestino grosso em termos de patologias, uma vez que a prevalência de cada condição depende do local e da população analisada. Em qualquer caso, parece que as patologias do intestino grosso são um pouco mais prevalentes do que as relatadas para suas contrapartes.

Duas seções do intestino tão semelhantes quanto variáveis

Como você pode ver, as diferenças entre o intestino grosso e o intestino delgado são múltiplas. Não apenas eles têm funções diferentes, mas sua própria histologia, dimensões e condições patológicas também são diferentes. Em qualquer caso, a clivagem mais importante de todas as mencionadas é a seguinte: o intestino delgado absorve a grande maioria dos nutrientes e o grosso, os eletrólitos.

Embora sejam seções diferentes do trato digestivo, é sempre necessário salientar que são interdependentes e compartilham certas doenças e funções. Ambas as estruturas são necessárias para o funcionamento e a conclusão da digestão, seja para a absorção ou excreção de substâncias.

Pode interessar a você...
Síndrome do intestino permeável: sintomas, causas e tratamento
Muy Salud
Leia em Muy Salud
Síndrome do intestino permeável: sintomas, causas e tratamento

A síndrome do intestino permeável é uma patologia descoberta recentemente que está intimamente relacionada aos hábitos alimentares. Saiba mais a se...



  • Fried, M., Kok-Ann, S., Singapur, G., Khalif, I., Pali, R., Reino, H., … Bajos, M. P. (2015). Directrices Mundiales de la Organización Mundial de Gastroenterología Síndrome de Intestino Irritable: una Perspectiva Mundial.
  • Geijo Martínez, F., Piñero Pérez, C., Calderón Begazo, R., Álvarez Delgado, A., & Rodríguez Pérez, A. (2012). Síndrome del intestino irritable. Medicine, 11(6), 325–330. https://doi.org/10.1016/S0304-5412(12)70308-6
  • Mearin, F., Ciriza, C., Mínguez, M., Rey, E., Mascort, J. J., Peña, E., … Júdez, J. (2016). Guía de Práctica Clínica: Síndrome del intestino irritable con estreñimiento y estreñimiento funcional en adultos. Revista Española de Enfermedades Digestivas, 108(6), 332–363. https://doi.org/10.1016/j.aprim.2017.01.003