Os 10 benefícios de parar de fumar

Daniela Andarcia · 20 maio, 2021
Parar de fumar pode melhorar a circulação, fortalecer o sistema imunológico e reduzir o risco de câncer. Mostramos quais são os outros benefícios de parar de fumar.

A maioria das pessoas conhecem os efeitos negativos do tabagismo. Esse hábito não só aumenta o risco de desenvolver doenças crônicas, como pode levar à morte prematura. Agora, você já se perguntou quais são os benefícios de parar de fumar?

Se livrar desse hábito não é fácil, especialmente pelos sintomas de abstinência. No entanto, parar de fumar pode ter efeitos quase imediatos. Você sabia que após 20 minutos sem fumar sua frequência cardíaca e pressão arterial caem? Descubra outros benefícios de parar de fumar.

Principais benefícios de parar de fumar

Embora seja verdade que parar de fumar pode ser um grande desafio, vale a pena se consideramos os benefícios que isso pode trazer para a saúde física e mental. Vamos examinar cada um em detalhes.

1. Acaba com o ciclo do vício

Os benefícios de parar de fumar são muitos
O vício pode ter consequências graves nas áreas social e psicológica.

De acordo com um estudo científico, é provável que um mês após ter parado de fumar, as coisas melhorem aos poucos. Isso acontece porque os receptores das células nervosas que tinham se ligado à nicotina voltam ao normal e o ciclo do vício é interrompido.

2. Melhora a circulação

evidências científicas de que fumar está associado a um maior risco de sofrer de doenças vasculares.

Felizmente, a circulação pode melhorar de 2 a 12 semanas após parar de fumar, o que facilita fazer exercícios e diminuir a probabilidade de ter um infarto agudo do miocárdio ou morte súbita.

3. Recupera o paladar e o olfato

Um estudo publicado no Journal of Neurology descobriu que fumar prejudica as papilas gustativas e as terminações nervosas do nariz.

No entanto, abandonar esse hábito demonstrou melhorar significativamente as percepções de paladar e olfato.

4. Aumenta a energia e fortalece o sistema imunológico

Segundo o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido, parar de fumar pode melhorar a circulação sanguínea e tornar a atividade física mais fácil.

Da mesma forma, pode fortalecer o sistema imunológico, que estimula a proteção contra resfriados e gripes. Os níveis de oxigênio no sangue também aumentam, o que está associado à redução da fadiga e da predisposição a dores de cabeça.

5. Clareia os dentes e melhora o hálito

Segundo a publicação do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido já mencionada, se livrar desse hábito não só evita as manchas, como também refresca o hálito. Além disso, os ex-fumantes são menos propensos a sofrer de periodontite e perder os dentes precocemente.

6. Melhora a vida sexual

Um estudo publicado na revista médica Andrologia afirma que fumar é uma das principais causas de disfunção erétil em homens.

De forma semelhante, uma pesquisa publicada no Journal of Psychosexual Health descobriu que o tabaco pode contribuir para a disfunção sexual feminina, diminuindo a lubrificação genital e a frequência do orgasmo.

7. Reduz o risco de câncer

Foi demonstrado que quando as pessoas que fumam mais de 15 cigarros por dia reduzem seu consumo em 50%, o risco de sofrer de câncer de pulmão é significativamente reduzido.

Da mesma forma, uma pesquisa publicada na Cancer Epidemiology descobriu que quanto maior o tempo de ter parado de fumar, menor o risco de câncer em homens e mulheres. O estudo sugere que mesmo os fumantes compulsivos podem se beneficiar ao parar de fumar.

Segundo a mesma publicação, outros tipos de câncer que podem ser evitados são os de esôfago, rim, bexiga e pâncreas.

8. Favorece a saúde da pele

Os benefícios de parar de fumar incluem melhorar a aparência da pele
A boa aparência e a saúde da pele dependem de muitos fatores, incluindo o tabagismo.

De acordo com um estudo publicado na Skinmed, parar de fumar pode melhorar a saúde da pele, especialmente ao retardar o envelhecimento. A pele dos ex-fumantes tem maior nível de oxigenação, aproveita melhor os nutrientes e perde o aspecto amarelado e enrugado que caracteriza a quem tem esse hábito.

9. Proteja seus entes queridos

Conforme apresentado pelo Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido, parar de fumar pode evitar que tanto seus familiares como seus amigos adoeçam. A exposição passiva à fumaça pode aumentar a probabilidade de câncer de pulmão, bem como de doenças cardíacas e acidentes cardiovasculares.

Por sua vez, dobra a disposição para várias doenças respiratórias, como pneumonia, asma e respiração ofegante em crianças. Além de ter 3 vezes mais risco de desenvolver câncer de pulmão na vida adulta.

10. Reduz os níveis de estresse, ansiedade e depressão

Um estudo publicado no BMJ: British Medical Journal descobriu que parar de fumar pode reduzir os níveis de depressão, ansiedade e estresse. Os efeitos podem ser iguais ou maiores do que os tratamentos com antidepressivos para tratar o humor e a ansiedade.

Da mesma forma, a pesquisa sugeriu que ex-fumantes têm melhor humor e qualidade de vida em comparação com aqueles que continuam com o vício do tabaco.

Efeitos colaterais de parar de fumar

É verdade que parar de fumar é mais benéfico do que continuar o hábito. Más, para abandonar é necessário superar uma série de efeitos colaterais que ocorrem porque o corpo precisa se acostumar a ficar sem nicotina.

De acordo com vários estudos, todos esses sintomas podem ser agrupados na  síndrome de abstinência. Vamos dar uma olhada mais de perto no que você pode sentir, aproveitando a oportunidade para lembrá-lo de que esses sintomas são temporários:

  • Dor de cabeça e náuseas.
  • Formigamento nas mãos e nos pés. É causado por uma melhora na circulação.
  • Tosse e dor de garganta. Podem ocorrer quando os pulmões removem o muco e outros resíduos associados ao fumo.
  • Aumento de apetite e peso. À medida que sua energia aumenta, é normal que seu apetite também aumente. Além disso, algumas pessoas comem para substituir o cigarro, levando ao ganho de peso.
  • Desejo de nicotina.
  • Sentimentos de irritabilidade, frustração e raiva.
  • Prisão de ventre.
  • Dificuldade de concentração.
  • Boca seca.
  • Ansiedade, depressão e insônia. Os fumantes têm alto risco de depressão e ansiedade, esse hábito pode fazer com que se sintam melhor, por isso, quando param de fumar, ficam ansiosos ou deprimidos.

Linha do tempo do processo de deixar de fumar

Você provavelmente já se perguntou quando os benefícios de abandonar o hábito começam a aparecer. Aqui está o que a The American Cancer Society diz:

  • 20 minutos após parar de fumar, sua frequência cardíaca e pressão arterial diminuem.
  • Entre 8 e 12 horas após parar de fumar, o nível de monóxido de carbono no sangue baixa.
  • Após 2 semanas a 3 meses após seu último cigarro, o risco de ter um ataque cardíaco é reduzido.
  • Após 1 a 9 meses de parar de fumar, a dificuldade para respirar e a tosse diminuem.
  • 1 ano depois, o risco de doença cardíaca é reduzido pela metade.
  • 5 anos depois, você tem menos probabilidade de ter um derrame.
  • Dez anos depois, a propensão a desenvolver câncer de pulmão é igual à de uma pessoa que nunca fumou.
  • 15 anos depois, a probabilidade de sofrer de doença cardíaca é reduzida à de quem nunca fumou.

Parar de fumar só traz benefícios

Embora seja verdade que os sintomas de abstinência podem ser avassaladores, parar de fumar só traz benefícios.: desde conseguir perceber cheiros e sabores melhor, se sentir menos cansado e ter uma saúde bucal melhor até reduzir o risco de doenças cardíacas, derrame cerebral e câncer de pulmão.

Além disso, alguns benefícios são apreciados após alguns minutos do último cigarro, pois parar de fumar acrescenta anos à sua vida.

  • Paz M. El tabaquismo: una adicción. Rev Chil Enferm Respir 2017; 33: 186-189.
  • The American Cancer Society [Last Revised 2020 Nov 10]. Health Benefits of Quitting Smoking Over Time. Available from: https://www.cancer.org/healthy/stay-away-from-tobacco/benefits-of-quitting-smoking-over-time.html
  • Centers for Disease Control and Prevention (US); National Center for Chronic Disease Prevention and Health Promotion (US); Office on Smoking and Health (US). How Tobacco Smoke Causes Disease: The Biology and Behavioral Basis for Smoking-Attributable Disease: A Report of the Surgeon General. Atlanta (GA): Centers for Disease Control and Prevention (US); 2010. 4, Nicotine Addiction: Past and Present. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK53018/
  • Czernin, J., & Waldherr, C. (2003). Cigarette smoking and coronary blood flow. Progress in cardiovascular diseases, 45(5), 395–404. https://doi.org/10.1053/pcad.2003.00104
  • Dobson, A. J., Alexander, H. M., Heller, R. F., & Lloyd, D. M. (1991). How soon after quitting smoking does risk of heart attack decline?. Journal of clinical epidemiology, 44(11), 1247–1253. https://doi.org/10.1016/0895-4356(91)90157-5
  • Vennemann, M. M., Hummel, T., & Berger, K. (2008). The association between smoking and smell and taste impairment in the general population. Journal of neurology, 255(8), 1121–1126. https://doi.org/10.1007/s00415-008-0807-9
  • Da Ré, A. F., Gurgel, L. G., Buffon, G., Moura, W., Marques Vidor, D., & Maahs, M. (2018). Tobacco Influence on Taste and Smell: Systematic Review of the Literature. International archives of otorhinolaryngology, 22(1), 81–87. https://doi.org/10.1055/s-0036-1597921
  • The National Health Service [Last Revised 2018 Oct 25]. Quit smoking. Available from: https://www.nhs.uk/live-well/quit-smoking/
  • Kovac, J. R., Labbate, C., Ramasamy, R., Tang, D., & Lipshultz, L. I. (2015). Effects of cigarette smoking on erectile dysfunction. Andrologia, 47(10), 1087–1092. https://doi.org/10.1111/and.12393
  • Ghadigaonkar, D. S., & Murthy, P. (2019). Sexual Dysfunction in Persons With Substance Use Disorders. Journal of Psychosexual Health, 1(2), 117–121. https://doi.org/10.1177/2631831819849365
  • Godtfredsen, N. S., Prescott, E., & Osler, M. (2005). Effect of smoking reduction on lung cancer risk. JAMA, 294(12), 1505–1510. https://doi.org/10.1001/jama.294.12.1505
  • Saito, E., Inoue, M., Tsugane, S., Ito, H., Matsuo, K., Wakai, K., Wada, K., Nagata, C., Tamakoshi, A., Sugawara, Y., Tsuji, I., Mizoue, T., Tanaka, K., Sasazuki, S., & Research Group for the Development and Evaluation of Cancer Prevention Strategies in Japan (2017). Smoking cessation and subsequent risk of cancer: A pooled analysis of eight population-based cohort studies in Japan. Cancer epidemiology, 51, 98–108. https://doi.org/10.1016/j.canep.2017.10.013
  • Serri, R., Romano, M. C., & Sparavigna, A. (2010). “Quitting smoking rejuvenates the skin”: results of a pilot project on smoking cessation conducted in Milan, Italy. Skinmed, 8(1), 23–29.
  • Taylor, G., McNeill, A., Girling, A., Farley, A., Lindson-Hawley, N., & Aveyard, P. (2014). Change in mental health after smoking cessation: Systematic review and meta-analysis. BMJ: British Medical Journal, 348, Article g1151. https://doi.org/10.1136/bmj.g1151